.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Poesia é Arte!



Realidade

Minha calma é sinal de tempestade
sou ventania que arrasta os medos;
mulher que surge para o real;
paciência esgotada...
nas mentiras de amores que se escondem.
Realidade sorrateira
Tardiamente deparando com o nada;
me diverte todas as certezas;
só o desejo aplacado é claro;
o certo nunca verdadeiro.

O desastre da existência;
é ser vítima consentida;
verdadeira só a morte
que ronda e é certeira.

A mentira nunca se mantém;
cruz é privilégio de todos;
no sorriso que ilumina a face;
certamente retornará
a exuberância da mulher guerreira.

Mária Rocha





Nossa noite

Quando o dia ia nascendo
Ouvi a lua dizendo
Ao sol que já estava ali

Que a noite foi brilhante
Pois vi nascer o romance
Duas almas se unirem

As águas se aquietaram
Para não incomodar
E em tamanho silêncio
Vi as almas se amarem

Falava a lua de mim
Também falava de você
Dizia de um momento
Em que não vou esquecer

Foi uma noite de setembro
Em um dia especial
Nós amávamos loucamente
E nem víamos as horas passar

Mas a lua não sabia
O que viria a acontecer
Que bem longe de seu brilho
Você fosse desaparecer

Toda noite eu volto lá
Vejo a lua vigiando
A lembrança é permanente
E a saudade é sufocante.

............” Catarino Salvador “.

Testamento
(Valquíria Cordeiro)

Para você deixo
o meu diário,
nele esta escrito
tudo de nós dois,

deixo versos
inéditos dedicado
a você e partituras
da nossa musica...

ah, deixo também
o meu perfume,
impregnado em
cada pagina.

Sim!
O meu perfume,
que seguirá você
para o resto dos
teus dias


Ansiedade

Nada que te fiz foi por querer
Só quis me afastar desta loucura,
Que é te amar sem vos deter,
Ó bela donzela e louca criatura...

Não há quem não possa exceder...
Por ser-te tão doce, serena e pura.
Sendo um normal não pode ser
Pelas inquietações de tua ternura.

Tão forte, mas quase fiquei louco.
Apenas afastar-se de ti é pouco...
Bem que eu tome cuidado agora.

Amar-te já não pode ser disposto.
Não jure amar ninguém por gosto,
Porque o teu amor não tem hora...

(Dolandmay)



Mergulho nas estrelas


Do nada mergulho no ébano
Da bela noite
Salpicada de estrelas
Mato toda a saudade
Todo amor
Da louca paixão
Meu eu em você
Na ternura de seu beijo.

Kátia Claudino Caetano Pereira
Kátia Pérola _ (arquivo)

Saudades

Sinto saudades
de mim
me esparramando
de amor
toda lânguida
dentro de ti

(Van Albuquerque)


Estrada

A vida é feita de estradas,
curvas, retas, bifurcações,
caminhos sem travas,
seguindo sempre a razão.

A escolha depende de nós,
os atalhos são inúmeros,
alguns nos levam ao atroz,
não à decisão por acaso mero.

É preciso muita sorte e juízo,
assim nossos caminhos se abrirão,
para a vida, sem grandes prejuízos,
as portas serão leques de percepão!

Ada Fraga



DEUS ÚNICO

Sou pai porque tenho filhos!
Sou filho porque tenho pai!
Sou vida: o espírito nestes carnais trilhos!

Sou uma pessoa, a qual vai
Com três atributos cuidar dos novilhos!
Notem bem! Ficai firme e observai!

Não saia desses atilhos:

Jesus Cristo é Filho, Espírito Santo e Pai!

José Bonifácio –


Duas vidas apaixonadas
O perfume que inalava vinha misturado.
Com a beleza daquele paraíso florido.
Apreciava as minúsculas folhas.
Compreendi da vida as maravilhas!
Tinha as mãos quentes.
O meu amor estava presente;
Raios de sol encantador;
Aquecia- nos com o seu calor
O cenário estava completo
Tinha amor carinho e afeto.
Tudo parecia combinado.
Para o amor ser exaltado!
De cada detalhe a natureza cuidou.
Adornou e com arte coloriu;
As cores bem realçadas.
E duas vidas apaixonadas!
Emergiu no fogo e aprovou essa jóia.
Com ouro e esmeralda o brilho da paisagem.
De glória em glória celeste;
Surpresa!A bela a paixão reveste!
Hortência Lopes

Amor com Saudade

Me disfarço, me desfaço
Me diz como é que eu faço,
Pra desfazer esta dor?

Me parti tanto que me
Falta partes pra versejar
Com arte e falar de todo amor!

Não que eu não tenha, até que
Tenho, mas me falta tempo e
Sobra saudade e, eu não quero
Versos dela a todo tempo...

Pois estas linhas não merecem
Sentir a saudade que eu sinto!


Pergentino Júnior


(Re)Nascer

Não quero mais te amar!
Quero apenas te apagar de mim,
Chorar todas as lágrimas...
E me esvaziar de ti!
.
Quero o direito de amar outra vez!
De aconchegar-me em meu silêncio
E degustar desta dor,
Gota a gota...
Em todo seu sabor!
E envenenar minha esperança
Com todo esse amargor!
.
Não quero mais te amar!
Nem sentir esse vazio,
Nem passar meus dias a lhe esperar voltar!
Quero dar aos meus olhos,
O direito de por outro alguém brilhar...
E ao meu coração, dar o direito de saltitar,
E transbordar de amar...
Outro alguém que me complete!
.
Não quero mais te amar!
Quero apenas te arrancar de mim,
E ser só um tantinho mais feliz!
Quero apenas me desmisturar de ti
E te separar de mim...
Quero te esquecer...
E dar-me o direito de outro amor viver!
.
Rosane Oliveira




FOI PENSANDO EM TI

Escrevo agora, pensando em ti
Oh! Minha amada, minha querida.
Sabes bem que eu te adoro tanto
E que tu és, a razão da minha vida.

Eu te amo! Meu amor como eu te amo.
E longe de ti, este meu pensamento
A todo o momento esta em você,
E só consigo, ver sua imagem, refletida.

E o meu desejo é correr para os seus braços
E ganhar os teus carinhos, teus abraços
Sem se importar. com o que mais possa acontecer.

Ai que vontade meu amor, não sei que faço
Nesse instante,sem você, sem meu pedaço
Maior pedaço que é você deste meu ser.

Elciomoraes


Amor na leveza do ser

Tu és o meu amor mais leve...
mais puro, receptivo, cheio de
encantos, de ternura, o mais
conectado ao meu coração.

Minha alma desesperada vem
sobrevivendo pelo tempo e
espaço afora, numa alucinada
tentativa de encontrar-te.

A saudade de ti é imensa, data
de muitas vidas, manifestando
uma necessidade imperiosa de
celebrar derradeiro reencontro.

Sei que estás próxima, sinto a
tua presença, teu perfume, tua
doçura, teu beijo suave, o teu
sorriso pueril, tua aura de amor.

Deixa-me chegar!...Meu amor!
entrega-me toda a leveza...
do teu ser, no abraço, no beijo,
no pulsar do coração.

Eu te amo tanto!...

Ricardo G Denunes

LENDÁRIA CALÇADA

Ao ascender aquela
Simples e lendária calçada;
A chama do amor fora realçada,
Brilhante como uma aquarela.

Um belo romance começava
Rapidamente a descortinar.
Não havia como procrastinar.
A uma paixão me lançava.

Seus sedosos e belos cabelos,
Desalinhados sobre o seu rosto,
Tocavam com sutileza os seus lábios.

Demonstrando estar disposto.
Fiz uso de dramáticos apelos,
Dizendo: Vou te amar como os sábios!

José Bonifácio

Marcadores:

2 Comentários:

  • Amor e alegria!

    Oh, minnha querida e amável Marta! Simplemente, tenho o privilégio de fazer parte de tão importante meio cultural de comunicação.

    Sou grato pelo seu carinho e, acima de tudo, pela confiabilidade depositada em a minha pessoa.

    Estar entre grandes e talentosos escritores é com se posicionar entre as estrelas e deleitar-se com os seus brilhos!

    Mais uma vez parabenizo-a pela maestria das suas nobres ações. Destarte, o Jornal O Rebate permanecerá sendo a base sólida e fundamental de todos os que amam a poesia.

    Fantástico!

    José Bonifácio

    Por Blogger josebonifacio, às 24 de junho de 2009 00:43  

  • Querida e amável Marta Peres! Que
    alegria e satisfação estar aqui nesse conceituado jornal.
    Sou grata pelo afeto e carinho que
    que gera otimismo e aquela sensação
    deliciosa de estar nesse belo
    jardim de poesias.Entre poetas e escritores que se destacam com
    maestria na arte de escrever e emocionar coração!

    Parabéns pela sua digna ação!E por ser a nobre Marta Peres,
    um marco referencial no mundo encantado da poesia!

    Beijos e um abraço carinhoso!

    Hortência Lopes

    Por Blogger Hortência, às 26 de junho de 2009 00:44  

Postar um comentário

<< Home