.

domingo, 13 de setembro de 2009

Poeta, Sylvio Adalberto!



CANTO INÚTIL

Para Conceição Bentes

Cantar é coisa vã, se o dia escorre
na frágil exigüidade da manhã;
o tempo é refração do sentimento
ou substrato da percepção.

E, ser, é a tentativa que se frustra
de se guardar em átimos de instantes
as coisas que ao acaso vem e vão.

Não há como reter nos frágeis dedos
sorrisos, medos, dores e ilusões,
cantar é coisa vã se a morte ronda,
só restará a tentativa inútil
da poesia pouca inatingida
que não se logra com a percepção.
Cantar é coisa vã e é o que nos resta.

Sylvio Adalberto

SONETO DE AMOR


Preciso de um amor a toda prova
Amor que busco desde a mocidade
Amor, que após brutal ferocidade
Da exaurida seiva se renova.

Findado o ardor o corpo então comprova
De que o prazer não traz saciedade
Que seja o risco então essa verdade
E o gozo sempre a sensação mais nova.

Quero encontrar o amor insaciável
Que dando tudo nada pede em troca
Sem se importar o quão seja durável.

Amor assim que em transe nos transporte
Por ser amor total não nos sufoca,
Posto que é fogo é gelo é vida é morte!

Sylvio Adalberto

Marcadores:

2 Comentários:

  • Minha amada mineira!
    Voce é mesmo surpreendente!
    Faz de mim a mais feliz e emocionada das criaturas, haja coração!
    Obrigada pelo carinho imenso, colocando essa foto com minha mãe, meu anjo de guarda ee sses poemas do Sylvio, poeta que adimiro e adoro e tive o privilegio de conhecer.
    Obrigada por tudo, pela confiança, carinho, amor que so mesmo uma mineira muito querida dessa india pode ser
    Amo voce menina

    bjos

    Por Blogger Conceição, às 13 de setembro de 2009 16:45  

  • ha que linda a homenagem, esse texto do Sylvio como todos os outros é apaixonante, e a nossa india e estrela viajante Ceição Bentes merece né? parabéns viu!
    Amo vc ! amo vcs! besos , Valquiria Cordeiro

    Por Blogger Valquíria Cordeiro, às 14 de setembro de 2009 23:10  

Postar um comentário

<< Home