.

sábado, 22 de novembro de 2008

Poesias, São Para Sonhar!


ONDE ESTOU
Onde estou que não te vejo?
Andei por onde andam
águas lamacentas...

Pisei chão de andorinhas vis,
rondei charcos
de escaninhos tais
que humilhou ao meu negro coração.

Então chorei...

Voltei aqui.
Estou na presença
do senhor dos ventos,
aos brados grito...lamento...

Me perdi...não te vi...
Busquei caminhos
de almas não lavadas,
louvei olhares de vãs contradições.

Não lembrei de ti...
Esqueci que parti de tua fonte
não lembrando nada...

mente ofuscada,
coração sangrando
por algo que não via...

te busquei...gritei,sofri...
Te procurei em falsas alegorias,
ao final,pergunto:
por quê?

se não estás aqui...
mas faz morada no meu coração...
Rosy Moreira




LETRA PARTIDA

Qual o meu tempo na poesia?
Confesso aqui: não sei,
e asseguro que tentei,
mas era dia
de antigos itinerários:
calvários
dos parnasianos,
tantos fulanos
mal vestidos,
bem versados,
contando rimas poéticas,
estéticas.
Depois achei o que seria(?)
a poesia simbolista
vendendo a alma do artista
metafísica e musicada
em troca do símbolo (pleno)
na forma de Cruz e cisne – (pequeno).
Não me achei no calendário
desta poética lunar
não cantei com os modernistas
nem vi Tarsila do Amaral,
Bandeira foi pra Passárgada
com os sapos no carnaval.
Mas onde,céus, me coloco
com todo meu sentimento?
não quero me ver em “concreto”,
terei caráter social?
poesia-práxis é invenção
de um certo poema processo
que surgiu na marginal
com seu aspecto precário.
Busco de frente e de lado
e permaneço perdida
meu poema? não tem dado
é letra solta, partida.

Basilina Pereira



Poema Para Você



Se você me amasse um dia...
Eu colheria as flores de todos os jardins
iria ao infinito buscar as mais brilhantes estrelas
delas faria uma tiara, enfeitaria teus cabelos
Só para te fazer feliz!

Olharia em seus olhos, brilhando de felicidade
tomaria em minhas mãos tua vida
sofreria todas suas dores, viveria teus desamores...
Só para te fazer feliz!

Para não vê-la sofrer, mudaria o rumo do tempo
retiraria as dores que a vida lhe reservou...
Eu seria seus sonhos lindos, sem pesadelos
faria poemas, contaria a você só coisas boas
dar-te-ia, os mais belos e doces sorrrisos...
Só para te fazer feliz!

Te diria da beleza que é ter você
agradeceria ao universo por estar junto a mim...
Num abraço, olharia em teus olhos e diria,
Amor, tu tens o maior amor do mundo
Agradeço-te, porque eu sou feliz!

(Joe Luigi)




MELODIA EM SI BEMOL

No piano improviso
Notas dissoantes
De um amor distante
Como ave rasante
Vem pousar no meu ombro
Me fazer companhia
Bela medlodia
Que se fa_z em si bemol
Clara como o sol
Numa clave musical

O toque do piano
Nas teclas do seu corpo
Componho uma canção
De entrega e ternura
Noite clara, lua cheia
Brilhante, cristalina
Transparente e gotejante
No corpo o sangue que pulsa
O coração explode de emoção
E se faz canção
Experimenta emoção
Vive paixão

Na cadência das estrelas
No rítimo da terra que gira
Movimento de corpos
Que giram...
Rodopiam...
Dançam.
Corpos que se encontram
No compasso do coração
Compondo bela canção

(Vera Helena)


VEM...

Perco-me no teu olhar…
Que não consigo mesmo ilustrar
Doce, meigo a me olhar .

Quero só te enlaçar!
Sentir este teu doce aroma
Invadir os meus sentidos .

E sentir o teu desejo ...
Te dar a humidade do meu beijo
Trocar sabores e desejos .


Vem... quero te sentir
Teu corpo esculpir
Tua alma invadir!

Lete Dias


FOGARÉU


Fogaréu vem se alastrando
Abrasar um amor
Adormecido e brando.

Faísca de emoção
Aquecem um coração
Que pensava não aquecer mais.

Fogaréu queima
Sem machucar
Incendeia a alma
Que despertou para amar.

Tarde demais
Essa tocha apagar
Os deuses do olimpo
Estão a festejar.

Fogaréu de amor
Só se extingue
Com outro amor...(Alice Costa)

Alice Costa



QUANTAS VIDAS

De> Alencar Oliveira & João B. Silva

Quantas vidas, quanto tempo
De vitórias e lamentos a vida nos preparou

Há ruínas, monumentos, momentos que não vão voltar
Mitos sonhos, sentimentos que o tempo não pôde apagar

Amigo quanta andanças, quantas estradas,
Tantas batalhas nos já vivemos

Não éramos navegantes, mas o destino
Marcava adiante o que era pra ser

O tempo correu ligeiro, mais o tempero
De nossas vidas não se perdeu

Vencemos desafios e como o mar e o rio
Nossos caminhos vão se encontrar

Historias para contar
Somente quem viveu tem
Apenas quem se entregar
É que saberá o que é realmente amar

Incerteza

Por orgulho
Por pressão
Por medo
Perdi o grande amor
De minha vida.
Parei de respirar!


Kátia pérola –(arquivo)
Kátia Claudino Caetano Pereira.




Pétalas de Amor
O ventou trouxe uma pétala vermelha,

Sinal de um amor que se despedaçava...

Mas ao ver a pétala chegar, voltei a suspirar;

Renasceu a esperança de uma nova dança.


O que antes era um buquê de rosas apaixonadas,

Agora são caules com espinhos e folhas apagadas.

Sem querer, fazias morrer um amor encantado...

Selecionado entre os amores mais sagrados.


Este amor que nasceu um pouco a cada dia,

Amadureceu e floresceu em rosas vermelhas

Nunca irá morrer, pois a seiva que o alimenta,

Corre em nossas veias, colorindo novos buquês...

Sem razões ou porquês, ele continua a crescer.


No meu sonho mais calado, dormes ao meu lado...

Dançamos abraçados, boleros de amor infinito.

Por mais que poetas tenham escrito,

Não há amor maior ou mais bonito,

Que o amor que te dedico.


Jair Antônio Pauletto



ME LIBERTE

M inha liberdade, é minha vida, meus passos, meu horizonte...
E tudo que almejo, valorizo, nela meu ser está contido.

L iberdade não tem preço, é imensurável,
I mpagável. Morto está... quem fora dela vive.
B elo é o ser livre !
E u me liberto, me libertei de elos, me libertarei...
R esta-me esperar a liberdade maior, do peso do corpo...
T er- mos nossa essência mais pura de volta, a liberdade de espirito.
E ssa independe de nós, a Deus cabe... Mas anseio e peço... me liberte ! ...

Washington Ramos.


O ciclista e a bicicleta

Pedal necessário do coração
Pulsa o sangue a correr pelas veias.
Suas rodas deslizam com força
Pelo barro preto da tecnologia.
Nada trava o prazer de sentar e sentir o vento
Quando o assunto é bicicleta.
É assim o ciclista!
Pedala sem contar o tempo
A distancia
A pressa
E o desanimo.
E chegando ao destino
Desce pela primeira vez
E contempla o orgulho do suor
Necessário da liberdade.

JRA (o poeta da verdade).




RODA DE SAMBA

De: Alencar Oliveira

Foi numa roda de samba
Que eu vi que a vida anda
Sempre numa corda bamba

Viver não existe segredo
É só seguir o enredo
Caminhar sem medo

Naquele instante esqueci a pressão
Dei corda ao meu coração, insisti

Há! Que maravilha encontrei alegria
Me entreguei.

Viver, e viver o momento
Eu queria viver e vivi
Pois a vida anda sempre por um triz

Viver, e viver o momento
Eu queria viver e vivi
Pois o hoje é o instante de ser feliz...

SOSSEGO

Meu sossego foi embora
nem me avisou

Vasculhou meus armários
Levou de mim minha fantasia mais bonita
minhas alegorias meus sapatos de algodão
colares de conchas do mar.

meus brincos de estrelas
elos de proximidade
que usava como pulseiras.

Me pintava de alegria
e ele roubou meu sorriso
minhas vestes transparentes
meus sonhos e brilhos.
foram todos!

Se travestiu de mim
e foi embora
sem data de retorno
por aí a fora
numa viagem inesperada

Quase uma fuga.
Oh! sossego
não vá assim sem avisar!

Porque não me convidou
para a festa no mar?
ou quem sabe numa cabana
nos morros lá não sei onde
onde mora a paz?

Sem você
essa dor é tão doída
se arrasta
se embaralha
se espalha
embrulha
traz de presente a dor!
não me deixe assim
tão sem mim
sem meus pertences
tão sem norte
tão dormente
tão temente
tão de cara prá o nada
tão à mercê da vida.
Rosy Moreira


SOU RIO

Sou como um rio...
sombreado de melancolia
rumo ao oceano incerto...

Vou cruzando os agrestes campos
os prados em flor
que debruam caminhos...

Afinal essa vida de rio
é instável como o mar
ora calmo e sereno,
ora sombrio e frio...

Às vezes pálido e tristonho
vou correndo
desfolhando pétalas
de coloridos sonhos...

Sigo o curso...
pelas correntezas da vida
e me acompanham folhas caídas
secas perdidas
soltas ao léu...

Espectros de galhos
fitam os céus...
reprimo no peito soluços de dor!

não temo a fúria do mar profundo...

Busco em segredo
a sedução da paz...
Rosy Moreira

Ritual de amor

Toma agora meu corpo em sacrífício
aos teus rituais de prazer e magia
Ata-me ao teu corpo
como uma presa fácil
que se entrega dócil
a esse ato ritualístico
evocando lascívia e sensualidade...
O manto da noite descobre a lua
que silenciosamente testemunha
a dominação da carne nua...
Tudo arde em êxtase, em satisfação...
Sou oferenda ao deus do amor
Vencida, me entrego a esse langor...

Denise Flor©
15.8.08 - 21:43 hs

MARÉ ALTA

É tanto sentimento
que ás vezes faço tempestade
num copo dágua...
onde o barco dos meus sonhos
é de frágil papel.

Ventania vinda de um sopro do nada
mais fraco que o meu querer mais forte.
Surdo-mudo
mudo o rumo
não me acostumo
com a maré alta da paixão...

No vasto oceano de mim
ouço o vento ruir...
não tem mais volta!

nada está tão longe
que tudo não se alcance
pelo navegar contínuo!
Rosy Moreira



VEM
Vem, vamos passear
Conversar sobre a vida
Ouvirmos um ao outro
Falar das pessoas queridas
Descansar nossas mentes
Do stress, da correria
Andar bem suavemente
Sem fazer muita folia
Apenas divagar
Sobre nossos corações
Podermos desabafar
Aliviar as tensões
Amigo é também para isso
Ajuda a passar a dor
Dá-nos o seu carinho
E também demonstra amor
Passeando lado a lado
Sem segundas intenções
Apenas falam dos amores
Contido nos corações.
Kedma O’liver




Desencanto

Naquela interminável e fria noite
quando eu de voce me despedia
estava de alma e mente vazias
deixando contigo, tudo que me pertencia...
Ali, por algum tempo alegre vivi
E por amor, com amor, toda eu me doei...
Numa certa noite, triste desencanto eu sofri
Voce, à quem eu tanto amava
injusta e friamente me ofendia...
Chorei sentida, pois isso eu não merecia...
Era seu outro lado, o cruel que eu não conhecia!

Denise Flor©

“Silêncio”

Não sou mais teus versos
Ignora-me quando eu passo
Recusa-se a falar comigo
Não quer mais meus beijos

De súbito te retirou nada falando
Calou-te com teus segredos
Busco você em meus riscos
Quero te alcançar para reviver

Aqueles momentos únicos
Que eram somente nossos
Não canso de imaginar-te
Mas encontro-me no silêncio

Com esta infinita saudade
Que invade o peito de dor
Aflorando e mantendo meu pranto
E mantendo acesas as emoções vividas.
(Graciela da Cunha)

10 Comentários:

  • Adoro vir nesse jornal ler meus amigos e fico muito feliz quando saio entre eles.
    Amei Marta, obrigada.
    bjs

    Por Blogger Kedma O'liver, às 22 de novembro de 2008 11:06  

  • MARTA,

    AMIGA QUERIDA,É UMA DELÍCIA ESTAR AQUI,ONDE ENCONTRO AMADOS POETAS E POETISAS, NÃO TERIA ESPAÇO PARA CITAR TODOS...

    PARABÉNS PARA VOCÊ...POETA E POETISA.

    AMO TODOS QUE AQUI ESTÃO,E OS POEMAS TAMBÉM...

    BEIJOS NO CORAÇÃO!!!

    Por Blogger kate_kate, às 22 de novembro de 2008 12:51  

  • Marta,
    Que bom que você existe,além de
    escrever muito nos presenteia com
    seu jornal, me sinto imensamente
    honrado de estar aqui junto à grandes nomes.
    Obrigado,
    Beijos.

    Joe

    Por Blogger Joe, às 22 de novembro de 2008 14:05  

  • Martinha
    Você é maravilhosa...
    bjos neste coração de mel
    Graciela

    Por Blogger Meus Riscos, às 22 de novembro de 2008 14:31  

  • Querida poetisa Marta !

    O que dizer quando se recebe carinhos assim ?
    So guardar no coração ! Onde fica toda minha emoção !
    E te dizer que seu reconhecimento me deixa lisonjeada, e que é um prazer estar aqui , não só lendo estes lindos textos , mas tambem mostrando um pouquinho dessa arte tão especial , que é colocar sentimentos em palavras .

    Beijos e flores !
    Meu carinho e admiração !
    Lete Dias

    Por Blogger Rabiscos, às 23 de novembro de 2008 07:24  

  • Marta...não tenho palavras...me falta o verbo...faço um minuto de silêncio...agradeço ao Pai Supremo...por ti ...por mim...por todos...abençoada inspiração nossa de cada dia...abençoado carinho dispensado à nós...te aplaudimos de pé!

    Por Blogger rosysimplesmente, às 23 de novembro de 2008 15:08  

  • QUERIDA MARTA PERES,
    AMO VIR A ESSE JORANAL ECONTRAR AQUI VC E MEUS AMADOS AMIGOS (AS)
    FICO MUITO CONTENTE EM ESTAR PRESENTE A GRANDES NOMES E AOS QUE ESTÃO INICIANDO COMO EUZINHA,ME SINTO HONRADA E AGRADEÇO DE TODO MEU CORAÇÃO A VOCÊ PESSOA ABENÇOADA E ESPECIAL EM NOSSAS VIDAS PELO BELO TRABALHO CRINADO ESSE MARAVILHOSO ESPAÇO EM SEU JORNAL REBATE.
    PARABÉNS MARTA PEREZ! OBRIGADA POR EXISTIR!
    PRABÉNS A TDS DO JORNAL REBATE POR TER COLOCADO ESTA MARAVILHOSA PESSOA VC MARTA JUNTO A CADA UM DE NÓS!
    BEIJOS...
    KÁTIA CLAUDINO CAETANO PEREIRA
    (KÁTIA PÉROLA)
    ENEQEAV

    Por Blogger katia, às 25 de novembro de 2008 10:45  

  • QUERIDA MARTA PERES,
    AMO VIR A ESSE JORNAL ENCONTRAR AQUI VC E MEUS AMADOS AMIGOS (AS)
    FICO MUITO CONTENTE EM ESTAR PRESENTE A GRANDES NOMES E AOS QUE ESTÃO INICIANDO COMO EUZINHA,ME SINTO HONRADA E AGRADEÇO DE TODO MEU CORAÇÃO A VOCÊ PESSOA ABENÇOADA E ESPECIAL EM NOSSAS VIDAS PELO BELO TRABALHO CRIANDO ESSE MARAVILHOSO ESPAÇO EM SEU JORNAL REBATE.
    PARABÉNS MARTA PEREZ! OBRIGADA POR EXISTIR!
    PRABÉNS A TDS DO JORNAL REBATE POR TER COLOCADO ESTA MARAVILHOSA PESSOA VC MARTA JUNTO A CADA UM DE NÓS!
    BEIJOS...
    KÁTIA CLAUDINO CAETANO PEREIRA
    (KÁTIA PÉROLA)
    ENEQEAV

    Por Blogger katia, às 25 de novembro de 2008 10:47  

  • Adorei de coração pela sua atenção em divulgar meu trabalho.
    ...parabéns pelo seu lindo site!

    Por Blogger A poesia alimenta a alma e purifica o coração!, às 26 de novembro de 2008 06:17  

  • Querida Marta;
    Hoje fui procurar fotos minhas em imagens e descobri seu jornal aqui com dois poemas meus. Que felicidade amiga, ver meus poemas postados entre tantos talentos. E pela data vc vem fazendo este belo trabalho de divulgar poetas desconhecidos há vários anos (2008).
    Um grande beijo poético
    Vera Helena

    Por Blogger ESTRELAS NA POESIA, às 20 de março de 2011 22:58  

Postar um comentário

<< Home