.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Vastidão


Vastidão

Fechou-me a noite enorme
na concha escura de sua mão.
Só as estrelas por companhia
e a lua zombeteira,
que ciclópica me espia.

Buscando meu próprio calor
enrodilhei-me como um cão,
pois é frio o hálito do vento
nestes vastos pagos,
onde galopa a solidão
e pasta...o esquecimento.

Lenise Marques

1 Comentários:

  • Oi Marta querida!

    Que bom ver meu poema aqui em meio a toda essa gente boa!
    Obrigada pela divulgação e por brindar-me sempre com tuas pungentes e belas poesias!
    Um grande beijo!

    Por Blogger Lenise, às 6 de outubro de 2008 18:52  

Postar um comentário

<< Home