.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Homenagem à Luiza Beatriz Moreira!




Luiza Beatriz Moreira, amiga, editora, poeta!
Como amiga, deixo a você flores, és companheira, leal, paciente.

Como editora, é tudo o que uma escritor almeja. Sou-lhe imensamente grata pela oportunidade, de participar desta Antologia que já é sucesso. Sei que o conjunto poético é belo, de bom gosto, levará os leitores a se inebriarem de beleza em beleza. Sua Antologia é poesia de verdade, legítima, poesia para ficar vibrando através dos tempos, na perenidade do seu encanto e na harmonia da sua musicalidade.
É poesia destinada a desafiar a sanção da posteridade e a perpetuar-se na memória das gerações, porque é autêntica, metrificada, rimada com perfeição parnasiana, além de romântica, é de inspiração espontânea e alta.
Dou-lhe os parabéns por mais esta Antologia!
A literatura nacional, grandemente será enriquecida e valorizada, muito lhe ficará a dever pelo generoso empreendimento!

Como poeta, descreve com suavidade, pureza e bom gosto seus versos.

Marta Peres







Luiza Beatriz Moreira. Natural de São Paulo-SP. Nascida em 11 de janeiro de 1962. É promotora de eventos culturais, professora, bailarina, coreógrafa formada pela Escola Municipal de Bailado de São Paulo, amante da literatura. Possui participações em antologias: Letras e Tons I, Letras e Tons II. Promoveu alguns projetos artísticos da Associação Cecina Moreira: Incentivo à Leitura, Projeto Teatro Em Cena, Projeto Dançarte, formando bailarinos, coreógrafos e profissionais da área. e atualmente dedica-se ao Projeto Delicatta visando a publicação, divulgação e valorização do autor brasileiro.

Aqui deixo meu agradecimento a você Luiza, por mais uma Antologia, mais uma realização sua, fazendo assim o sonho de muitos poetas se tornar real.
Obrigada Poeta!


Flor de Liz

L uz essa que emana desse seu olhar,
I nspira-me os versos que agora lhe faço.
Z elosa, sincera, bondosa e bela,
A braço apertado, doçura no ar.
N as poucas palavras que foram trocadas,
D urante o tempo em que esteve aqui,
R endi-me aos encantos e mais que minha nora,
A gora uma filha...assim te sentí.

Luiza Moreira



A Dúvida

Há uma brecha de dúvida em meu viver,
onde o pranto transforma espanto em agonia.
sentimentos opostos que não consigo entender,
de um lado o que sei, do outro o que não sabia.

Resolvo que nunca mais vou me conter
e deito palavras e gestos à revelia.
Há uma brecha de dúvida em meu viver,
onde o pranto tansforma espanto em agonia?

Essa resposta busco aflita entender
para que a dúvida se dissipe no calor
mas a chama que me corroe e faz doer,
me dá o indício desse espaço sem amor.
Há uma brecha de dúvida em meu viver...

Luiza Moreira


SAUDADE

Sentir saudade,
é para todos.
Sentir a presença
mesmo na ausência,
é para poucos.
Luiza Moreira


Estar só

Melhor a certeza da solidão à dúvida da companhia.

Luiza Moreira

O Homem e a máquina

O homem sempre erra mas a máquina não falha
O homem sempre erra mas a máquina não falha
O homem sempre erra mas a máquina não fa
não fa
não fa
Ih falhou...
Luiza Moreira



Soneto ao Regresso
Fico no aguardo, meu amor, do seu regresso;
rememorando a doçura de seus beijos.
Ausência é triste e por isso eu lhe peço:
não se demore a matar o meu desejo.

Com seu olhar que me desvenda e me seduz,
incita a minha natureza de mulher.
Seu corpo ardente e seu afago que conduz,
constrói o ato e faz de mim o que bem quer.

Outro não houve que fizesse assim comigo,
me entregar dessa maneira tão intensa.
Encontro paz, tranquilidade, ombro amigo;

na intimidade do prazer, efervescência.
Gostar de outro eu não vejo mais sentido.
Eu sou só sua, corpo, alma, enfim...essência


Luiza Moreira



Topos Graphein

Da terra escolhida pisaste o chão,
araste o terreno sem ter piedade.
Talvez seja esta tua vocação:
trabalho perfeito, sem proximidade.

Sem régua ou compasso, mediste fronteiras;
de todos os rios mudaste o curso.
Plantaste mil lírios e algumas palmeiras,
usando habilmente de todo recurso.

Tu achas que fez um trabalho perfeito
e resolves pisar noutras novas terras.
Nem tudo está findo no golpe certeiro...

Lamento dizer que tu estás sem razão
repensa, analisa e verás o que falta:
Devolvas à terra, este meu coração!


Luiza Moreira


Mulher Claridade

Um sonho-sonhado:
Menina Clarissa.
Essência Divina,
um raio de sol.
Cabelos ao vento
caminha com jeito;
esperança no peito:
Determinação.

Ensinei a você
o arado da terra,
o plantar da semente,
o cuidar do jardim.
Transbordo de orgulho
nesse exato momento,
pois assim eu te vejo:
Mulher-Claridade,
com as flores nas mãos.


Poema dedicado à minha filha Clarissa que hoje faz 20 anos.

Luiza Moreira



Ele e Ela

Ele é de Áries.
Ela é de Vênus.
Mostrando poder,
ele a prepara
e ela fica de molho.
No calor do seu fogo,
ela é só água.
Ele se queima,
ela se torce
Ele se fecha,
ela só dança.
Assim se completam,
perfeita imperfeição:
a máquina de lavar...
e o Sr.Fogão.

Luiza Moreira




Indis pensável

Momento reflexivo da vida,
dando força ao embate da sombra,
até que se faça o amanhecer.
Luiza Moreira



Concisos Versos
Desejo cravado
em concisos versos,
assim é que sou:
Sou todas, sou uma,
talvez sou nenhuma
volúpia de amar.
Percorro caminhos
de flor sem espinhos
com sofreguidão;
ceifando palavras,
poupando idéias,
mostrando somente
meu modo de ser:
mesquinho-arrogânte,
austera-distante,
escasso em se dar


Luiza Moreira



Doce Lembrança

Por mais bem que a vida tenha transcorrido,
a imagem que trago tem doce sabor.
Um tempo que nunca será esquecido,
lembrança gostosa do primeiro amor.

O beijo roubado, a inocência perdida;
foi tão belo o sonho, mas pouco durou.
Escolhas fizemos, veio a despedida,
rendí-me ao destino que nos afastou.

Rasguei a ilusão, guardei meu sentimento.
Amadureci com os meus pés no chão,
com meu coração feito pedra-cimento.

Incréu com a sua reaproximação,
nem senti pudor em cantar um lamento:
Inflama em meu peito a antiga emoção!

Luiza Moreira

Quimera


Fico encantada com o vento de outono.
Passa ligeiro, arrepia e vai embora.
Sequer instala o gosto amargo do abandono
pois jura a volta como brisa em outra hora.

Às vezes chega, sem aviso de mansinho,
aragem leve que desliza e faz sonhar.
Na ventania conduzindo em torvelinho,
sem nenhum medo assim que deixo-me entregar.

A emoção que pouco a pouco experimento,
seja verão, outono, inverno ou primavera,
faz-me cativa, apaixonada pelo vento.

Guardo em mim doce segredo, uma quimera:
Se eu pudesse tê-lo aqui todo momento,
Se eu pudesse, meu amor. Ai quem me dera!

(Poeta Luiza Moreira)




*Site do Projeto Delicatta:


http://www.antologia-delicatta.com/

2 Comentários:

  • Parabéns Martinha!

    Que bela e merecida homenagem Luiza Beatriz Moreira!

    A pessoa,que transforma sonhos em realidade,dando oportunidade a todos.

    Através das palavras mostrando sentimentos.

    Só podia ser ela uma POETA também!

    Uma pessoa maravilhosa, que passa os dias planejando e dedicando a sua vida a ajudar.

    Feliz, quem a conhece!



    Parabéns!

    Por Blogger Dolores Quintão Jardim, às 12 de agosto de 2008 12:58  

  • lindos poemas!parabéns, por tanta sensibilidade!bj

    Por Blogger Lances da Vida, às 19 de agosto de 2008 19:24  

Postar um comentário

<< Home