.

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Poesia de José Bonifácio!



DEVANEIO

Observando a sobeira,
Banhada com o flórido
Do sol junto a ribeira,
Aspirei o ar cálido!

Os amores-perfeitos:
Belos aos pores-do-sol,
Com perfumes e efeito
Depurados no crisol!

Inebriavam o meu ser
Como cartas-bilhetes,
Fazendo-me esquecer
De certos ramalhetes!

Já as mangas espadas,
No alto da mangueira,
Sustentavam a amada
Patativa herdeira!

Em tique–taques lentos,
O meu coração espera
Viver, sem sofrimentos,
Uma vida austera.

As canetas-tinteiro
Como as sempre-vivas,
Lembram o amor trigueiro
Das belas patativas!


Como pombo-correio,
A manhã ensolarada
Chega com devaneio
E com a voz bem delicada!

As aves, o sol e as flores,
Pelo Senhor Deus criadas.
São os mais puros amores
Que devam ser amados!


José Bonifácio


O SÍMBOLO DO PANTANAL

As orquídeas ornadas,
Por suas sinemas,
São flores requintadas
Que formam os sistemas!

Nada de parasitas!
São as plantas do alto:
As belas epífitas.
Não seja incauto!

Nada da hospedeira
Ela jamais retira.
Por ser altaneira,
Do alto, a luz respira.

Com seus firmes velames
Na luz se deleitando.
Com seus belos estames
Está sempre amando!

Rainhas do espaço
No píncaro, convivem!
São fortes como o aço:
Musas da mata virgem!

Que planta ornamental!
De imensa beleza.
Símbolo do pantanal
Com a máxima nobreza!

São tais quais as bromélias,
Buscando as alturas;
Contrárias às camélias
São perfeitas canduras!

Ao moldar a natureza,
Vejo que Deus é amor.
Pela sua realeza
Como amo essa flor!

José Bonifácio


A BELA FLOR

Amo a floricultura.
Longe de ser florista!
A flor é minha cultura,
Minha dileta artista.

A sábia infrutescência
E o florígero disposto,
Pela inflorescência,
Produz fruto composto.

Amo vê-las no jardim
Ou, então, na floreira
Ao sorrir fala para mim:
Ame a vida inteira!

Que sensibilidade
Tem uma pequena flor!
Traz-me felicidade
Ao dizer: Leve o amor!

De uma flor sai o fruto
Com carinhoso amor;
Sendo o nobre produto
A graça do floricultor.

O abacaxi vem da flor,
Num portentoso florir,
Com o máximo dulçor
É o fruto da flor a sorrir!

Lá no Éden, estavam
Perfumes exalando;
E as flores se amavam
Ao Senhor Deus adorando!

Os espermatófitos,
Fanerógamos da flor,
Contrário aos saprófitos
Falam sempre de amor!

José Bonifácio



OS BEIJA-FLORES

Os belos beija-flores,
De colibris chamados,
São as aves-amores
Por beijos que são dados!

Têm a característica:
De não só parar no ar,
Como uma mística,
Sabem para trás voar!

O minuto da emoção:
São de mil batimentos
A ecoar no coração,
Com belos sentimentos!

O veloz metabolismo,
Na rápida digestão,
Mostra o seu altruísmo
E a rápida respiração!

E à noite, tudo cessa:
O metabolismo reduz
E o sobreviver processa,
Quando hiberna sem luz!

As aranhas e insetos,
Os ácaros e o néctar são
Víveres prediletos,
Desse pássaro irmão!

Relíquias homéricas,
Que formam logotipos,
Vivem nas Américas
Trezentos e trinta tipos!

A bela fauna sustenta
Pássaros tão amorosos.
No Brasil, são oitenta
Modelos portentosos!

José Bonifácio

A SÁBIA NATUREZA

Em ciclos, a natureza
Mantém-se restaurando,
Com imensa clareza
Isso estou amando!

As folhas embelezam
A grandiosa floresta,
Caindo elas prezam
A nutrição duma festa!

Suas folhas em massa
Fazem a regeneração.
As árvores com graça,
As fazem cair no chão!

Como árvores brotam
E as folhas deixam cair.
Assim se regeneram
Perdem e voltam a se nutrir!

Assim, em a nossa vida
Os ciclos acontecem.
Lamenta-se a caída
E as forças desvanecem!

É útil aproveitar
Todos os movimentos.
Belos gestos praticar,
Vencendo os tormentos!

Tirar as grandes lições
E buscar ser cuidadoso.
Vencer tristes emoções.
Manter-se garboso!

Desfrutar a alegria
De viver em comunhão,
Com o Senhor todo o dia
Aguardando a redenção!

José Bonifácio



OS CAMPOS VERDEJANTES

Preciso espairecer
No refúgio dos montes;
Buscando sempre viver
Nas delícias das fontes!

O apego às montanhas
E aos campos verdejantes;
Vem das minhas entranhas
Lapidando diamantes!

Um diamante lapidado,
Com o verde contrastando,
É Deus glorificado!
Então... Fico amando!

Vou às montanhas buscar
Esse intenso brilho!
E ao Senhor orar
Com a força de um tordilho!

O tordo e sua plumagem
É tão emocionável;
Que no campo selvagem
É um belo sociável!

No gorjeio, a imitar
As outras belas aves;
Despertou-me seu cantar
Como das outras naves!

O tordo com seu cântico,
Bem no centro da mata,
Torna-me romântico.
Que tremenda sonata!

A fé no meu Senhor aumenta,
Curando a distonia,
E o meu coração acalenta
A celeste sinfonia!

José Bonifácio


A VOZ DAS FLORES 1ª Parte

Algo inusitado é o privilégio de se ouvir
A doce e melodiosa voz das flores.
No meu coração, há uma expectação pelo porvir.
Sim, a de poder desfrutar desses amores.

Sou florígero, porque estou no centro
Das atenções, da voz dos encantos
Maviosos, que ecoam ser adentro.
Numa sinfonia digna dos santos.

Tenho buscado flores e mais flores;
Sem, contudo, encontrar a perfeita flor!
Por esta razão, acabo sofrendo horrores.
Por buscar em cada pétala o meu grande amor.

No entanto, estou buscando nos jardins
A flor dos meus puros pensamentos.
E tenho encontrado vários tipos afins.
Mas, ainda não é a flor dos meus sentimentos.

O perfume dessas flores é diversificado.
E suas características bem diferentes,
O que proporciona escolher com cuidado.
A mais perfeita flor em todas as frentes.

Destarte, vou caminhando nesta vida
Até encontrar a flor dos meus sonhos;
E ter o privilégio de ouvir sua voz destemida.;
Ecoando no ser cansado e muito tristonho.

Que alegria contagiante:
A de poder ouvir uma voz triunfante!
Clamando aos ventos e ser minha querida,
Disposta a ser minha eterna preferida.

Canções milenares harmoniosas ecoarão,
De forma concatenada e cheias de melodias.
O que trará enorme alegria ao meu coração.
Quando passarei a viver em paz noites e dias.

Há uma flor que cultivo,
Com muito amor, carinho e respeito,
Todavia, está flor está emudecida,
Provocando dores sem nenhum motivo.

Não sei! Nem posso mensurar
O imponderável das ações.
Não queria ver esta flor chorar.
Por causa de suas dilações.

Ela não tem tempo de se fazer ouvir
E muito menos de querer escutar.
Num procedimento que retarda o porvir
Das realizações, daquele que deseja amar.

Quisera que os escritos da voz dessa flor,
A qual amo profundamente,
Fosse a recíproca verdadeira do amor.
Entretanto, provoca angustias na minha mente.

José Bonifácio

A VOZ DAS FLORES - 2ª Parte

Porque me apaixonei por essa flor!
Que me nega seu perfume e voz.
Age sem sentimentos, ferindo o meu amor.
Meu Deus! Que melancolia tão atroz!

Mas, o fato marcante
É que amo essa flor sem perfume
E sem voz atuante
Que fere a minha alma com seu ciúme.

Não sei qual adubo devo usar,
Para que sua voz possa ouvir.
Enfim, eu preciso continuar a amar
E voltar a ter alegria e muito sorrir.

Agora, há muitos jardins marcantes.
Nos quais vou belas flores procurar,
Então, terei oportunidades delirantes,
Para poder escolher a qual flor que devo amar.

Assim, numa alegre e feliz dimensão
Poderei me deleitar da voz da bela flor,
A qual foi escolhida pelo meu coração.
Para me perfumar com carinho e amor.

Que o Senhor Deus me conduza
Até este nobre e belo jardim,
Para que encontre minha canção e musa,
De minhas jornadas sem fim.

Mas, algo grazina tirando minha calma :
Como deixar de amar aquela bela flor-canção!
Que sem voz, sem perfume e sem alma
Permanece sendo minha profunda inspiração.

Loucuras e paixões de um poeta da flor.
Que com a alma dilacerada,
Em forma de canção, vive a procura desse amor.
Sem voz e sem o perfume duma flor amada.

Delírios angustiosos
Em tempos de turbulência..
Palavras e pensamentos amorosos
Se desfalecem diante dessa flor ciência.

Indubitavelmente, tenho que tomar
Uma grande e profunda decisão:
Buscar uma outra flor e amar
Para satisfazer e alegrar meu nobre coração.

Vem me amar flor-canção!
Espero sentir seu hálito glorioso.
Desfrutar dos teus perfumes em ação.
E ouvir sua voz num som majestoso.

José Bonifácio

Marcadores:

3 Comentários:

  • MEU LINDO GRANDE POETA JOSÉ BONIFÁCIO!Parabéns pela beleza e talento de suas poesias e textos poéticos em geral!Viajei e me encantei no seu...nosso mundo lindo e acolhedor...um presente para os leitores que como eu me encanto sempre ao te ler.BEIJOS MEUS!TE ADORO!

    PARABÉNS GRANDE MARTA PERES!

    Por Blogger Marisa, às 1 de outubro de 2009 12:23  

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger josebonifacio, às 3 de outubro de 2009 06:36  

  • Graça e paz!

    Fiquei imensamente feliz em poder, de uma maneira simples e eficiente, colaborar com o Jornal O Rebate, através de a voz dos meus escritos.

    Serei sempre grato ao Senhor Deus e a incansável Marta Peres - poetisa de profundo valor, a qual me tem prestado grande ajuda.

    Por outro lado, pessoas como Marisa se apresentam com o mais profundo amor, enaltecendo minhas canções poéticas.

    Simplesmente, a gente entra em uma dimensão de alegria e paz; a qual como uma alavanca propulsora nos leva a prosseguir.

    Obrigado, sim! Deus seja louvado!

    Poeta José Bonifácio

    Por Blogger josebonifacio, às 3 de outubro de 2009 06:38  

Postar um comentário

<< Home