.

terça-feira, 20 de maio de 2008

Poesias e Amigos!



Bom dia

Acordei e vim à varanda ver a luz
Lembrei-me de olhar o meu jardim
Com aquele belo sorriso que seduz
Ao olhar senti que sou feliz assim.

Admirei o sol a brilhar sobre as flores
Com reflexos de um brilho tão intenso
Que pareciam ser todas multi-cores
Naquele belo paraíso a que pertenço.

Nestas mistura de perfumes e cores
Sinto-me feliz e tranquila ao acordar
São maravilhas onde criamos valores
Que a natureza tem sempre para dar.

Ao acordar e ver maravilhas tão belas
Dá-me prazer e uma grande euforia
Porque foi ali que eu criei todas elas
E quando me levanto lhe digo bom dia.

Autoria-Arlete





Caminhar juntos

Uma promessa de amor feita com o coração
Por dois seres que se amam sinceramente
É a certeza de que o carinho é a maior razão
Que os irá unir ao longo dos anos certamente.

São pessoas simples,com bons sentimentos
Mas são felizes na certeza de uma vida a dois
Apesar de já terem passado maus momentos
Eles sempre perdoam algum tempo depois.

Amam-se para sempre,entre eles há ternura
Sabem que a vida foi feita para serem felizes
Nos beijos que trocam sentem a doce ventura
Do amor maduro que criou profundas raízes.

No coração de ambos há a verdade e certeza
Que desse amor crescente foi criando frutos
Ao longo dos anos alimentaram a rara beleza
Que é andar de mãos dadas e caminhar juntos.

Autoria-Arlete






Da minha janela

Espreito para a rua, vejo quem vai passar
E gosto de ver os passeios das pessoas
Fazem as compras para almoço ou jantar
Só algumas compram coisas muito boas.

Vejo nas ruas alguns mendigos pedindo
De mão estendida a quem passa na rua
Mesmo com fome ainda os vejo sorrindo
Nem sequer choram essa triste vida sua.

Lá vão passando os mais felizes ao lado
Nem olham o pobre de rasgadas roupas
Para elas não conta quem é necessitado
Pois em sua mesa há bons bifes e sopas.

Quando algum insiste em pedir a esmola
São ameaçados,condenados a uma cela
E assim a vida deles se torna uma escola
Onde eu aprendo e muito, da minha janela.

Autoria-Arlete






Junto à lareira

No nosso castelo imaginário nós sonhamos
Com as largas alas ladeadas de lindas flores
Quando estás a meu lado,assim imaginamos
Como eram noutro tempo os grandes amores.

E no pátio do castelo por archotes iluminado
Olhando as estrelas de brilho ímpar nos céus
Estaríamos nós dois em doce idilio apaixonado
Em belas camas de docéis cobertas por véus.

No chão de madeira antiga corroída pelos anos
As peles de animais a cobrir-nos como cobertor
Abraçados um ao outro entre beijos namoramos
E ali, naquele templo maravihoso,fazemos amor.

Olhas-me com carinho e o amor que em ti vejo
É tão belo que eu fico adormecida a noite inteira
Nos teus braços eu me deixo embalar pelo desejo
E ficamos enlaçados pela noite fora junto à lareira.

Autoria-Arlete







Laços de ternura


A mãe que nos dá vida e amor
Traz dentro do peito o carinho
Que nos ajuda a sentir o valor
Que daremos ao nosso filhinho.

A mãe é quem nos traz no ventre
Quem nos carrega até ao nascer
É ela que se faz sempre presente
Para nos ensinar na vida a vencer.

É suporte de amor e conselheira
Ajuda preciosa a todo o momento
A fonte de vida pura e verdadeira
Que no peito esconde o sofrimento.

Ela ama a seus filhos com fervor
Junto deles se sente mais segura
Sempre presente com seu amor
Mãe é que nos dá laços de ternura.

Autoria-Arlete




Querer

Quero sentir que alguém me ama
Quando à distância eu estiver
Quero sentir viva aquela chama
Que nos faz feliz em vez de sofrer

Querer amar alguém não é pecado
Quem o diz não sabe o que é amor
Quando no coração está enraizado
Queremos sentir dele todo o calor.

Quer seja amor fraternal ou amizade
Quando o sentimento algo nos diz
Quem lhe der o sentido da verdade
Queira, ou não queira irá ser feliz.

Quisera eu ter essa doce felicidade
Que o amor em mim possa ter raiz
Quando o caminha é essa realidade
Que é buscar no amor o que se quis.

Autoria-Arlette








À QUINTANA

Embala meus versos poeta!
Teus cataventos rodopiam
em minha alma ferida.

Soninha Porto


À QUINTANA

Embala meus versos poeta!
gira teus cataventos
em minha alma ferida
venha num cometa
aqueça a poesia
com suas mãos
para ser colhida
mesmo rodopiando em balões.

Soninha Porto


doEU

Sem aviso a dor aparece
explora passo-a-passo
demarcados traços

desvenda o Eu ferido
é mancha na tela

rasga a carne
vestida de cobiça

traz à tona
passagens disformes
malditos borrões

lágrimas estéreis
socorrem exaustas vontades
desmancham riscados:
mágoas

abrem a torneira dos sonhos
alívio ao exaurido ser

surge do branco da alma
silencioso morador
deitado no tear do sossego:
vestígio de afeto

envolto em névoas
imobiliza a dor
até adormecer

Soninha Porto


E no princípio DEUS criou o Bicho da Seda "

Ó tu, que estás no teu leito
Com lençóis de seda quente
Dormindo bem aconchegado,
Sem sentires o frio do inverno !!
Ouve uma triste criança,
Mal nascida e não bem vivida
Que na luz destes seus olhos
A pobre alma que sente percluso
Por não obter o abraso...
Diz-me. Bravo infante
Que DEUS cumpra os teus desejos,
Se te criaste no meio humilde,
Ou em montes sertanejos...
- Deram-te leite de serpente ??
Eu me trocava por ela,
E ainda mais cheio de vestes
Dava estes a esquentá-la,
Esta pobre criança...
Quisera estar nos teus instintos,
E prestar-te o bom serviço
De te sacudir de alegria
E mostrar-lhe aos ricos
Que doar és divino !!!
Mas que prendas eu te daria ?!
Sim, é o fruto do produto
Bicho da Seda...

Poeta Márcio Abduch
2006




Paraíso Florido..

Estas flores que
Dizem em seu olhar..
Não são as mesmas que
Lhe fazem chorar...

Mas são flores
Que exalam sempre
Este momento de escrita..

Onde passa o encanto
Natural de uma borboleta..
Um paraíso a bailar
Todas estas formar de amar !!

Campo minado de prazer,
E em teu olhar, flores
Que trago em cada entardecer...

Poeta Márcio Abduch
2007





FELICIDADE
felicidade é te amar
poder te tocar, falar de
todo esse amor...te beijar!

felicidade é sonhar acordada
que estamos juntos, de mãos dadas
é estar junto a ti!

felicidade é esta coisa louca...forte...
que arde em peito...quando me beijas a boca
todas as vezes que fazemos AMOR!

felicidade é esta paz que sinto quando
estou contigo, e teus olhoa me fitam...
falando de amor?!

felicidade é saber que daqui a pouco
vou te ver...não importa a hora que venhas...
felicidade é poder te esperar...
felicidade é saber que um dia
TU também vais me amar!


celina vasques



TE AMO
te amo por tudo e acima de tudo,
Porque te amo?
pelos teus olhos dentro dos meus
quando fazemos amor?
Pelos teus lábios quando roça a
minha boca ardente de paixão?
Pelo teu corpo que quando encosta
no meu faz-me estremecer de tanto prazer?

Ah! eu te amo por tudo e acima de tudo
Porque te amo?
Gostaria de poder esquecer nossas juras de amor
Nosaas palavras enlouquecidas...
nossos gemidos...mas, não posso!

Nas minhas noites vazias de solidão...
Lembro cada segundo...cada minuto...
de tudo que fizemos juntos...nossas loucuras...
nosso amor!
Ah! eu te amo por tudo e acima de tudo!
Porque te amo?

celina vasques




PRIVILEGIO
Parece um sonho!
mas estive em teus braços
provei dos teus lábios
e te falei palavras de amor

ainda ontem estivemos juntos
passeamos descalços na relva fresca e
de mãos dadas...demos risadas...
rolamos na areia, arrulhamos como passarinhos
e nos amamos como dois selvagens!

O meu amar como canções infindas é
cantado em teus ouvidos e nas poesias...
ah! quisera ter o privilegio de poder voltar
a te amar, te colocar no colo,
tocar no teu corpo macio e com ternura
te falar de amor...

desta emoção mais linda...tão minha...
que se perde nas minhas lágrimas de dor!


celina vasques



Refúgio

Refugio-me da tristeza
Refugio-me da dor...
Sabia quem era atrás daquela porta,
Mas de súbito desinteresse fiquei remota e parada.
Fiquei em transe a consolar-me e
Ver nosso filme por um fio...

Meu amor penso agora na miséria deixada pelas
Heranças do homem.
O que nos resta agora?
Nossos filhos,
Terão paz?
Terão água a beber?
Terão vida a viver?
Não, não terão...
Terão cápsulas de engorda como se fossem porcos a irem para os matadouros...
Terão de pagar níveis altíssimos de sangue para respirar ares venenosos...

Meu sublime amor,
Qual o sentido do homem aqui na terra?
Tanta luta...
Sem água pura a tomar.
Guerras ardentes a lutar, só para matar tribos/raças/etnias...
Quem ganha com isso?
Alguém se diz vitorioso em meio caos?
Não, não, a vitória não é essa...
A cúpula não chega a acordos, revoltas acontecem.
Cúpula pra que?
Revoltas mais...

Mas entrego-me ao meu amor aqui sentido
Entrego-me a Paz devida e que todos as vêem com força!!!!
Paz
Sentido da luta pela dignidade!!!!!!


Paola Vannucci
05/11/2005




Escada

Ainda há mais escadas
numa espiral alta.
Subo sem parar...
Espio arrepios estendidos
na imensidão azul dada por Deus,
celebrando o nosso amor
Liberto a nós dois...

A luz nos ilumina.
Lagrimas feliz quando produzimos e
as palavras aqui derramadas são simples
desejo...
Calor na alma,
corpos a envolver,
Como é gostoso estar no colo...

Estou lúcida
a realizá-lo,
você me envolve
entra em mim
meu anjo
olhe para cima sem piscar
sua salvação está em mim...
Este é o princípio do amor
um sinal apenas:
olhar para cima...
eu o liberto!!!!!!

Paola Vannnucci
11/11/2005


Pensamentos

A vida é uma incerteza sem fim, se pensarmos na derrota estaremos todos mortos no dia seguinte e aquele que deseja tomar seu lugar não pensará duas vezes em fazê-lo.
A vida é o embolar do nó que nós o desatamos com a alegria e a sabedoria do viver.
As cores claras são a razão do viver e as escuras mancham simplesmente para dar a emoção devida e a sincronia para não cair na monotonia, as cores dão o brilho a Luz, as cores mesclam-se em um quadro puro e simples: AMOR......

Paola Vannnucci
22/11/2005




Mas...

Sinto-me loucamente presa a vida,
Sem repousar refugiei-me,
Distancie-me e acordei num súbito momento que,
Apertando a sua mão
Senti o seu desespero,
Senti sua fuga,
Perda do sonho,
Meu querido, não o perca,
No sonho sentimos o que Deus nos quer revelar,
No sonho realizo meus sentidos,
Um deles é segui-los ao meio fio como um lindo beija flor a trazer a magnitude do seu brilho.
Mas...
Sempre um, mas...
Você quebrou o encanto do desejo,
Deixando-se levar pela dor.
Mas...
Sempre, mas...
Estou aqui a fortalecê-lo,
Estou aqui a guiá-lo.
A paz está presente no sonho ditado por Deus
Que realiza nossos objetivos aqui cumpridos,
Um deles: ESTAR CINSIGO...
Mas...
Sempre um, porém...
Descubra meu querido,
descubra....

Paola Vannnucci
19/11/2005


Relação tempo e distância

O tempo e a distância,
aumenta o amor que sinto por você.
O tempo corre e a distância ficam
imortalizados são nossos encontros,
que fazemos deles algo real e secreto.
imortalizado é o sentir calado e o
agir com o pulsar de nossos corações.

Poucas horas contadas nos dedos,
o sinto.
Largas horas a contar pela distancia o desejo.

Meu sonho se realiza a cada quanto tempo.
Sinto-me SUA.
Sinto-me MULHER.
Sinto PAZ.

As paredes escondem nossos atos,
risco em papéis meus sentimentos.
Ah! Não sou nada sem me confessar a eles.
Não posso arriscar,
Não sou nada sem a confissão,

Poucas horas,
e a cada encontro a certeza da união.
Ilusão, não mais tenho.
E sim,
Concretas realizações.


Paola Vannucci
19/05/2008





Mar revolto

Onde?
O mar está revolto.
Onde está aquele anjo de rota virada?
Onde anda o anjo que deseja amar?
Estou procurando,
Não o acho mais naquela praia...
Ontem a lua nos iluminou,
Hoje...

Meu anjo, meu amor, meu desejado amor
Não se vá
Não morra,
Não desfaz nossos momentos.

Vivi tempos, momentos de glória, doce vida
Viva para me contar como o nada acabara.
Vivi na emoção de estar ao seu lado,
Meu anjo entre no mar e
salve-me dos tubarões
Meu amor seu curso é meu curso.
Viva, não morra,
Não se antes me amar agora.
Não sem antes me dizer:
Não vá
EU A AMO MUITO!!!!!!


Paola Vannnucci
18/09/2005



“Não quero lhe esquecer”

Vivo tentando,
sei que preciso
lhe esquecer,
procuro não lhe ver,
quero deixar no passado
este seu jeito de andar,
de falar, de sorrir,
o carinho que vem de você
não quero me lembrar,
sentir saudades dói,
machuca o peito, faz chorar.
Eu quero lhe esquecer
mas não quero,
quero lembrar da sua boca,
desse seu jeito manso de falar,
a maneira de você se vestir,
dói, dor insuportável de sentir,
machuca o coração, sangra
deixando tristeza, apatia,
mas preciso lhe esquecer,
por lhe amar!

Marta Peres




Traição

Em noites de lua cheia
caio em devaneios,
mesa de bar de quinta,
copos espalhados
entre olhares cafajestes,
mãos profanas
tomam meu corpo,
me entrego ao desejo
em ânsia que chega
às raias da loucura, prazer,
estrelas brilham nos céus
dentro da noite,
meus lábios sorriem,
me afasto zombando
assim que sacio,
tresloucada,
enlouquecida pela traição
do amor sonhado,
decepção que me faz
vestir o vermelho justo,
agarrado no corpo
mostrando formas,
decote que deixa tudo
à mostra, emoção
que me faz chorar sozinha
dentro de quarto imundo,
olhando a lua vagabunda,
linda,
elegante,
afastando e rindo de mim!

Marta Peres



Tu és amor

Tu és amor que chegou na minha vida,
nasceu de um amor calmo, amor que
suporta turbulências e naufrágios,como
flor veio perfumar, enfeitar meus dias.

Tu és amor, amor pra toda vida, amor
que atrai pensamentos puros, como águas
de mar em calmaria, ternos como sinfonia
entoada por anjos, doces como mel, singelo

como lírios do campo, amor maduro como
fruto doce, saboroso como néctar dos deuses,
colorido como o arco íris, amor fecundo, terno,
forte, faz os lábios se abrirem em sorrisos,

dizer palavras amenas, frescas, macias como
pétalas de rosas, tu és amor, amor autêntico
que nada pede em troca, amor que deixa sombra
refrescante no coração de mãe, amor de filhos,

amor sincero e verdadeiro, amor no qual me agarro
para continuar a caminhada da vida!

Marta Peres




Sarau Expresso

Declamo amor por você
Na mente de quem nunca perdi
Podemos viver numa roda de sarau
Declamo amor por você
Quando entro em silêncio
E na lucidez sou dele
Desejo a boca da palavra
Declamo amor por você
Todos os dias que te amo
Maduro homem de cabelo grisalho
Na nostalgia, na madrugada
Dentro da casa quando o verso me abraça
Sem rima, sem verbo, sem tempo
Declamo amor por você
Quando abrimos um vinho
Na roda do sarau uma lágrima
Recordando você.

Marta Peres e Claudia Almeida



Sonhando,
Queria tanto voar
levar até você um pedacinho de amor
num leve balançar de galhos
nos ventos desta minha dor.

Sonhando,
Queria tanto voar
levar até você o cheirinho de chuva
perfume da flor que brotou do coração.

Sonhando,
Quisera eu ser uma gaivota
voar no céu azul
levar até você um recado
de amor e alegria
no bico longo e afiado.

Nada disto sou
pois sou apenas folhas de outono
neste vasto campo de árvores
assim como todas as árvores da vida
que sustenta e alimenta.

Sou apenas uma raiz comum
desta mesma árvore que
balança ao vento
apenas te tenho amor...

Marta Peres



Nostalgia

Quando o sol brilha no horizonte
sinto-me feliz
e
triste ao mesmo tempo.
Uma nostalgia bate no coração
deixando-me pensativa.
Sinto saudades de algo
que não consigo divisar.
Sinto a falta de seu olhar!

Marta Peres



Vem

Vem,
espero tua volta,
meus braços abertos
querem te abraçar,
vem,
quero sentir teu corpo
enlaçado ao meu,
vem,
mesmo que breve,
como a leve brisa
que passa roçando
meu rosto,
como pétalas de rosas
jogadas nos lençóis,
como música diáfana
enchendo nosso quarto,
vem,
vem que te amo,
e é um amor imenso,
amor intenso
que me enche de felicidade,
que me faz rir e chorar
de contentamento,
vem,
vem ficar comigo
pela eternidade!

Marta Peres




DUAS BONECAS
Mírian Warttusch

Eu trouxe uma bonequinha
De presente pra você
Para ser sua amiguinha
Bonitinha como quê!

Por favor, cuide bem dela
Com beijinho e muito amor
Como faz toda mamãe
Vai tratá-la como flor!

Você também é boneca
Que a todos veio encantar.
És a mais linda menina,
Que não cansamos de olhar!

Duas bonecas agora...
Que grande felicidade!
Uma é feita de pano
Mas a outra é de verdade!



SEJA UM EXEMPLO
Mírian Warttusch

Age muito, fala pouco, tenha atos exemplares.

E iluminado será, o caminho que trilhares!

Ao avançar, muito alento... esqueça dos teus pesares.

Semeia coisas notáveis, pelas trilhas onde andares.

Esquece os ressentimentos, para teu trigo ceifares;

Beba das fontes ribeiras, para assim melhor chegares.

Leva na boca um sorriso, realiza o que sonhares.

Amigos assim terás, acredito, que aos milhares.

Mas poucos junto estarão, se deles tu precisares.

Tem cautela... seja só, se forem maus os teus pares.

Conta só contigo mesmo, pra depois não lastimares...

Seja de ti, o melhor, o que tiver que deixares.

Dignidade é que vale, move terras, céus e mares!



Barco da Vida

Fazendo uma reflexão
Mergulhei no meu interior
Descobri quanta ilusão
Apegando-se ao exterior.

Conduzimos nosso barco
À mercê da tempestade
A âncora é nosso marco
Esperança que nos invade.

Em nossa caminhada
Precisamos bem escolher
A semente pra ser plantada
E regada para florescer.

As escolhas do nosso caminho
Vão sempre nos pertencer
A humildade é nosso cadinho
Para que possamos crescer.

Somos parte do Universo
Da grande luz do Criador
Vamos ficar nela imerso
Banhado com vosso amor.

João Pessoa, 18/05/08
Neneca Barbosa



Amor

Amor é sentimento
Que brota no coração
Igual ao perfume da rosa
Exala em toda direção.

Mas é preciso regá-lo
Para frondoso crescer
E feliz espalhá-lo
Assim que florescer.

O amor é chama ardente
Que envolve o nosso ser
Bebendo em sua fonte
Iremos sempre ascender.

Apenas conserva o encanto
Aquele que deixa fluir
Esse nobre sentimento
Que na alma existir.


João Pessoa, 14/01/08
Neneca Barbosa




Recordações

Olhando da varanda a chuva cair
Veio uma saudade dos tempos idos
Emoções fortes consegui sentir
Recordando os momentos vividos.

Viajei no mundo mágico da infância
Ainda a descobrir no amanhã, a vida
Mas o tempo parece não ter relevância
Pela beleza da meninice, fui assistida.

Vivi meus anos felizes de criança
Respirando o ar puro dos campos
Tudo passa em minha lembrança
Na noite, observava os pirilampos.

Nas manhãs alegres e risonhas
Acordava com os pássaros cantando
Na inocência, era como um sonho
Viver naquele belo e mágico recanto.

Os anos passaram e aqui estou
Continuando o meu aprendizado
A alegria da guria me acompanhou
Na memória aquele tempo sagrado.

João Pessoa, 07/05/08
Neneca Barbosa


"Libertação"

No Brasil a escravidão
Hoje se encontra abolida
Graças à lei acolhida
Por um singelo coração.

O negro sorriu satisfeito
Por não ser mais surrado
Dos rebentos separado
Mas ficou o preconceito.

A liberdade é inerente
E em nosso espírito está
Que livre no céu brilhará
Como uma estrela cadente.

Rompemos os nossos grilhões
Que aprisionam nossa alma
Trazendo a paz que nos acalma
Livrando-nos das expiações.


João Pessoa, 13/05/08
Neneca Barbosa




Reflexos do Luar

Sentada a beira do mar
Com os pensamentos a vagar
Fui começando a deslumbrar
Um belo quadro a realçar.

Vi surgindo no horizonte
A lua bela em seu desponte
Com o brilho da cor de prata
Convidando para uma serenata.

Com ela veio o sopro do vento
De mansinho com seu ar opulento
Balançando as palhas dos coqueiros
No céu observo os pequenos luzeiros.

A lua é encantamento, é beleza!
Serve de guia com sua singeleza
Inspira os amantes com sua magia
Deixando fluir as emoções com alegria.


João Pessoa, 15/05/08
Neneca Barbosa



SERIAS TU?
Neuza Maria Spinola


Serias tu, o amor?
Surgiste na minha vida,
Com doze rosas e lindas margaridas;
Num bouquet de mil sentimentos,
Coisas que surgem de mil pensamentos,
Emoções transmitidas por arrebatamentos.

Serias tu, o amor?
Fizeste de luz a minha vida,
Agora colorida, simplesmente revivida;
Tens o coração à flor do meu versejo,
Tens no gosto, o calor do meu desejo,
Tudo em ti, tem a forma doce de um beijo!

Serias tu, o amor?
De mãos dadas, pela rua quieta, porém,
Na fria noite, onde não passa ninguém,
Devagarinho, ar fresco, perfumes de jasmim,
Lua alegre, olhares brilhantes, um lindo jardim,
E uma braçada de rosas para mim!

Serias tu, o amor?
Transmites luz aos olhos e à alma também,
Soubeste ver o que só no sonho os olhos vêem;
No amor, o que vem pelo olhar é o principal,
Olhos de amor, cujas pálpebras sofridas,
Procuram espelhar todo o amor que queres desta vida!



“O mundo descoloriu”

Muita em gente ao meu redor e eu me sentindo só
Casa cheia, festa e dança e eu aqui feito criança
Multidão, gente falando e eu num canto, sonhando
O vazio se instalando e eu me martirizando

Alma triste em agonia, não ouço a sinfonia
Lágrimas chegam aos olhos, é triste a melancolia
O mundo perde a cor e a luz vai me ofuscando
O vazio se instalando e eu me martirizando

É o martírio da alma que sofre na solidão
A solidão é no espírito, solidão no coração
È o amor que partiu e deixou a sensação
Que o mundo descoloriu, vida perdeu a razão

Solidão é sinônimo de um coração sozinho
Que mesmo na multidão fica perdido no ninho
Fica triste e sem razão pra prosseguir o caminho
Necessidade de amor, beijos, paixão e carinho.

Jane Rossi




“A VIDA É AMIGA DA ARTE”

O PINCEL TRANSFORMA A TINTA
NASCE UM MUNDO DE ILUSÃO
E A TELA BRANCA E VAZIA
ENCHE-SE DE E EMOÇÃO

É O MUNDO DO FAZ DE CONTA
QUE VAMOS IDEALIZAR
E NA TELA AGENTE MONTA
UM MUNDO PARA SONHAR

E NA VIDA É ASSIM
SOMOS NÓS QUE DECORAMOS
PÁGINAS BRANCAS DA VIDA
DOR E ALEGRIA COLOCAMOS

NA TELA DA MINHA VIDA
QUERO ALEGRIA E AMOR
QUERO MUNDO COLORIDO
NEM TRISTEZA E NEM RANCOR

E QUANDO UM DIA EU PARTIR
MINHA OBRA FICARÁ NA GALERIA
VOU ASSINAR MINHA TELA
COM AMOR E ALEGRIA.

JANE ROSSI




Felicidade

Chuva de estrelas caindo
Fogos de artifícios no ar
Benção que vem fluindo
Colorindo o caminhar

Alegria renovada
Explodindo o coração
Arco íris na estrada
Pura realização

É sonho concretizado
É a promessa cumprida
Deus mandando seu legado
Nesta vida tão sofrida

É outra pagina agora
Uma mudança total
Tristeza ta indo embora
Milagre celestial

Jane Rossi



Beija-flor

Voa o pequeno pássaro.
Rubi, esplendor emplumado.
Voa o beija-flor,
ave-poema alado.

Paira poesia imóvel.
Minúsculo para ser um soneto,
pequeno, 5 ou 6 versos.
De for em flor...poemeto.

Lenise Marques




Amor sem igual

Busquei em ti tudo de bom
Queria ser feliz me entreguei
Amei-te mais que tudo
E nos teus carinhos me deixei

Era tudo aquilo que sonhei
Minha ambição possuída
Minha alegria vivida
Minha paixão incontida

Momentos contigo eu vivi
Sei jamais voltarão
Com voce aprendi que amor
A gente conquista
Com persistência e devoção

Mas como tudo que é bom dura pouco
Hoje estou sem voce aqui
Pois a fatalidade te levou de mim
Meu coração chora numa tristeza sem fim

Anjopoesia



Busco-te em meus olhos

Busco-te em meus olhos
Fico num olhar infinito
Perdido, triste, sem sentido
Apenas revivendo do tempo;
Passado; belos instantes...
Saudades, lembranças...
Fico preso em sentimentos.

Busco-te em meus olhos
Sem saber onde te encontrar.
Onde agora estás?
Pergunta sem resposta...
O tempo passa como vento
Leva tantos planos
Tantos sonhos, tantos momentos...
Só não leva voce pra longe
Permanecendo dentro de meu Ser.

Busco-te em meus olhos
É uma saudade tamanha
Que fere minhas entranhas
Sem a esperança da luz
Que ao menos seu raiar
Possa surgir no horizonte
Ainda que distante.
Fico a agoniar a dor
De perder este grande amor.

Ataíde Lemos




Amazônia é dos brasileiros

O Brasil é dos brasileiros
E não dos estrangeiros.
Aceitar e ouvir opiniões
É necessário, não tem nada de mais
Porém, o que não pode jamais
São tais nações
Insistentemente palpitarem
Repletos de insinuações
Que não passam de mera hipocrisia.

Falam que destruímos a Amazônia
Porém tais nações que murmuram
São os grandes do planeta destruidores
Com agentes altamente poluidores.

O Brasil é um gigante a despertar
Com invejável potencial
E com o tempo há de ser tornar
Uma potência mundial.
Isto causa inveja e medo
Daqueles que hoje estão no topo
Então ficam aqui, acolá
Com jogo de palavras
Querendo nosso país intimidar.

Ao invés de palpitarem
Que fazem sua parte
Cuidando do meio ambiente
Restringindo os poluentes
E não se intrometerem
Em outras soberanias
Com desculpas esfarrapadas
Fazendo meramente demagogia.

Ataíde Lemos




"Eu sei quando tu vens"


Não preciso sondar os pensamentos
nem consultar meu vasto coração
para saber os dias e os momentos
em que me vens trazer consolação...

A mim me basta olhar pela janela
e abraçar a manhã no meu jardim,
pois sei que a claridade que vem dela
é a luz do teu amor dentro de mim...

Deixo a brisa tocar a minha face,
ouço as aves que vêm me visitar
e sei de cada rosa que renasce
o teu mágico instante de chegar...

Converso com o vento no telhado
onde o tempo costuma te esperar
de um futuro presente antecipado
por anjos que me vêm te anunciar...

No canteiro de beijos e jacintos
o odor suave de uma flor qualquer
inflama de desejos meus instintos
famintos de teu corpo de mulher...

Então eu sempre sei quando tu vens
sem que precises avisar-me quando...
O amor proclama quando tu me tens
e me prepara quando estás chegando.


(A.Estebanez)




CIRCUNSTÂNCIA

Algo que escutas entre o mar e o vento
algo que perdes entre a onda e a areia
um vago instante de algum pensamento
à luz que há entre a chama e a candeia.

Algo entre o aroma, a brisa e o relento
fios que urdidos entre a aranha e a teia
vibram em mim de um átimo do tempo
a chama desse amor que me incendeia.

Em minh’alma inda incólume à deriva
nem sei o que fazer do que ainda resta
de meus barcos de bruma sobre o mar...

Faças de mim a tua circunstância viva
e desses restos me celebras uma festa
e o que ainda resta é para eu te sonhar...

A. Estebanez


AMOR CIGANO

Quero fazer amor só com você
o amor do jeito que você quiser...
O amormania pelo amor de ser
amado por você deusa e mulher.

Pode ser nas estrelas ou na lua
de pele nua numa flor qualquer
amor secreto como o sol na rua
onde sentir meu cio me couber.

Amor sacro de súbito profano
nas relvas do luar e à lua acesa
amor vino de rosa amor cigano
amor e mito de mulher e deusa..

Só por você eu quero ser amado
do jeito como o seu amor quiser...
Tal como faz o ser desesperado
de amor cigano por uma mulher...

A. Estebanez



MYSTERY

Como a noite no encontro vagaroso
com o dia nas fímbrias do horizonte
vem teu sentido ao ímpeto amoroso
de me tomar a mim por teu amante.

Porém não sei haver tão venturoso
destino que me mate e desencante
desse amor feiticeiro e olhar ditoso
de um gozo que me faz agonizante...

Amar é abismo oculto numa estrada
pois que mistérios de princípio e fim
o que nem mesmo Deus deve saber...

Da alcova de minh’alma apaixonada
meus olhos dizem coisas sobre mim
que meus lábios jamais podem dizer...

A. Estebanez
(Homenagem Especial a Raul de Leoni
– Academia Brasileira de Poesia)






Se...

teu coração desenhasse
sonhos
madrugadas proibidas
fossem memórias
quentes
invólucros naturais
de sensações palpáveis
notas que por si só
vibrassem
loucas línguas
salivassem
partículas heterogêneas
desprendessem
transmutassem
e entre si
amalgamassem...

...Seria a química perfeita
meu amor!


Lúcia Gönczy






Salvo engano, protegida dúvida

Quero sentir no ar suave
que ao verão encerra
brisa doce que nos traz o outono
fragrância de ambição sutil
e sensual espera

O perfume que se evade
da memória dos anos

Quero descobrir o amor
no limiar de um desejo
que escondido nas entrelinhas
poderia estar

Ah, benfazeja temporada
onde não caberão mais enganos
Quando te encontrar
oh, alma de livre sonhar
vou amar-te eternamente.

Ah deixe-me estar, pois estou pronto
Longos foram os períodos de degelo
que me desfizeram
como à estações de vida
em que a ventura se apresentou

Ah! Poder estar, poder ficar
talvez, pelas muralhas oclusas
do texto poético, procurando
à luz mortiça, o portal
da intensa luz de um reencontro

Ricardo Sant´Anna Reis & Juçara Valverde





DEDILHANDO

QUANDO MINHA VIDA
REFLORESCER
TALVEZ VOCE POSSA
COMPREENDER
ESSE MEU BEM QUERER
GUARDO MEUS ENLEIOS
NO RECATO SUBLIME
DO MEU PEITO
QUE HORA
DESCANSA NESTE ANSEIO
DE UM AMOR MANSO
TÉRNO , DOCE
VERDADEIRO, INTEIRO
DEDILHO NO VELHO PIANO
UM SOPRO
QUE AINDA ME RESTA
OLHANDO PELA JANELA
O VELHO TEMPO
DAS LINDAS SERENATAS
DO IPÉ AMARELO
QUE AINDA FLORESCE
E NO CHÃO
AS FOLHAS SÊCAS
BAILANDO AO VENTO
COMO SE ESTIVESSEM
OUVINDO A CANÇÃO
QUE MEUS DEDOS
DEDILHANDO VÃO.

CASSIA DA ROVARE



Luzes cintilantes
À Márcio Galdino

Observei seu jeito meigo
e sorri...
Você faz a diferença,
sempre deixa sua marca.
Tem brilho pessoal.

Olhos brilhantes e felizes,
brincam de falar...
Mas também já vi chorar,
por tantos motivos.
Demonstra a delicadeza da alma.

Você nasceu também em mim.
Na nossa vida somos afins,
somos irmãos, somos mais...
Somos sementes de um mesmo fruto,
fomos acolhidos por um mesmo ventre.

Já vi Luzes cintilantes
caírem sobre você.
Calei para agradecer a Deus.
Sua existência, sua amizade...
Nosso amor !

Mônica Galdino, 18.05.2008



Pista falsa


Ah!... Quantas vezes nós andarilhamos,
Seguindo a rota de alguns leves passos.
Crendo que o amor que tanto buscamos,
Estejam ali em sinais tão escassos.

E quantas vezes nós nos encantamos
Com o mero acudir de alguns abraços,
E prontamente neles entregamos
A ânsia de deitar nossos cansaços.

Porque será que somos atraidos
Por algo assim que tão pouco realça?
Sei não!...é Que andamos tão desiludidos,

Que nossa mente em desatino alça
Visões de alguns tesouros escondidos.
...Mesmo sabendo que é uma pista falsa...


©Jenário de Fatima.


Eternas Rosas...

Contemplo-te Rosa...
Agora morta, marcando o livro que lhe guarda...

Busco-te Rosa...
Pétalas secas, vida presa entre letras...

Choro-te Rosa...
A mão que ti colheu, enxuga agora as lágrimas de sua própria
tristeza...

Pergunto-te Rosa...
Qual tua culpa por tanto perfume e beleza?

Entenda-me Rosa...
Por amar te colhi, como presente te usei...

Perdoe-me Rosa...
Te sacrifiquei por comparar-te a quem tanto amei.

(AlexSimas)


Primeira Confissão


Confesso que causei dores

deitei ao sereno

me umedeci de orvalho

confesso que chorei ao acaso

lamentei abafar o caso

gritar meu peito raso

confesso que parti muito mais que cheguei

que sonhei mais que realizei

que voei mais que pousei

confesso ah confesso sim

sei que não tem fim

que sempre haverá começo ,meio e jazz.....mim.


Neguinha Mucelli




"Dentro dos Olhos"


De onde será
Invento os sonhos que não tenho?

De palavras bem ditas e mal ditas
Ao passar da leveza e da brisa
E por elas levadas?

De olhares intrigantes e deixados
Escondidos atrás da porta
Que o vento fechou?

De gestos ímpios e invisíveis
Gravados no deserto da alma
Que as tempestades apagaram?

De onde será vêm
Os sonhos que não consigo ter?

De mim mesmo
desenganado e fragmentado
Ou de minhas imagens
refletidas nos cacos do espelho
Que se quebrou de tantos desencantos?



(Oswaldo Antonio Begiato)




IRRECOBRÁVEL
Oswaldo Antônio Begiato

Em toda minha vida
tive um único instante
de lucidez.

Foi quando invadiram-me
e roubaram-me
a precisão.

Não consigo mais
colocar o pingo nos is.

Não consigo mais
soletrar as palavras.

Já não sou mais preciso.





Labirinto



Estou em um labirinto
À medida que ele se estreita
Eu vou me desfazendo de mim


Fui largando os véus pelo caminho
Fui deixando as portas abertas
Fui deixando os zelos
Os planos


Tantos laços desfeitos
Tanto adeus


Quero voar
O medo me deixa no chão
A peneira escorre no relógio do tempo
O resto de ilusão


A vida me grita
Não há tempo
Voe___

GLORINHA ANCHIETA



Quem somos nós?


Sou a estrela que brilha na imensidão
Misturadas entre tantas outras, solidão.
Sou o sol ao amanhecer no horizonte
Raiando brilhos de tristeza atrás dos montes
Sou o relâmpago tentando clarear
As nuvens escuras, pura loucura.
Sou a água que nasce nas pedras
Desabando em gotas numa lagrima
Sou o coração machucado
Que sofre calado, maltratado.
Sou a arvore solitária
Em meio às campinas
Sou a ave de rapina
Ou gaivota na marina
Sou símbolo do amanhecer
O por do sol ao entardecer
Sou filho, sou Pai, sou amigo,
Sou irmão, sou tio, sou primo,
Sou cunhado, sou amado,
Sou um pedaço de você
Uma partícula, viva em seu coração.
Sou a esperança, desesperada.
Que luta, luta e não dá em nada...
E você já sabe quem você é?...


Ledemir Bertagnoli


POEMETO SEM PÉ NEM CABEÇA...

Quero o que quero
Mas se quero, não poço
Querer o que quero...

Querer e não querer!...
Que fazer? melhor não querer
Querendo complica... mas

Não tendo, sinto saudades
Mas querendo não tenho!...
Porem não querendo, sempre

Tenho no pensamento o querer
Ah!... como te quero bem!
Querendo e não querendo

Sempre terei o querer, na m'alma!
Esse querer que é todo do teu.
Ficar sem te querer?...
É improvável meu bem!

(Zia Marinho18/10/07)


Retrato em preto e branco...

Alguns escritos largados, umas frases banais. Algumas poesias soltas de tristezas salgadas. Alguns verões, primaveras, outonos e invernos. Talvez algum comentário sobre o perfume, a música, salto alto, saia curta. Alguns efeitos especiais, umas caipivodkas, uns chopps, muitas risadas e o cheiro do mar numa adéga qualquer. O dentista remarcado, algumas tentativas e poucos envolvimentos. Talvez algum segredo na caixinha de perfume. Algumas dedicatórias nos livros, talvez outro segredo no retrato de olho fechado em preto e branco. Um carpete grosso azul marinho, no quarto do décimo andar de uma cidade qualquer, mais um pouco de saudades..." Flasch beck" , o show tem que continuar!

Mara Araujo.



Você em mim

Me transformo para você. Me transporto em você.
Tenho sensações e olhares de menina. Meus olhos ao te perceberem sorriem. Felicidade
se acomoda no peito, e senta! Atenta e curiosa, tentando decifrar cada átomo desta transformação. Cada nuance desta alegria que me veste a alma de flores e gosto de fruta madura, que escorre. Fazendo o coração descompassado, bater furiosamente forte. Aos poucos vai se acalmando, num enternecimento de amor.
Sublime, é a tua presença em mim.

Mara Araujo 20/05/08 19:30hs.




MÃE TERRA.

Terra, tu és o útero, onde a semente fecundou,
Com mão hábil; o jardineiro com amor semeou,
O tempo é o teu guia e a razão de florescer,
Tudo nesta vida; tem a hora de nascer.

A morte é a conseqüência de uma vida em flor,
Caminha sempre junta, para o bote aplicar,
Tão cruel e inconseqüente não conhece a dor,
De quem fica pra chora.

A mesma terra que acolhe para a vida gerar,
Também serve de abrigo, para o eterno descanso,
Vivemos os extremos, sem nada entender,
Pois o mistério existe, não nos compete interceder.

Autor: Poeta Mineiro


LUZ DA VIDA...

É estranho e intrigante,
Esse estado de espírito,
Quando penso que sou gente,
Da matéria sou detrito.

Fecho os olhos nada vejo,
Somente da janela - o escuto,
Tudo em volta é vazio,
Onde anda a luz que procuro?

De daltônico nada tenho,
Mas as cores embaralhadas estão,
Não vejo no espelho meu cenho,
Nem sinto o pulsar do coração.

Por onde anda essa luz?
Que do meu corpo apagou,
Essa luz tem um nome,
E o seu nome é o amor.

Volte amor, amor meu,
É você a luz do meu viver,
O seu brilho é a cura,
Para esse sonho não morrer.

Autor: Poeta Mineiro...
19/05/08 às 19h00min...



JARDIM DE SONHOS.

No jardim dos meus sonhos,
Colhi as mais belas flores,
Seu coração; o vazo onde ponho,
O arco íris de cores.

Em cada cor uma emoção,
Em cada flor um sentimento,
O adubo do seu coração,
É o amor sem sofrimento.

O branco é a leveza da alma,
O azul é o esplendor do amor,
O seu sorriso acalma,
Quem por você passou.

O verde, a cor da esperança,
Nos seus olhos estampado,
O encanto de uma criança,
De um coração enamorado.

Mulher, a dádiva mais preciosa,
Que nasceu para reinar,
Você e a fruta mais gostosa,
Que jamais deixarei de provar.

Autor: Poeta Mineiro



ALMA EM LUTO.

Vesti minha alma com luto da dor,
Tenho na retina sua foto revelada,
Sou prisioneiro nas algemas do amor,
Sou réu confesso nessa vida desgarrada.

A morte desse amor o culpado fui eu,
Por amar de mais esqueci de viver,
Dediquei toda a vida só para ti,
Hoje desiludido só me resta esquecer,

Não é fácil esquecer este amor intenso,
Que pulsa no peito esta grande dor,
Tenho a cabeça confusa já nem penso,
Só em lembrar no momento feliz que passou.

É triste, mas é real,
Sou um morto vivo a respirar,
Só falta este sentido banal
Deixar de existir para o sofrimento acabar.

Autor: Poeta Mineiro


BEM-VINDA
Bem-vinda,
Benquista,
Tão linda.
Tarde agora,
Te espero ainda.
Te esperarei bem mais.
Vem e me namora,
Me alucina, me satisfaz.
Sensualize minha vida.
Invada meus domínios.
É tão querida;
Tão grande meu querer.
O coração, deixei aberto,
Entre quando chegar;
Inunde este deserto,
Eu amo te amar.
Menina bronzeada,
Vinho e mel.
Mar, enseada,
Azul do céu.
Bem te quero,
Bem me quer,
Venha, te espero,
Chegue, te quero,
Posseira do meus sentimentos,
Prisioneira dos meus desejos,
Doces tormentos,
Rajada de beijos intensos,,
Choverá em nós dois
É minha; te pertenço.
Ontem, agora, depois!...
[gustavo drummond]



VIDA

Encanto de ser humano,
Criatura mais criativa,
Mes, hora, data, ano.
Sensibilidade mais ativa.
Meu anjo, ninfa, sereia,
Meus versos na areia.
Versos que o vento leva
Leva minha poesia
Á te chamar em chamas.
Corra em minha veia,
Compartilhe meu mundo,
Nossa alma e aldeia.
Nossos beijos ocultos,
Arás da cortina de fumaça.
Ns esquinas da vida,
Ns cinemas-mudos,
Balsámo para a ferida,
Meu mais, meu tudo.
Estrela do céu
Estrela da floresta
Estrela do mar,
Só me resta,
Indefinidamente te amar!
[gustavo drummond



Paixão Longínqua

Por ti
Festejo...
Vinhos, queijo
Na cabana
Da praia fria...

Lareira crepitando
Agreste...
Queimando
Os galhos secos
Do cipreste...

Tu... longínqua luz
Num rabisco,
Espias-me
Na nuvem,
Num corisco...

Ergo a taça...
Oh! dourado vinho!
E te bebo...
À saúde,
À saudade,
À sábia idade.

Tudo
Paira longe...
E como já disse
Não sou daqui.
Sou daí!
De corpo e pele
Colados
Em ti...!

Elïscha



Ainda tenho saudades

Não sei quê, se passa mais,
Com você meu amor.
Só sei dos meus sentimentos
São profundos,
Faz-me sofrer me faz chorar.
E nessas sensações
Que passa dentro do peito
Do meu coração
Dolorido que chora
Por não ter você.
E saber, que nunca mais voltaras
Só resta guardar suas recordações,
Das horas dos momentos felizes...
Autora:Marina Nunez& Vida Nunez!




Tortura

Choro e nem quero imaginar
Se já existe outra no meu lugar
Sim estou amarga e triste
Atordoada, depois que você se foi.
Quero-te mais, que tudo.
Não deixes que ás flores desbote,
Que todas as folhas sequem,
Que o nosso sol perca o brilho
E que os pássaros parem de cantar.
Choro quando vejo a lua
O céu, estrelado, os amantes,
De mão entrelaçadas,
Onde anda quem tanto
Faz-me sofrer, esperar...
Autora: Marina Nunes




Eu quero seu sorriso

Eu quero acordar as estrelas
Quando o sol aparecer
Fazê-las dançar no céu azul
E seu sorriso despertar...

Quero o perfume das rosas
Embriagando seu coração
Em cada pétala meu carinho
Em cada folha a minha mão

Eu quero segurar o vento
E em brisa o transformar
E canções de amor e esperança
Em seu ouvido sussurrar

Quero brincar de feiticeira
E num toque de mágica
Seus desejos realizar
Quero brincar de vaga-lume
E seu caminho iluminar
Mas, o que mais desejo
É UM SORRISO...
Estampado em seu olhar.

(Sirlei L. Passolongo)






A VIDA É ...

A vida é feita de momentos
Momentos tão bobos
Que nem percebemos
Momentos tão especiais
Que são únicos...
Não se pode vivê-los duas vezes...
Como é lindo o sol ao nascer
Mas nunca paramos para admirá-lo
E pode ser que um dia qualquer
Não consigamos mais olhar o sol.
Não valorizamos os momentos
Mais especiais que vivemos...
Ao lado das pessoas que amamos
Ao lado das coisas que gostamos
E então, pode chegar um dia
Que mais nada poderá ser vivido.

Valorize! Ame!
Cada momento de sua vida!

(Sirlei L. Passolongo)




"Ando sentindo saudades de você. O detalhe é que quando paro de andar também sinto! Nada que um beijo e um abraço não resolvam, mas isso só até a próxima caminhada ou até o próximo banco de uma praça florida e perfumada de poesia".
(Regis Caserta)





SONETO DAS ROSAS DE AMOR

Sobram-nos flores nessa representação do amor
Vermelhas rosas, no jardim cheias de brilho
E são vermelhas pois demonstram o calor
Que nossos corpos sempre têm quando juntinhos

Dar-te-ei flores, essas rosas mais vermelhas
Que brilham mais do que brilham as estrelas
Que queimam mais do que queimam as labaredas
Que representam nosso amor... oh minha Deusa

Rosas vermelhas com os caules sem espinhos
Entoando o nosso som bem de mansinho
Entoando nosso amor sem desafino

Vermelhas rosas que nos fazem então sonhar
Sonho que encanta na razão de apaixonar
E que na sua plenitude... só nos faz querer amar

Adriano Hungaro



“Não quero ver-te triste ”

Se ficares triste,ficarei também...
Para não permitir que teu coração
Derrame pranto sentido
Eis que te ofereço o sol que abre
Teu dia com boas novas e esperança,
O sorriso pueril da criança que te leva
Somente ternura...

A chuva que trás água límpida para
Lavar teus desencantos e dores.
A rosa amarela que encherá de brilho
Teu olhar e em tuas mãos perfume há
De impregnar...

A doçura do amor que eleva tua alma
E descobres que vale a pena amar
E que se sentes saudade é porque nada foi
Em vão...

Se ficares triste uma prece
Pensando em ti farei...
No silêncio do meu querer a chama
Da alegria aquecerá teu viver...

E ver-te-ei novamente feliz...
Gozando da vida que tens e que é
Dádiva divina.
Se for para florescer teu sorriso
Mais sincero...
Amor, tudo farei!...

(Cida Luz)



DESENCONTROS...

Foi na ânsia de segurar-te
As mãos que me perdi...
Somente o vão de desejos
Ficaram na ilusão de um amor
Condenado a sofrer...

Resta o olhar em horizonte
Incerto a espera da
Estação fria, que cobrirá
O coração que um dia sentiu
O calor da paixão
Aquecer o coração...

Desencontros do destino...
Apenas verdades de uma realidade
Crua, inevitável...
Um amor que não pode ser,
Vidas marcadas por
Vontades reprimidas...
Lágrimas apaixonadas,
Perdidas no silêncio
Da alma...

(Cida Luz)




Assim serei

Ser-te-ei algum verso rabiscado
ou quem sabe...
algum poema declamado
e feito por mim para ti.
Ser-te-ei um amor seguro
e cheio de desejos,
ridente, sem medo
e apenas louco para te amar.

Ser-te-ei o meu amor no teu,
beijo-a-beijo,
palavra-a-palavra
frase-a-frase
eu-a-eu
tu-a-tu.


Ser-te-ei um mar cheio de vida,
um abraço atrevido,
uma mão sentida
nos corpos do teu corpo amado.
(Paulino Vergetti Neto)



Anjo …

Um perfume cítrico,
Chega até mim,
Junto uma segurança,
Indescritível...
Sinto o peso de uma mão,
Sobre minha cabeça,
E uma paz imensurável,
Invade meu coração...
É um anjo!
Pareço explodir de emoção.
Silencio e de repente...
Eis que vejo o semblante,
Maravilhoso, e quando ele se vai,
Sinto suas asas esbarrar-se em mim,
Como se fosse um canto,
E sou tomada de um sentimento,
Que não há palavras
Pra descreve-lo.
((Valquíria Cordeiro))






ARREPENDI-ME

Dos corações que machuquei,
Das paixões que não vivi,
Dos amores que deixei,
Dos olhares que não vi.

Das feridas que criei,
Das noites que perdi,
Das lágrimas que derramei,
Dos momentos que esqueci.

De tudo que aprontei
Da vida que vivi
Eu sei que errei
E como eu sofri

Mas também amei,
E disso não me arrependi,
Por isso eu mudei,
No momento em que te conheci.


Flávio Cardoso Reis



Nossos Momentos

Flashes que passam
Diariamente em minha mente,
Olhares e carícias,
Intimidade e liberdade,
Beijos e malícias.

Brigas e desentendimentos
Reconciliações ardentes
Noites calientes,
Vivas em pensamentos.


Flávio Cardoso Reis



FÁBULA DIFERENTE

Movido por uma paixão
Guiado por um encantamento
Aprisionado por uma ilusão
Libertado por um sentimento...

Um conto de fadas
Que se iniciou em uma prisão
Em uma torre de espinhos
Que se encontrava
Um coração...

Um sopro de dragão
Fogo de paixão
Preso a correntes
Libertado por uma deusa
Atraente

Uma masmorra de sonhos
Um mortal e uma diva
Vivendo intensamente
Ardendo em chama viva

Em meio a serpentes
Sem donzelas em perigos
Nem príncipes valentes
Somente um abrigo
Em uma fábula diferente.

Flávio Cardoso Reis


JARDIM

Um jardim
Regado de paixão
Plantado no coração
De um amor sem fim,

Uma semente germinada
Eu te vejo assim!

Um jardim
Feito prá mim,
Sua pele macia
Feito pétalas
Com essências
De Jasmim...

Beleza em detalhes
Mas parecem entalhes
De um paisagista renomado,

Um jardim personalizado
Me deixa encantado
E dá vida a um apaixonado

Quem dera todos pudessem
Ter um jardim assim
Por isso me sinto culpado
Da felicidade conquistada
Através de minha namorada
Que plantou isso em mim

Dia 12 de junho
Dia dos namorados
Espero que todos
Possam colher flores
Do seu próprio
Jardim...

Flávio Cardoso Reis







Me proteja de mim


Me proteja de mim
me ajude a encontrar um caminho
um lugar onde eu possa ficar
quando essa dor chega e me desarma

Me proteja de mim
deixe que eu encoste a cabeça em teu ombro
fala-me mansinho e devagar
me diga que essa dor vai passar

Me proteja de mim
me segure pelo braço
quando eu pensar em desistir
e querer partir

Me proteja de mim
não deixe que eu
tome decisões precipitadas
nem desista no meio da estrada

Me proteja de mim
quando eu chorar
aquieta meu coração
com uma canção

Me proteja de mim
me colocando junto a ti
vem...vem pra mim
e me proteja de mim

Rosane Silveira





Uma parte


Então o ser dopado, estremece, ao som
A fumaça atordoa teu semblante
Ele sabe que a luta é eminente, e reluta...
Em seus olhos uma lagrima escorre
Filhos, irmãos e pais o cercam e protege
É um rei.

Seu sentimento coloca a razão
Seu coração bate com o tambor
Um pensamento:
- Seremos livres de opressão, escravidão...

Quem o rodeia não exita
Seu ser compreende a fúria ignorante
O escudeiro olha fixo ao além
- Não terão e não teremos, pena...

O sol desfalece, o vento empurra o nevoeiro
Teremos sorte diz o grande entre os homens
Pois este espaço é nosso, a terra é nossa...
- hoje não perderei um bravo...
Essas águas são nossas, no final sorriremos...

............” Catarino Salvador “.



Magia em noites claras

Em uma noite quente
Ascende-se as luzes no arraial
Ascende-se a lua e as estrelas
A lua cheia faz da noite um dia
E nos convida ao quintal

A viola chorosa encostada ao peito
Entoa com o violão, em acordes refinados,
De uma bela canção
Nas vozes dos trovadores, ouve-se alegrias e paixões
Em versos que diz de amor
Que diz de dor, em cantigas de raízes,
Folclores e historias já vivida...

A lua permanece bela
As estrelas se multiplicam
O arraial se arre fresca
Neste quintal somos poeta.

...........” Catarino Salvador “.






Seqüestro Passional (Marcelo Mourão)


a palavra é pra mim
como o peixe é pra quem pesca
pescador paciente
sempre espero a hora certa

palavra é bicho do mato
(matreira feito o corisco)
um passo em falso
e caímos os dois
em íngreme precipício

cada palavra escolhida
registra a alma
e não mera caligrafia

a palavra vive em mim
é meu sangue e minha sina
23/10/1998



Fulminante raio (Marcelo Mourão)


Transborde
Cresça em mim
Me afogue
Um rio sem fim
Ultrapasse a borda
Saia pelos lados
Traga a corda
Me deixe enforcado,
Lotado, parado
Gritando socorro
com os lábios lacrados.

28/10/1998





ACORDANDO COM O PÉ ESQUERDO

Hoje logo ao levantar
o Sol veio me prometer:
Terá um dia lindo,
problemas não irão haver!

Fui tomar o meu café,
renovada de esperança.
Faria um café de rainha
prá rechear a minha pança!

Mas logo que cheguei à cozinha,
já me veio a frustação.
Algum guloso chegou antes
e abocanhou o meu pão!

Fui tomar o meu bainho,
meio que contrariada.
Mas ao abrir o meu chuveiro...
OPS! Só tinha água gelada!

Decidida, resolví,
na rede ir relaxar.
Foi quando nela sentei,
e começou a rasgar!

Já muito fula da vida,
numa pedra tropecei.
Com a cara no chão resolví,
reclamar pro astro rei.

E quase cega pela luz,
e ainda de pijama,
dei meu bom dia pro sol,
e voltei prá minha cama!

(Mell Glitter)



APRENDIZ DA VIDA

Chorei um mar de lágrimas
e com elas reguei meu coração.
A dôr resolveu partir,
com medo da inundação.

De cara lavada e peito aberto,
liberei minh'alma prá vida!
Abrí as portas da liberdade
e fiz minha vida colorida!

E não tive medo de amar,
nem de errar novamente.
A força, de mãos dadas comigo,
guiava meu coração e mente!

E nos caminhos da vida
novas batalhas enfrentei!
E foi nos momentos mais difícies,
que fortalecida, não chorei!

Pois a dôr que me açoitaste,
deixara-me uma lição:
a infelicidade só é destino,
se você lhe der atenção.

Pois a vida tem suas metas,
e você tem a direção.
Ou diz sim prá toda dor,
ou prá ela grita NÃO!

(Mell Glitter)



ABDUÇÃO

Ele não é desse mundo.
Seus olhos, sua boca, suas mãos...
Tanta perfeição só pode vir
de uma outra dimensão.

Ele lê meus pensamentos
e sabe de todos os meus desejos.
Me paralisa e enfeitiça
sempre a me matar de beijos.

Creio que fui abduzida,
pois estou entregue as suas vontades.
Ele me controla de tal forma,
que seu mundo é minha única verdade.

(Mell Glitter)




ECLIPSE

A Lua casou-se com o Sol
e teve festa no céu.
As abelhas, convidadas,
levaram favos de mel.

O vento levou o frescor,
as flores toda a beleza.
E a orquestra ficou por conta
da bela Mãe Natureza!

E era só alegria,
nunca viram tamanho amor.
Até que a Lua desmaia,
por sentir tanto calor.

O Sol preocupado
da Lua então se afastou.
Ficara entristecido
pelo mau que lhe causou.

Mas era amor demais
para viverem afastados.
A realidade era dura
prá esses dois apaixonados.

E Deus vendo tanta tristeza
e sendo dono da criação,
resolveu fazer por bem
uma nova condição.

Uniria Sol e Lua
num tempo da dimensão.
E prá matarem as saudades
se faria escuridão.

Assim nasceu o Eclipse,
filho desta união,
que venceu todas as barreiras
em nome de uma paixão!

(Mell Glitter)



Antes é passado!



Avassalador é seu poder a me seduzir,
Não sabes o tanto quanto pode me induzir,
Escravo que sou de sua paixão dominante,
Eu que era errante sito-me agora, infante!

Seus olhos são lagos de mergulho profundo,
Se me tocam, esqueço a vida, esqueço o mundo,
Eu perco a voz, perco a razão, eu fico mudo,
Quando me olhas me desveste, eu me desnudo!

Tua boca tem o poder de me calar,
Me sinto rocha mergulhado em teu mar,
Submerso, protegido, sou verso a cantar,
O quão sublime, o quão gostoso é lhe amar!

Sei! Em sua vida sou um pequeno grão de areia,
Pois em mim saiba! Você é paz que me permeia,
Estou preso em você como pétalas de rosa na teia,
Antes, já é passado! O futuro consigo me anseia!


Santaroza

Asas partidas!



As flores estão todas a perfumar o jardim,
Mas mesmo assim há um vazio em mim,
Sou prisioneiro de um desvairado amor,
Não posso então sair para beijar a flor!

Dói-me na alma a certeza fria,
Que não demora chegara o dia,
Em que solitário morrerei cantando,
Nessa gaiola em que vivo trinando!

Sou pássaro que já não mais pode voar,
As assas que eu tinha já não têm mais par,
É passado a conjugação do verbo amar,
Dor que me dói a todo instante sem parar!


Santaroza


Lua!


Ontem ao meio da noite a lua era dona do céu,
Um magnífico espetáculo de se tirar o chapéu,
As sombras se intimidaram com seu olhar dourado,
Eu também, boquiaberto, fiquei ali extasiado!

A natureza é um espetáculo que só quem tem olhos vê,
É uma tábua de letras que nem todo mundo lê,
Em noites assim o coração me abandona e toma asas,
Em noites assim os sentimentos borbulham em brasas!


Santaroza-



Jasmim!



Não há mais gerânios na janela,
Murcharam todos de saudades dela,
As mesmas que me tomam de assalto,
Lavas que me queimam, em basalto!

A quando então, a noite chega em lua cheia,
Meu peito arde, a vista molha é uma peleia,
Mesmo de longe ainda moras, dentro, em mim,
Ainda sinto tua presença em noite assim!

A rede chama balançando na varanda,
Estrelas correm em brincadeira de ciranda,
O vento sopra, mas já não traz o teu perfume,
Lágrimas rolam embalando meu queixume!

Fazer o que se o destino quis assim,
Ponto final. Mas esse amor não teve um fim,
Pois esta claro, que como brasa vive em mim,
Foram-se os gerânios, mas ainda tenho o jasmim!


Santaroza



Á caminho!


Não tenho mais a primavera dentro de mim,
O outono foi chegando e me deixando assim,
Como as folha varridas daquele ipê lilás,
Esparramadas ao chão como num tanto faz!

Mas como sou pássaro de temporada,
Buscarei para mim outra morada,
Chorar pra que? A vida é assim,
Uma busca constante e sem fim!

Um dia, por certo, encontro novo verão,
Mesmo que apenas em meu coração,
Não dizem que a fé é a ultima que morre,
E quem a tem é em deus que se socorre!

Pois então! Estou á caminho do verão,
E nem me importo qual seja essa estação,
Estou certo que será maravilha,
Mesmo que ao final seja só uma ilha!



Santaroza






Quero

Quero um beijo teu
calando minha boca
sorvendo e umedecendo
meus lábios sequiosos

Sufocando a saudade
o desejo insaciável
que a minha boca
sente da tua...
(Van Albuquerque)


Ilusão




Vivi uma paixão insana
com tanta intensidade
deixei me levar, sem forças para
parar, este fogo que não queima
faz nos sentir viva, nos engana.


Hoje fujo desta paixão tentando;
me arrepender sem conseguir
vou levando, pois e tão bom viver
este sentimento insano.


E um sentimento sem amor
que nos prende por engano
nos toma como um ladrão
roubando meu coração.

Quando passa vem a tristeza
não ter fugido deste sentimento
Só o silencio ficou entre nos, tempo perdido.
nada nos deixou! sós lembranças ficou.



Eliza Gregio



“Provação”

Obrigada, oh! Pai, por sua infinita bondade,
Obrigada, por me trazer tantas felicidades,
Levando esta minha enfermidade, trazendo
alegria de viver.

És meu porto seguro e a razão do meu viver
Sei que sou provada pelo mal, com ferro e fogo
Mas não desanimo, sempre levanto e corro.
Não deixo o mal predominar meu ser


E que pela carne, me faça sofrer
Tenho tantas felicidades a viver,
mas que começa tão tarde,
e quer acabar tão cedo

Tira-me do laço do passarinheiro,
Carrega-me em seus braços
Oh! Pai...me deixa viver...

Eliza Gregio





só há uma forma de se estar perto
quando se está muito longe:
se fecha os olhos, bem forte,
e pensa e deseja muito, muito, muito
estar juntinho de quem ama.
Porque no amor tem dessas coisas
...a gente só não pode abrir os olhos
...a gente só não pode deixar de acreditar
(Cáh Morandi)




"À FLOR DA PELE"


Vens breve
como a brisa
quase sempre
à flor do tempo.

Ficas-me no entanto
indelevelmente
à flor da pele...

como pétala de Outono
num gesto de adeus!

ou
um som diáfano
musicado pelo vento!

Vens breve
como os dedos da noite
abandonadamente.

LuizaCaetano



"SOMBRAS SILÊNCIOSAS"

Sentas-te na Primavera
desse terraço de sonho
e
para ti
correm todos os meus rios,

Debruças-te
sobre
um parapeito
de
rosmaninhos sonâmbulos
que o rumor da água
desperta,

no espelho do teu rosto
apenas
a sombra e o silêncio
ferindo saudades,

Enquanto
a inclemência
do tempo
tece fios vermelhos
nas velas dos navios
que não voltam

LuizaCaetano





"GRAVIDEZ"

Te ofereço o Sol

Nesta manhã vermelha
de partos ensanguentados.

alvoroço de auroras,
de seivas,
de cheiros e de brisas,
esotéricamente
engasgados
no coração da vida.

Meu tronco! Minha Raíz!
Sinfonia de pássaros
sobre as folhas do orvalho.

Meu Sol ensaguentado
sémen semeado na terra
onde crucificadamente
me penduro feliz.

luizacaetano


Como ventania chegou... Com grande força!
Encontrei-me, e sem problemas... Vi tal ventania transformar-se em brisa... suave brisa dissipada, encontrada num final de dia! Não! Não é tarde demais... Enfim, meu Eu Interior convidou minha mente a sentir um silêncio perene... aquietando serenamente minha alma e apenas pela força do olhar conseguiu expressar sem nem precisar falar... Amas a ti mesmo, primeiro e o excesso compartilha com o próximo, recheado de carinho...
Sigrid Spolzino



Aviso Feliz
Pare, nem respire
Pense, no reprise
Sinta, batida do coração
Olhe, linda emoção

Naquele aviso que li
Trouxe algo feliz
Uma lembrança de ti
Há muito que refiz

Pare, este amor é feliz
Pense, na sensação que te fiz
Sinta, meu coração batendo
Olhe, quanto estou amando

Nas escritas repetidas
Trazem muito de ti
Muitas palavras ditas
São escritas o que senti
Carlo Magno





Indomável


Despenquei
Volátil
Acarinhei-me
Ao pó do vento
Debandei
Versátil
Acetinei-me
Ao nó do evento

Arejei-me
No escuro
Com garra
Fragor despedi
Agucei-me
Do furo
Com tara
Frescor despi

Demolidora
Peneirei o sumo
Aragem revidei
Devoradora
Perverti o rumo
Passagem reinventei

Assim altivei
Moldura
Na paisagem
Cratera cinzenta
Lacerei severa
Afim avivei
Figura
Da selvagem
Fera opulenta
Liberei pantera


[ Cris Poesia ]


DEVANEIOS NOTURNOS

Em seu lindo vestido negro
Bordado de estrelas brilhantes
Surge a noite
Que sorri
Para o dia que se vai
Com ela surgem
Os amantes,enamorados
Os enlouquecidos, tresloucados
Surgem os sonhos e os medos
As mentiras e os segredos
As alegrias e as decepções
A amor sincero
E suas emoções
E, da sua janela
Embevecida pelos seus encantos
Espia a lua
Essa noite tão linda
Elegante
Bela!

Claudete Silveira

12 Comentários:

  • Amiga, quanto mais te conheço, mais te amo!!!!Vc é maravilhosa em tudo o que faz.Vejo o seu carinho e dedicação com este jornal.É de uma responsabilidade incrível, e vc faz com paixão!
    Parabéns Martinha!!!Te amo,viu?

    Bjnhus

    Por Blogger Mell Glitter, às 20 de maio de 2008 16:45  

  • Marta,quanta beleza existe em seu trabalho! sempre surpreendendo...
    só tenho a agradeçer, pois aqui nesse cantinho especial, alimenta e muito a alma de cada um com tão belos textos! Parabéns... Por sua dedicação e pelo seu trabalho...

    Agradeço o carinho e a oportunidade...

    Abraços e muito sucesso!

    Por Blogger Flávio Reis, às 20 de maio de 2008 18:16  

  • Querida Marta,
    Obrigada pelo carinho que tens com minhas poesias e também por divulgá-las aqui em teu site!!

    Um beijo!
    Cáh Morandi

    Por Blogger Cáh Morandi, às 21 de maio de 2008 15:42  

  • Oi Amiga Marta,
    Seu Jornal O Rebate é íncrível. Aqui encontrei como nossa amiga Neneca falou, muitas pérolas que vc pescou.
    Parabéns!
    Sua Generosidade e capacidade literária é fantastica. Muito Sucesso pra vc.
    Bjos!!

    Por Blogger mônica, às 21 de maio de 2008 16:01  

  • Adoro seu trabalho e o carinho com que nos recebe
    beijos, querida Marta,e toda minha admiração
    Karla Julia

    Por Blogger Campo de Orqu�deas II, às 29 de maio de 2008 12:54  

  • obrigadu por acreditar em meus textos´poeticos,, beijs Edivan

    Por Blogger Poeta da Zona Leste!, às 12 de junho de 2008 17:01  

  • Amiga, quanto mais convivo com vc e com esses poetas maravilhosos tenho certeza: o amor sempre prevalece. Quanto amor há nessas linhas maravilhosas desses poetas mais maravilhosos ainda
    Obrigada por postar tão simples fragmento meu.
    Mil beijos poéticos em tua alma.
    Te amodorooooo demais

    Por Blogger VIDA EM POEMAS, às 12 de junho de 2008 17:11  

  • Amiga Marta, obrigado por existir e pelo teu trabalho magnífico, também e por este gesto lindo em ajuntar os amigos virtuais neste grande barato que é a Poesia. Poetas e seus dizeres, cada um com seu jeito de expressar sentimentos e paixões, cada qual com sua maneira ímpar de falar de Amor. Meus beijos e reverências minha amiga, aos POETAS, todos eles, meus respeitos! Ao Jornal O Rebate, meus Parabéns! (Marçal Filho)

    Por Blogger Pedra Lisa, às 12 de junho de 2008 17:14  

  • Que trabalho maravilhoso, estou encantada com tantas referências lindas a essa chama no peito chamada amor, lindo demais tudo que eu li...beijinho

    Por Blogger Glórinha, às 12 de junho de 2008 20:12  

  • Marta, amiga , que maravilha chegar aqui e ver essa beleza de homenagem aos namorados e enamorados....Lindo. Adoro chegar nesse cantinho, encontrando minhas poesias e de meus amigos poetas, a quem admiro tanto. Querida poeta, que Deus te ilumine mais, a cada dia! POEBEIJOS.

    Por Blogger Stella Vives, às 13 de junho de 2008 19:29  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger Stella Vives, às 13 de junho de 2008 19:32  

  • [RED][B]
    MARTA PERES AS POESIAS
    EDITADAS NO O REBATE SÃO SIMPLESMENTE MARAVILHOSAS
    PARABENS,DEUS TE ABENÇÕE!!!
    ROSEMARI RODRIGUES VEIGA.

    Por Blogger rosemari, às 15 de junho de 2008 14:30  

Postar um comentário

<< Home