.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Poesia é Viver!



Gotas



Em gotas
o mar deságua
de meu olhar
como a vida que
sem parar
segue o seu curso.
Escorrendo em minha face
tal qual um pequeno riacho
ao encontro
do nada.

Em gotas
o mar deságua
em meu peito,
enquanto os meus olhos
navegam num leito
sem ter pra onde ir.
Preso em mim
esse oceano pesa-me
a dor que aos poucos
me consome.

Em gotas
o mar inunda
a minha alma
enchendo-me, do que
os meus olhos
não podem esconder.
Assim veste a minha alma
de um mistério que só eu
no meu navio
consegue entender.

Assim no horizonte dos meus olhos
o mar deságua sem barreiras
E a única esperança que tenho
é que numa margem, meu navio encalhe
para que eu não sejas levado
pela a correnteza de meu destino
o qual não escolhi.


Poeta Francis Perot


Confidência


será que ele crê
que seu olhar é desvio celeste
na alma atua como o céu dos luares ?

será que ele vê
que seu gosto de leste a oeste
na pele tatua como sal dos mares ?

só nos olhos teus, miro a ponte das malícias...
só nos lábios teus, reviro a fonte das delícias...


(Cris de Souza)




Intrépida

Que alegre destino
Teve a menina
Cor de coragem

Despiu seus medos
Provocou seus fantasmas
Ilustrou passagem
E seguiu viagem.

[Cris Poesia]

TERMINAL

Derradeiro poema
grito, despedida
lamúria de bem-querer
tatuagem cravada no peito
saudosa marca
mocidade, sanidade
cantar do cisne
irremediável verdade
escancarada
sem mentiras, censuras
sonho vivo, graça pura
gosto de eternidade.

Ana Wagner



Amor coisa maluca

Amor lamento sentido
Que transforma
Amor ataca sem direção
É um louco desejo
Que não contem os anseios
Quando é desejado e flechado
Amor é uma ferida que sangra
Faz bater forte o coração
Amor tem maldade bondade
Tem beleza verdade muda,
O coração de direção
Amor tem olhar cego amargo
Ofensivo delicado
Tem uma fúria paixão
Amor é uma mistura maluca
Juntando tudo é gostoso
Mata dá felicidade
Amor é tudo na vida
Ajuda cicatrizar
Ou faz sangrar coração...
Autora: Marina Nunes




Destino

Seu ligeiro e insensato
Por que corres tanto assim?
E me faz ser seu escravo
Tu tens algo contra mim?
Se tiver algo me diga?
Porque eu vivo sem guarida
E sofro a vida sem ter fim.

Edinei Barbosa Alves


Lua morena

De tantas coisas belas
que a natureza oferece
não sei qual a mais linda
se uma porção de estrelas
ou o sol que nos aquece.

De tudo que vi na vida
desde um pequeno vagalume
até o nosso universo
não sei o que é mais bonito
se é a lua ou se um verso.

No verso só vejo o amor
no céu eu vejo as estrelas
na madrugada serena
numa noite de eclipse
vejo enfim a lua morena!
Autora: Lúcia Biazetto.



Lábios que beijei

Lábios que beijaram sua face
que sentiram seu calor
que emudeceram sua voz
que pedem seu amor...

Lábios que teimam em beijar-te
quando a distância silencia a voz
emudecem a vibração
das cordas de um violão.

Lábios de carmim
da cor do amor, da paixão...
Do olor das rosas vermelhas
entrando no coração.

Que saudades dos teus lábios
pousando no meu
como um beija-flor
trazendo o néctar do amor.

Magali Oliveira



Um Dia, Um Adeus!

Neuza M. Spínola

Alguns caminhos sempre se encontrarão,
Porém, muitas paixões um dia acabarão!
Serão apenas, amigos, amantes do nada,
Fazendo sós a mesma caminhada;

Entre os sóis e estrelas das suas jornadas,
Haverá inspiração de uma poesia sonhada,
Mas trarão no olhar, a calma inglória,
De amores que viveram sua história;

Serão apenas mais um vaso sem flor,
Ou um céu que chorou lágrimas de amor;
Outra história encantada, que a vida termina,
Nas ilusões que morrem se a paixão declina;

Agora, mãos de adeus e de doídas saudades,
Dos carinhos trocados em doces madrugadas;
Da estrela apagada que no deserto brilhou,
Do amor que um dia, num adeus se acabou!

UNIVERSO DOS SONHOS


Sonho que vem da pureza de criança
A vida para mim e um sono colorido
Mesmo quando o sonho não se realiza
Insisto em sonhar para o alivio buscar.

Sei que e pura utopia universos imaginário
Mas mesmo assim o corpo sente
Transforma minha vida cinza em colorido
Onde meu sonho ninguém me tira.

Aqueles meus segredos mais íntimos
Para mim águas profundas de muito mistérios
nele esta meu eu onde vou e ninguém levo.

Sentimentos transparente leve gostoso
Trazendo a flor da pele cenas acontecidas
Em forma de sonhos quase vivida.


Eliza Gregio




De passagem!

Eu estou só de passagem,
Mas por via das duvidas, menina,
Para que não percamos a viagem,
Espere-me naquela esquina.

Não tenha pressa, não se avexe,
Eu trago em mim a magia,
Mesmo que o tempo feche,
Eu voltarei noutro dia.

Quero-te pra eternidade,
Embora aqui de passagem,
Amo-te além da idade,
Que possa ter a viagem.

E por mais que a esquina tenha muro,
Por mais que o tempo seja escuro,
O que te proponho é mais puro,
Que nosso passado ou futuro.

Posto que te quero agora,
Não tem importância a hora,
Desde que me queiras, senhora,
Não mais choverei lá fora.

Lagrimas! Serão algo do passado,
Que nunca mais será lembrado,
Pois terei o coração alado,
Se puder, por ti, ser amado!


Santaroza



Tulipa Amarela

Nunca mais...
Vi tulipas amarela
Nos jardins
De minha alma.

Ás, vezes sinto
Saudades delas.
...adormeço e
Sonho!

Retorno ao passado
Tulipa amarela,
___era feliz entre elas!
(Sandra Almeida)



POR QUE?

Você diz que me ama e que por mim faria
tudo mesmo o que parece até impossível,
que pela vida toda jamais me esqueceria
que seu sentimento é forte e indiscutível!

Eu que o amo, sou feliz por ser assim amada,
todos os meus pensamentos são só seus...
Só você torna minha vida iluminada
e você diz precisar tanto dos carinhos meus...

Mas de vez em quando me ponho a pensar
e me ponho inesperadamente a indagar
sobre fatos que desbotam o meu sorriso...

Você me ama, diz a toda hora o que sente.
Então amor, porque você nunca está presente
nas horas solitárias, quando mais preciso?

Arethuza Viana


DIÁRIO
Amanhece...

Cobriu-me um clarão
rompendo quimeras,
injusta verdade
derretendo neve
em ansiosa alma ,
na possível sanidade,
no nada que me pertence.

Fiz castelos de casebres,
românticos filmes,
de rota fotografia.

Em teus lábios deslizei
a alma buscando
a divina palavra
que jamais ouvirei.

Agora tudo que farei
é dançar conforme a música...

Ana Wagner



AUSÊNCIA

labaredas no olhar
num delírio de nadas
verde constelação

na madrugada
luar de leite
folhas de prata

agora dia
e o sol ferindo a visada
como um lírio aberto

logo mais, crepúsculo
fechando o cálice murcho
de um jardim deserto

depois a noite
o sonho iluminado
por uma profunda
e solitária estrela.

Ana Wagner



Ardendo!


Ás vezes, quando a tarde fica rosa,
E o sol, cansado, se deita no lago,
Penso em nossas prosas,
Pois há em mim, um canto vago.

Um vazio, que não chega a ser solidão,
Mas que clama por um gesto de amor,
Como a flor, inda em botão,
Espera por um beija-flor.

Assim fico eu, em dias assim,
Vela soprada pelo vento,
Pensamento no sem fim,
Alado, porém lento.

Arde, como febre da malária,
Não há quem possa esconder,
É como vento na araucária,
Parece que até vai chover.

E deveras, chove em meu olhar,
Que se perde em busca dos teus,
Bem para lá além do mar,
Para que se aquietem os meus!



Santaroza

6 Comentários:

  • Olá, Marta! Acho que este comentário vai sair no último poema, mas vai assim mesmo! rsrssr
    Está ficando muito bonita sua coluna. Os poemas lindos acompanhados de imagens ilustrativas dão brilho e colorido à página. Muito boa a idéia, e obrigada pela postagem do meu poema, Um Dia, Um adeus! beijos

    Por Blogger Neuza Maria Spínola, às 6 de agosto de 2008 21:15  

  • Marta, como sempre me sinto honrada em estar aqui entre grandes poetas.
    Você é maravilhosa e essa página ficou lindíssima com as imagens e os poemas.
    Muito obrigada querida!
    Um grande beijo!

    Por Blogger ana wagner, às 7 de agosto de 2008 10:15  

  • Amiga Marta

    Acho lindo sua iniciativa de prestigiar os poetas.Vc está de parabéns.Isso é um grande incentivo à cultura.
    Parabéns aos poetas que tiveram aki, suas obras prstigiadas.Todas muito lindas!

    Bjos

    Por Blogger Mell Glitter, às 7 de agosto de 2008 14:58  

  • Marta!
    obrigada menina pelo privilégio de estar em seu blog, vc é uma grande divulgadora de nossos trabalhos.
    Obrigada e parabéns pelo blog, lindoooooooo
    beijão

    Por Blogger Sirlei, às 7 de agosto de 2008 15:03  

  • Marta querida mais uma vez venho ler um por um os poemas postados em teu jornal que está cada vez mais lindo!
    Agradeço-te a postagem do meu poema "O SONHO" nessa edição, como Sempre você honrando-me em meu poema estar entre seus imortais poetas!

    Obrigada por tudo e Parabéns pelo grande trabalho!

    Por Blogger celina vasques, às 7 de agosto de 2008 15:05  

  • Marta poeta amiga de sempre.Fico grata por ter postado minha "TULIPA AMARELA".Grande beijo poético.

    Por Blogger Sandra Almeida, às 7 de agosto de 2008 18:00  

Postar um comentário

<< Home