.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Poesias São Para Sonhar!



O REMIDOR

O exercício da bondade
É a decisiva lei do construir.
Mas, se praticares a maldade

O resultado fatídico é destruir!
Sem a paz não há graça nem felicidade.
Ah, porque com a desonestidade se unir?

Fora com a vil inverdade!

Deixe Cristo, o Deus Salvador, te remir!

José Bonifácio – 20 Abr 2009

Ah! Esse amor!


Ah! Esse amor!
Contagia a fantasia,
Com esmero, primazia,
Medo ou covardia,
Coragem se anuncia,
Os sonhos são mais,
Verdadeiros, reais,
Na dose quero mais,
Enfeitiça o coração,
Modelando um brasão,
Em chamas a emoção,
Que chama, te ama,
Ah! Esse amor!
Que inflama e
Leva-te pra cama.


Marisa de Medeiros



TE QUERO

Preciso dizer que te quero
que tua falta me faz delirar
nos desejos que hoje tenho,
só a ti posso entregar.

Amor que aos poucos se mistura
no cálice que tu seguras...
é vinho , tem cor de sangue
paixão que me perturba.

Sinto teu cheiro ao longe
estranho mas, verdadeiro,
meu corpo estremecendo
na espera do teu bem quente.

Nas profundezas da minha carne
a solidão me faz sofrer,
preciso de ti fogoso...
me fazendo enlouquecer.

Venha menino...se apresse,
o que estás a esperar,
trazes contigo o desejo
para em teu corpo o meu se deitar.

MÁRCIA ROCHA



Escrevendo sonhos

E, o Senhor, por Sua palavra,
fez a lavra do Seu sonho.
Em Seu espaço, se fez a luz,
naquilo que era medonho.

Seguiram-se outras criações,
mais sonhos, mais realizações.
Finalmente, o mais bizarro,
o homem, modelado do barro.

Nesta Terra, à Sua semelhança,
nasceu, então, a esperança.
com toda certeza, entre Seu riso.

Tudo aqui que foi descrito,
das palavras do Senhor, foi escrito.
Desse sonho, criou-se o paraíso...

Oswaldo Genofre


A Rosa


Lânguida, no trono
macio de folhas
repousa
a rainha flor.


Abre-se toda em
aveludadas pétalas
de delicado
odor.


Solitária no vaso,
a rosa
pinga vermelho
na tarde
sem cor.


Lenise Marques



Envolva-me nos teus braços
envolva-me em tuas mãos
em tua alma, em teu ser
Envolva-me... e assim
cria em mim um encanto único
e pela ânsia de amar-te
me deixarei ficar
Envolva-me com tuas palavras doces
com tua sensibilidade envolvente
e teu querer sempre presente
Envolva-me em teu corpo
e no êxtase do teu perfume
inebriar-me-ei
Envolva-me... em ti
do jeito que eu sei sentir
você...assim...dentro de mim
Envolva-me em tudo teu
para que seja eu em você
e você em mim...

(Rosane Silveira e Ricardo G Denunes)

VERDADEIRA AMIZADE


Tem que ser amigo sempre!
Senão, não foi amigo.
Um amigo não se acha inferior,
tampouco superior.

Amigo não é melhor,
nem pior.
Simplesmente amigo.
Um amigo valoriza os acertos,
não encobre os erros,
faz destes uma aprendizagem,
Valorizando ainda mais a amizade.

Numa despedida,
os amigos não se despedem.
É a partir daí que eles se encontram,
pois os amigos, mesmo ausentes,
se fazem presentes.

Um amigo não precisa falar.
Só precisa sentir.
Só precisa sorrir.
Nem precisa chorar.
Um amigo só precisa existir.


Eliza gregio



LOUCURA INSANA

Amanheço e anoiteço esperando
tua presença em minha vida se findou,
nada do que fiz valeu a pena,
tu foste embora e não mais voltou.

Queres liberdade, vais em frente...
não sou eu quem vai te segurar,
quebre bem a tua cara, ser doente
e voltes que estou a esperar.

És a loucura insana dos meus dias
nem consigo mais me apaixonar!
Sempre procurei um belo espécime
de homem, que eu quero para amar.

Em ti procurei meu sonho,
de ti me veio a ilusão,
Pena que teu coração é tão volúvel!
Queres todas a mulheres nas
tuas mãos.
Vais um dia
se esparramar no chão.

MÁRCIA ROCHA


Trem da Vida

é de fato o fim?
antes de partir
pensei
o que farei?

a locomotiva
da vida
não para
apenas em paradas
mas em segundos
volta a desbravar o mundo

passa muitas vezes
pelo mesmo lugar
mas com o tempo a mata que era verde
começa acinzentar
a vida que era luz
começa a apagar
e a juventude
começa enrugar

esse é um poema do futuro
tenho nele oitenta anos
olho pra trás vejo furos
muitos erros e enganos

mas vejo também
que um dia fui força
tive uma linda moça
e fumaçando vou mais além

meu trem não é a carvão
é a bala
e a morte
o trem da vida não abala

o trem continua
firme e forte
a vida continua
depois da morte

Guilherme Sodré


Fetiche d’Alma

Sonhar,
Pescar ilusões,
Escrever o que diz o coração
Nesta página sem pautas
É te ter a meu lado,
Na razão, na emoção
No brilho da lua
Entre o céu o espelho da vida!

Despertar,
Sentir o cheiro das manhãs,
Versejar a madrugada
Neste papiro cor de bruma,
É ter em minha face pequena
A tua lágrima, o teu navegar,
O teu aroma de jasmim
Fluindo do peito invadindo a paixão!

Cavalgar,
Musicar o amor,
Deixar na pele o fetiche d’alma
Naquele candelabro que trouxe a sombra
Da tua centelha, levita, bucólica,
Esmeralda destas palavras
Aqui grafadas, aqui inspiradas em ti,
Ah! Menina das margaridas
Ah! Mulher das raras orquídeas!

Auber Fioravante Júnior


PÊLO E PELE

Quero-te na hora
em que não marca o relógio...
horas infindas.

Quero meu corpo
no seu corpo
no mágico e lento corpo da madrugada.

O amor tomando conta dos espaços existentes!

Quero a dobra interna do seu corpo
prá enrolar as curvas do meu corpo
e circular em brasa...

Deslizar em ti
abrir caminho
e feito pássaro liberto
pousar eternamente no seu ninho.

E ali...
boca a boca
corpo a corpo
olhar no olhar
sol e luz
...fixar morada!

Rosy Moreira



DOR DA SAUDADE...

A saudade é demais
Quando o amor se vai
E o sonho ficou lá atrás

A saudade dói tanto... Tanto
Que a alma chora sangue
Tamanho o desencanto

A saudade ensoberbece o coração

A dor da saudade transpõe a dor da solidão

Rô Lopes


CORAÇÃO ALARDEIRO

Quem há de querer um coração
Patético!
Um coração alardeiro, isso existe?
Feiticeiro, amante de detalhes
Vestido de rituais,
Atento de encantamentos?
Quem? Disse minha amiga numa fala
De sentença verídica, com outras
Palavras, um tanto menos claras,
Mas disse.
E eu escutei assim bobamente,
Doidamente, como se tivesse
Que descartá-lo, reinventá-lo,
Desintegrá-lo....
Como se faz isso?

Mas talvez...
Os loucos, os visionários
E os poetas que olham o céu
E choram aviões que se desintegram
No ar,
E sobre a fumaça pesticida
Que se espalha ao amanhecer
Ainda insistem em pintar arco-iris
Em versos e nos cadernos das crianças.
Talvez eles entendam meu coração
Ultrapassado, alardeiro e solitário.

Acho que morrerei assim,
Descabida e desgarrada transmutando
O som do eletrocardiograma numa orquestra
Que me levará para o colo do coração
De Deus.

Acho que morrerei amando
Com esse coração rebelde e inconseqüente
E me apaixonarei mil vezes pela vida,
Até cessar.

Então amiga, no silêncio de meu peito
Eu te permitirei chamar meu coração
De insano.
E por onde eu estiver, eu vou te dar razão
Pois...não precisarei mais dele!

Ana Luiza (coisas de Ana)

PARALELAS

No corre-corre da vida
as pessoas cruzam-se
olham-se indiferentes
submergidas cada uma em sonhos e lamentos.

Por essa estrada sem fim
olho duas paralelas sem volta
onde vultos apressados seguem caminho.

O sinal está fechado...
faço o sinal da cruz.
Os minutos que restam elevam à uma prece.

Sigo uma estrada
onde às vezes tenho vontade de retornar...
buscar leveza e amarrar com laço
junto às pesadas bagagens.

Mas o tempo não pára!

E no meio-fio paro.
Procurando calma no gramado...
no lago...no asfalto...dentro e fora de mim.

Alguém buzina...
a correria do dia à dia
quebra enfim a nostalgia.

Faz esquecer quem somos...
para onde vamos...
para um caminho sem volta.

Rosy Moreira



É preciso coragem e determinação,
para voar e ir conquistando a evolução.
Ainda tememos o desconhecido!
Ir mais alto é dar-se por amor.
É necessário reabastecer a nossa nave,
para irmos em direção ao objetivo do vôo.
Precisamos para tal, preparar nosso coração,
gerador da energia simbólica do Amor.
Então, seremos pássaros livres,
sem amarras, sem prisões.

Neneca Barbosa



PASSARINHO SEM NINHO

Mas de que adianta aprender a voar
Saber cantar, se não tenho um ninho
Meu canto já não encanta. Meu vôo
Não tem destino! Jogam-me pedras
Pelo caminho, mas sigo, sigo sozinho!

Pouso em galhos, galhos com espinhos
Mas permaneço, pois nas pontas vejo
Flores, flores que aliviam as dores e
Penso em fazer um ninho, não pelas
Flores mas por você, que todos os dias
Acorda cedinho para as flores poder
Colher!

As brisas do amanhecer fazem com que
As flores exalem uma essência, gotas de
Orvalho armazenado em pétalas, se
Transformam em rios de fragrância que
Lembra o seu perfume, esse cheiro
Alegra-me e canto, canto como de costume

Meu canto já não é tão triste, mas ainda
Não construí um ninho, pois na primavera
Tenho sua companhia e no verão sigo o
Meu destino e volto a ser sozinho!

(Flávio Cardoso Reis)

Inspiração

Dentro de mim não encontro paredes,
há caminhos e trilhas, mesas cobertas
de papéis e lápis, poesia dançando
nos galhos das árvores, a arte inunda
meu ser. Flores em cores tantas!
Fragrância doce de se sentir, amores
dentro dos ninhos, sentimento
cascateando nas montanhas.
Agasalho-me em seus carinhos ouvindo
a música da esperança, sonho deixando
os olhos descansarem no verde das matas,
e a inspiração navamente me acolhe!

Marta Peres


Na graça dos sonhos

Os sonhos são actos de fé
Numa crença de intensa sabedoria
Desenham-se embevecidos de encantamento
E têm o requinte solene de um rouquete

Os sonhos encomendam-se às ninfas e às sereias
Lavam-se no doirado da planície
E bebem a serenidade hilariante do imaginário
Inalam o incenso fresco da madrugada
E agitam-se nas pontas de uma bailarina

Os sonhos vestem-se de enfeites
E com as cores das vozes dos anjos
Roçam as cordas gentis das liras
Numa exaltação dos acordes celestes

Os sonhos gesticulam alados no céu
Ondulam flutuam engraçados
Luzidios cintilantes
E acariciam as faces alvas da lua

Os sonhos são criaturas delicadas e generosas
Com as almas num genuíno afeiçoamento
Corpos sedosos meigos e quentes
Na sensualidade do deslumbramento

Os sonhos são carinhos são carícias
São afectos afagos abraços
Contentamentos e meiguices
E são afinal o nosso aformosentar por dentro

Maria de Jesus Maria





Linha errada

No desenhar da vida
errei o traço...
não a borracha
que apague
a tatuagem
de teu toque
em minha pele.
Existe borracha
que apague o tempo?

Kedma O'liver

*DESEJARES
.
Sim...eu quero ainda
o som dos rouxinóis,
o vôo das araras
e muito mais...

Eu quero o brilho deste sol,
quero a água cristalina
e as flores
dum jardim imaginário...

Eu quero a amplidão
das campinas
onde o olho pode se perder
pois quero o entardecer...

Eu quero o poetar de Dhante
e a música do Trial,
quero pássaros azuis
na vastidão do céu...

Tudo pode ser tangível
e parece-me possível
a saída do meu sonho
para mergulhar no teu...

Descer por onde o labirinto
é previsível
e decifrar o impossível
das canduras do enígma
de Orfeu.

Marçal Filho
Itabira MG


O QUE RESTOU

Remexendo numa velha caixa
encontrei um pedacinho do passado:
dobrada numa flor estilizada
uma folha amarela
simples – ela –
a carta que não mandei
por que mesmo? Já não sei.
Só me recordo de outras tantas
perfumadas, desenhadas,
sempre com o mesmo sinal
combinado, bem do lado,
símbolo daquele amor.
Mas o que não partiu, chegou
por outra folha de igual teor...
tantos anos, a saudade
e o que restou de uma flor.

Basilina Pereira


Peles e Bocas

Minha história,
começa aqui, nesta mesa,
neste luzeiro de lamentos
d’onde também dentre meus versos
surgiste tu, em melodias ecléticas,
trazendo nas mãos,
o brilho das lareiras,
e um coração em chamas que chegou,
escrevendo por louças e ladrilhos
um blues pela paixão!

Meu crepúsculo
renasce aqui, no mar, no céu,
deixando nas nuvens,
a delicadeza de tua face
no olhar tênue da lua
que alumia teu corpo
expondo no peito
a arte do criador,
o poema da criatura,
e o sublimar da aura que se chegou,
tatuando mistérios,
abrindo-se em canduras,
pintado por peles e bocas
uma música para o amor!

Auber Fioravante Júnior


OSCILAÇÃO
De repente rompi o silêncio
e vi-me mergulhada numa amplidão
de insegurança e dúvida
Quem sou?
Incertezas corroíam o meu interior
que temporariamente dissimulava
meu incoerente senso fulgaz
Carecia surgir, renascer
mas a luta era inflexível e descomedida
Atordoada com a quietação absorta
meu sorriso furtava uma alegria fugidia
dissipadora, negligente e sem graça
Voltei-me. Precisava de estímulos
tamanho era o alheamento de mim
Apelei tentando anular minha insensatez
que por alguns instantes aquietou-se
A razão aflorou mas não suplantou
os resquícios de ternura
que existe em mim
Saberei quem sou amanhã?
Marlene Gomes

Canto a Musa

Oh, musa que me inspira.
Quero um dia encontrar
O amor que em ti delira,
Que é aroma que tem no ar
E em todo ser que ama!
Quero no teu coração
Viver do fogo que inflama
Tuas chamas da paixão!

Viver, onde tu viveres...
Seja na terra, seja no mar,
Onde quer todos os seres
No teu peito eu quero estar!
E na tua voz que é bela
Quero o teu canto de sereia
Que em outro ser não se revela,
E no amar não fica alheia!

Quero viver do teu amor
Que é afeto verdadeiro;
Que é sem pranto e sem dor!
Porém, não sou o primeiro
A querer-te do meu lado,
E que por ti vem reclamar...
Pois de encantos é teu fado
E teu destino é Amar!

(Dolandmay)


Na melodia das palavras

Mastigo as palavras pelos recantos dos pensamentos
Provoco a sonância sincopada dos ornamentos
E os sentidos aguçam-se ao espelho como um rouquete
E enlaço-as com esmero no brilho diamantado da elegância
Vestidas no requinte altivo cintado de um corpete
E numa braçada de estados de alma até à loucura
Embriago-me exacerbada pela ardência da ostentação
Aflige-me o abismo abrupto do ponto de exclamação
E enleada no afinco deste mal que não tem cura
Levo a madrugada à procura das ininterruptas reticências
Vagueio desconfiada e aflita num mar de eloquências
E por entre a escuridão da noite a fantasia esvoaça
E agarrada à alma etérea passeia-se a imaginação pela praça

E nos delírios dos segredos no sussurrar dos medos
A poesia é a grandiosidade sagrada de um andor
Com as vozes aveludadas do povo num acto de fé
E ouvem-se as cordas sacras na musicalidade do rosário
Mas se espreito o desfiar das almas no desespero do desamor
Os meus versos lacrimejam tempestuosos de dor
Que procuro em cada esquina as linhas do meu fadário
Torturada pelo apedrejamento da minha inquietação
E os acordes são as palavras ásperas do meu coração
Dissonantes pelas foices agudas da vossa exímia traição

E se escorregam pela tinta sanguinária do meu destino
As minhas palavras são nostálgicas no regaço da saudade
Afectam-me na estridência fugaz de um grave sapateado
Com os sentimentos bebidos na empatia da irmandade
E os meus poemas são as minhas ciosas orações dos aflitos
E se Deus me abençoa no pregão dos meus gritos
Pois que as palavras me abracem até à eternidade

Maria de Jesus Maria


DUVIDAS?

Assim que te vi pus-me a sonhar venturas
E crédula de esperança enlouqueci na hora
Mas ver-te não pude em parte alguma nesta aventura
De braço dado comigo no prazer que me devora
Sempre foste a promessa sempre suspensa e sem abertura

Tal qual um arco íris que no céu desponta
Mas que não posso tocar e que desejam ocultar
Morta em jejum vivo a penar do que apronta
Pra mim resta apenas os limites impostos de ti me afastar
De não te ver nem de ti me aproximar me desaponta
Te vejo só de longe no céu mas não posso te tocar

Resolvi então espalhar meu pranto de dor em amplos horizontes
E em marés de fel em um sinistro mar descontente!
Se não posso lhe ter vou virar nuvem que desponte
Só para destilar gotas de chuva na serra como monte
Vou me embrenhar onde pisas na terra como ponte
Pra meu amor por ti não vai duvidar e para que só comigo conte

(Maria de Fátima A.Guimarães)


Meu Perdão

Num ímpeto caístes aos meus pés
Prometendo doces juras... acariciou-me
Em lágrimas carinhosamente falou...
Dá-me seu perdão... não me olhe assim de revés

Coração bandoleiro este meu
Bobo, descompassado ficou
Por isso meu perdão eu te dou
Emocionada pelo gesto teu

Quero te amar todo santo dia
Você faz minha cabeça girar
O meu coração fracassar
Enleva-me em doce magia!

Apaixonada e embriagada estou
Tenho fome de ti minha segunda vida
E que não mais provoques ferida
Nesse coração que sempre te amou

Diná Fernandes


Carinho... amizade... amor...
Um gesto de carinho,
É aconchego, um ninho,
Tamanha emoção,
Acelera o coração,
É choro promissor,
Acato de amor,
Da vida é o que se leva,
O que tem valor,
Apreço que não tem preço,
Valor que vem do berço,
É um Sol sorrindo,
Com cara de menino,
Uma Lua que ensina,
Com cara de menina,
É dengo, chamego,
Amizade, apego,
Evolução, canção,
Amor no coração.
Marisa de Medeiros
Linda noite pra vc,com
Carinho...Amizade...Amor!



Sexto Sentido


Sinto o amor chegando
Por inteiro
Sem nehuma promessa
Se amor perfeito.

kátia ClaudinoCaetano Pereira.
Kátia Pérola_

Como ama o amor...


Amo como a loucura do vento,
Quando sopra o pensamento,
Como o perfume das flores,
Exalando amores,
Na imensidão do mar,
Enfeitiçando o olhar,
Nas nuvens a sonhar
Com desenho, de te amar,
Na noite plena de luar,
Inspirando o ar de amar,
A estrela cadente,
Insinuação ardente,
No céu do meu coração,
Envolvendo-te na emoção,
No Sol do meu calor,
Aquecendo-te com amor,
Amo... como ama o amor.


Marisa de Medeiros




A CHAMA QUE AQUECE

Quando a amizade fortalece
A chama aquece.
Firme suporte caminha prudente.
Com confiança,
Cheio de esperança.

No coração guardada,
A vida aplaude!
Com generosidade,
Produz felicidade.


Com carinho e atenção,
Fortalece o coração.
Cheio de amigos parceiros.
As damas e os cavalheiros.

Esse sentimento partilhado,
É um caminho abençoado.
Com perene fidelidade,
Amor e felicidade.

Com pureza de coração,
Ama o amigo como irmão.
E vai embora, solidão mesquinha!.
Dá-me a sua amizade,
Que eu te dou a minha.

Hortência Lopes



Rouba apenas meus medos
A minha solidão
Rouba apenas o meu amor
E me beija só por me beijar

Sandra Mello-flor




Reencontros!
Em algum lugar
estarás a ouvir minha voz
entendendo meu canto calado
recolhido na alma sem gritos
O véu da noite tece estrelas
que podem estar ausentes
buscando algo distante
superior aos sonhos restritos
Entre sóis brilhantes,
pensamentos e alma adentram
em situações abstratas
fazendo do real
segundos duradouros
presos a imutável eternidade.
(Conceição Bentes)

Marcadores:

4 Comentários:

  • Oi minha linda Grande Poetisa amiga MARTA PERES!

    Poesias são feitas para sonhar!Verdadeiro! Perfeito! Cantinho aconchegante! Fui...sonhei...viajei e voltei,rsrsr.Obrigada de coração por estar entre poetas e poetisas gabaritados.Vc nos faz sonhar e realizar...através do seu carinho e incentivo permanente.
    O seu coração é um mar de amor!Parabéns!Que DEUS a ilumine sempre pra vc continuar sendo essa pessoa incrível e maravilhosa que VOCÊ É!Meu eterno agradecimento!
    Beijos no coração!Te adoro!

    Por Blogger Marisa, às 9 de junho de 2009 15:02  

  • Graça e alegria!

    Estimada Marta Peres,minha nobre e bela poetisa,que mimosidade de escritos. Sim, as poesias são feitas para vermos sonhos, de uma forma marcante e bendita, serem realizados.

    Confesso que, em momentos de grandes emoções, deparei com poesias que me sensibilizaram arrancando aplausos do meu ser.

    Fantástico! Bravo, bravíssimo!

    Deus seja louvado!

    José Bonifácio

    Por Blogger josebonifacio, às 9 de junho de 2009 21:10  

  • Graça e paz!

    Que surpresa! Bem, em se tratando da Poetisa Hortência nada me surpreende! Sim, porque sou testemunha ocular da voz dos seus escritos.

    O dom que Deus concedeu a essa bela e nobre escritora é algo inusitado. Suas mensagens são tais quais melodias, em dimensões eternais, ecoando nos nossos corações.

    Simplesmente, amo seus poemas pela pureza e verdades incontestáveis, as quais como alavancas soerguem os caídos e aumentam a têmpera dos que estão firmes.

    Indubitavelmente, é algo fantástico!

    Deus seja louvado!

    José Bonifácio

    Por Blogger josebonifacio, às 9 de junho de 2009 21:25  

  • Te aplaudo de pé, nobre e
    bela poetisa Marta Peres!Que eterna e sublime
    demostração de amor e carinho!
    Sendo companheira e estendendo a mão e o coração amigo para divulgar
    A poesia semear emoção.Plantar encanto na alma para sonhar e viver
    Essa bendita satisfação.
    Lindo e abençoado é o teu coração!
    Que Deus te ilumine! Te amo de coração!Meu infinito agradecimento!
    Beijos no coração!

    Por Blogger hortencialopes, às 10 de junho de 2009 04:16  

Postar um comentário

<< Home