.

sábado, 29 de novembro de 2008

As rosas, o jardim e eu


As rosas, o jardim e eu

Nasceram ali, no jardim,
canteiro escondido perto do muro,
quando vi, senti-me tremer, duas rosas unidas,
lindas rosas, na cor vermelha!

Cheguei bem perto,
levei a mão numa carícia,
elas estremeceram ao meu toque,
_não nos tire daqui! Exclamaram de uma só vez.

Assustada, arredei o pé, rosas não falam, pensei!
Novamente ouvi: _ Não nos tire daqui!
Chorosas as rosas olhavam dentro dos meus olhos,
senti-me envergonhada! Queria que o chão abrisse!

Parei! Pensei voltar, sair correndo dali,
as rosas leram meu pensamento,
_ não, não se vá! Senti disparar o coração,
face a face elas se olhavam, enrubesci!

_ Deixe-nos aqui, o sol da manhã acaricia nossas
pétalas, elas sentiram o frio da noite, não nos mate,
olha ao redor, se somos belas e ornamos o jardim,
deixa, nossa vida é tão breve, nos deixa morrer aqui!

Marta Peres

1 Comentários:

  • Parabéns!Marta,é um verdadeiro encanto é de uma sensibilidade
    que não podemos mensurar.
    Quando li fiquei comovida.E agradecendo a Deus por ter oportunidade ler e sentir o perfume das rosas.E ter uma poetisa
    que seu dom e talento aflora quando escreve.Beijo de gratidão

    Por Blogger Hortencia Lopes Ximenes, às 29 de novembro de 2008 15:21  

Postar um comentário

<< Home