.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Angústia

ANGUSTIA

Queres saber? vem comigo...

Partiremos de zero, pois isso é que me re
sta
Quando nasci tinha mundos saberes infinitos
tudo me foi tirado, mas sei que eu sabia...

Perdi planos mapas e vontade de sonhar
a vida um pesadelo do que ando a cair
e me desfaço por seguir sonhando

Começaremos abrindo as janelas
Hoje vou abri-las de fora para dentro
Já não sei se quero fiar-me do quintal

Ou será de meus olhos que me não fio...?!

A Melra insiste em que lhe entregue
o que resta de dia no céu do jardim
e que me mude a outra paisagem...

Eu calo e escuto os golpes mudos do remo
de minha nau sem rumo que não avança...

Meu cego coração sulca mares inexistentes
só é real meu barco, e minha fame de ilha
onde plantar a raiz do Ser que se desseca...

Sou como a primeira mulher que portou lume
como deixar que se apague...!! antes arder nele
antes queimar-se dando-lhe a vida...

Mas eu não ardo, sou de pedra como a barca
e nem sequer sou a primeira em nada
sou antes a última a se afogar neste diluvio

Sem volta atrás sem lugar ao que chegar
Só eu e meu continuar por caminhos de incerteza

Entregarei minha última lágrima meu alento
meus último suspiro meu boquear
darei meu sangue a beber sempre antes
que ver secar a raiz nos meus olhos...
mesmo que tenha que seguir assim
em eterna solidão acompanhada

Concha Rousia
 
 
 
 
 
 

Marcadores:

1 Comentários:

  • Obrigada amiga querida, agradeço esta divulgação de minha voz... Que nem é minha, é uma voz coletiva... Abraço grande eu e da Galza...

    Com amor, Concha Rousia

    Por Blogger Concha Rousia, às 2 de outubro de 2012 15:31  

Postar um comentário

<< Home