.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Poemas!


Sinhá!


Teus lábios pousam em mim,
Me arrebenta o coração,
Perco o principio e o fim,
Acho que isso é paixão.

Marcado pelos teus laços,
Apertado e encolhido,
Amarrado em teus braços,
Vivo um mundo perdido.

Me embriaga teu sorriso,
Feito vinho de pipa,
Quando te tomo ouço guiso,
Que em mim cola e fica.

Então vivo embriagado,
Feliz qual sabiá,
Porque eu sou amado,
Por ti. Oh, minha sinhá!


Santaroza




Dias in(versos)

Há dias que as nuvens
Escondem o céu
Há noites que a lua não vem
E a vida fica tão escura...
E o pulso do peito
Parece tão frágil
Que mal posso ouvir
Há dias que os sonhos
Brincam de fugir...
Há dias que o sorriso
Escorre em lágrimas
Que o amor
Mergulha em mágoas
Há dias que o coração
Pede pra explodir.

(Sirlei L. Passolongo)



Ao criador

Obrigado senhor pelos amigos
Pelos amigos na composição
Pelos amigos na poesia
Pelos amigos na criação e evolução...
Obrigado pelos bons e maus amigos
Obrigado pela alegria e tristeza, que tens me enviado
Dando-me a chance de administrar com coerência
O perfeito e imperfeito mostrando-me o real equilíbrio
Sou grato por dar-me a formula da ajuda e o mistério de atrapalhar
Agradeço senhor por eu ser diferente e igual
- isso é possível e normal?
Obrigado pelo dom de escrever, compreender...
Por me lembrar de ti, e dar-me tempo de agradecer.
Sou fraco, mas sou grato!
Obrigado.

............” Catarino Salvador “.




EU SEI

Não tenho mais você
Teus carinhos não são meus
Teus olhos vêem outros olhos
Teus braços apertam outro corpo
Tua boca beija outros lábios
Não tens mais o meu cheiro...
Eu sei
Que sentes falta de mim
Mesmo que não me toques
Meu calor sabes como é
Mesmo que não me beijes
Sabes meu sabor
Sabes qual meu perfume
E nunca consegues me esquecer.
Somos um do outro,
por toda eternidade,
isso é uma verdade,
nós nos amaremos
eu sei.

Kedma O'liver




O SONHO

No silêncio da noite
onde a magia e o
mistério se encantam
busco explicações
para as vozes da memória!

Em minh'alma
despida
velejo pelos mares da
saudade
buscando emoções
nunca dantes sentida!

Qual passarinho
arrulhando em
seu ninho brinco com
tua alegria e me faço
de ilusão!

Ah! Dor de amor
que no meu peito
rasga este coração que
com teu nome tatuado
bate desconcertado!

Perdida no tempo...
a realidade me acolhe
não estavas ali...sonhei...
o sonho acabou
apenas restou a
sensação do teu
perfume no ár!



celina vasques

VEM MULHER
POETASP

Os olhos cheios de desejo,
Na boca, o gosto do teu beijo,
Teu nome escrito na palma da minha mão,
Dentro do coração, a solidão e o medo,
A vóz se cala em minha garganta,
E nesta solidão, eu choro feito criança,
Choro a tua falta e quem me dera, tú,
Tão linda e tão mulher, quem dera o céu azul,
Quem dera o ar que te respiro, o amor,
Que sai de dentro do meu peito,
E ver você dizendo, não se acabou,
Vem, pois eu te espero há tanto tempo,
Vem, parado aqui estou,
O meu amor é eterno, mas minha vida é curta,
Vem, quem dera o tempo no qual te espero,
Se transformar no amor e te trazer tão pura,
Vem mulher, pois nada se transforma,
Sem ti, o tempo passa e a minha vida acaba,
Vem mulher, tão linda, doce e perfumada,
O teu sorriso se faz a minha alegria,
E sem você, o que é sorriso chora,
O gosto do teu beijo ainda está na boca,
E eu te grito o amor por todo universo,
E eu te grito, vem!
Pois meu amor assim, sincero, é para vida toda.





Pai!..

Quando criança,
Segurava forte,
Minha mão...

Depois de adulta.

Sinto que ás vezes,
Segura também,
O meu coração...

(Valquíria Cordeiro)


Ao meu Pai


Quando aui cheguei
Me recebeste em teus braços
Teu amor e carinho senti
tua dedicação amei.

No decorrer dos anos
Me ensinaste o respeito
O amor ao próximo
O perdão em diversas formas
Alealdade sempre presente
nos atos de nossa vida
A ternura eo carinho
Compleando nossas ações.

Só não me disseste
Que um dia partirias
E aqui me deixarias
como que cumprindo
Tua missão...
Me deixaste a saudade eterna
Dos teus beijos
Teus abraços...
E a certeza de que um dia
Estaremos juntos
numa mesma di~mensão
Onde recordaremos
Tua passagem ao meu lado
Onde

onde recordaremos
tua passagem ao meu lado
Onde me ensinaste a viver
foste o meu pai e mestre
E eu sua eterna filha e aprendiz.

Autoria:
Therezinha Ferrer

(07/08/08)

Feliz Dia dos Pais!


Triste partida

Não quero disputar com ninguém
O seu coração devorador
Nem ficar em desigualdade
Nem alimentar amor
Não quero comer o pão que o diabo amassou.
Chega estou me retirando
Quero desobstruir o pensamento
Que me faz pensar só em te
Adeus nada de lagrimas
Estou também desolada
Acho uma injustiça esse devaneio
Agora na ultima hora
O trem já vai partir
Deixo um aceno um olhar
De ternura vou com dor
Estou agonizando sufocada
As cartas guardadas vão comigo
As pétalas de rosas desidratadas
Guardei no meu diário
Pra lembrar cada momento
Cada gesto de amor cada beijo
Deixo um olhar de longe adeus...
Autora Marina Nunes


Minha casa da roça

Na beira estrada tem uma casinha
Hoje! Coitada, pobrezinha
Encontra-se abandonada
Ela que um dia foi minha morada.

Em cada cômodo tem pedaços do coração
A cozinha, o fogão de lenha, tudo é recordação
No quarto eu e meus irmãos
Fazíamos festas em cima do colchão.

Na sala, o sofá, o radio numa estante ficava
De manhã as seis, era hora sagrada
Sintonizada na Rádio Aparecida.
Rezávamos a Anunciação de Maria.

Ao lado havia uma horta formada
Alface, couve, chicória, rabanetes, beterraba...
No quintal as aves e bicharadas
Cachorro, gato, galinhas, patos, passaradas

Saí de lá ainda muito cedo
E a vida fui conquistar
Confesso que tive medo
Da cidade grande não acostumar.

Ataíde Lemos


Um só!

No caminho havia barro,
Não me importava eu queria,
Enlameava todo o carro,
Mas um pouco e eu te veria.

Era noite quando cheguei.
Vi seu vulto pela janela,
No jardim foi que parei,
E escolhi uma flor bela.

Uma rosa em botão,
Sorristes quando entrei,
A flor... da cor de seu roupão,
Te peguei no colo, te abracei.

Havia vinho na mesa,
Ainda no colo te beijei,
Tudo estava uma beleza,
E teu perfume... adorei.

Colados, ficamos por horas,
O amor nos atou em seu nó,
Anda chovia lá fora,
Mas nós, éramos um só.



Santaroza


AMOR SINCERO

Se for falar de amor
que seja do coração.
Não ponha na boca palavras
que não condiz com a razão.

Pois amar só tem valor
se tiver o sabor da verdade.
Fingir que se ama é cruel,
pecado sem piedade.

Pois sofre quem acredita
e retribiu com paixão.
Amor com amor se paga
e se destrói com a traição.

Então ame e diga que ama
se for fiel o sentimento.
O amor é pluma macia,
se ferido é duro cimento!

Não há reboco que cure
as feridas que lá estão.
Melhor se amar sozinho
que viver de ilusão.

(Mell Glitter)

Marcadores:

4 Comentários:

  • Lindos poemas amiga Marta, principalmente os dos pais. Obrigada por me colocar aqui no meio de tantos poemas lindos, prazer imenso isso.
    DOces beijos a todos
    Kedma O'liver

    Por Blogger kedma, às 7 de agosto de 2008 17:57  

  • Marta...
    Quanta coisa bonita aqui!!!!
    E eu dentre tantas perolas!!!!
    Obrigada menina querida...
    E parabéns a todos...quanto talento...
    Beijos e beijos
    Rô Daros

    Por Blogger RoDaros, às 8 de agosto de 2008 04:30  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger Mell Glitter, às 10 de agosto de 2008 07:21  

  • Olha eu aki, Martinha!
    Demorei mais cheguei!
    E vim com um abraço apertado lhe agradecer por estar sempre divulgando esta galera que tem poesia no coração!
    Sinto-me honrada em fazer parte desta trupe linda!
    Obrigada por ser este serzinho tão especial e iluminado!
    Te amo,viu?

    Bjnhus

    Por Blogger Mell Glitter, às 10 de agosto de 2008 07:22  

Postar um comentário

<< Home