.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Marta Peres e Poesias!


Cancioneiro Triste

O dia passa enfadonho, alma cheia
de dor transita pelo dia, um grave
dentro da minha música embarga
a voz, seca a garganta, pesar existe.

Um frio embarcou na alma, lembranças
vão passando pela mente enquanto você
dorme o sono eterno em sua derradeira
cama, mais alto soa melodia lúgubre.

Um cancioneiro triste bateu à minha
porta, deixou o peso do abatimento,
ar aflito e sombrio. Lágrimas engasgadas,
afloram dentro do peito, pesa a despedida.

Mordo palavras entre dentes nada podendo
balbuciar, nosso filme em minha mente nítido
circula deixando-me tonta, meu jardim plantado
em plena primavera morre no inverno, desolação!

Um amor tão belo ceifado brutalmente, nossas
almas gêmeas se desencontrando novamente,
laços quebrados deixando lembranças, esperança
do novo re-encontro alivia sofrimento e mágoa.

Marta Peres



Acontecimento

Caiu sobre mim a tempestade,
aqui estou chorando o desespero
que abalou minha vida, verdade
despencou tormenta na alma!

Meu sonho foi vítima de logro,
chorarei pelo resto dos meus dias
pela esperança perdida, desgosto
e dor dentro do pensamento.

Cascata de chuva cai dos olhos,
força já não me responde, sinto-me
pesada carregando todo o mundo.
As pernas não querem obedecer!

Onde está o seu sorriso? Onde anda
o carinho dos seus olhos? Seu cheiro
já não sinto nem ouço sua voz!
Onde estará você agora?

Quero enxugar este pranto,
apagar o acontecimento
que machucou minha alma
voltar a viver vida calma!

Marta Peres


Amor Poesia

Hoje eu quero morrer,
eu não existo sem tua presença,
lágrimas coração vai derramar
pela tua ausência...

Partiu sem avisar,
nem desculpa para suavizar
a dor que me causou...

Vai meu amor, vai cuidar do nosso jardim,
a vida quis assim, vai sem medo ou culpa
vai, é pouco tempo, nada tira você de mim.

Nosso amor é imenso, maior que o mar,
maior que o céu, que o infinito,
nosso amor é protegido por anjo bendito.

Sei que vou chorar, vou sofrer,
tenho que compreender, foi preciso
te perder para depois te encontrar.

Nas noites de luar quero sonhar,
quando olhar o mar
nossa canção vou cantar,
vou te ver nas nuvens,
olhando as estrelas contigo vou sonhar.

Quando a chuva cair vou sofrer,
em agonia vou viver,
uma linda poesia vou fazer
vendo a chuva chorar tua ausência,
querendo tua presença
para viver nosso amor poesia...

Marta Peres



Paz e Fé

Alma que tanto ama, esmera em sua busca,
sei, deseja a fé, sente necessidade de amar.
Algo lhe falta oh, alma, que padece a esperar,
vá buscar a glória prometida, que te ofusca.

A fé é algo precioso, todos desejam, e vêem
no peito carregado de ouro precioso, um lugar
ou um caminho que a alma sofrida quer buscar
como pequena semente querendo germinar bem.

Sei que todos os habitantes do Universo buscarão
um sonho, esperando pela paz, que querem ter
servidos em silêncio, contudo, sem nada ver,
como num passe de mágica, está em seu coração.

Debaixo de um céu negro, com nuvens escuras,
vento frio, eles decolam rumo à nova esperança,
e, em seu íntimo encontram na fé, e na bonança,
buscando para toda humanidade uma paz segura.

Marta Peres



Felicidade

Oh, alma esfaimada de felicidade,
prestes a definhar de inanição,
vá em busca do que te dará paz
afasta novas fontes de atribulação!

Ofereça ao espírito alimento, pão
espiritual, iguaria misteriosa que
opera milagres na alma humana,
buscando a fé viva e humildade!

Felicidade não está na prosperidade
nem em qualquer satisfação pessoal,
isto é mera vaidade e é feliz aquele
que renuncia a propria vontade. Resista!

Sê forte o suficiente para não ser tentada
num amanhã qualquer, modela a imagem
á semelhança do Pai, entrega-te a Jesus
de coração, encontrá felicidade até na aflição!

Marta Peres



Velho Retrato

Dentro do tumulto em minha vida
desisti de viver, vivi tudo o que pensei
viver, já em nada acredito e surpresas
não mais as terei, beleza não vejo mais!

Uma brisa revoa em minhas faces quentes
e banhadas pelas lágrimas do sofrimento,
viverei errante cantando meus martírios!

Meu perfil caminhando pela alcova vai
se esvaindo aos poucos, acordar amanhã
de manhã nem sei se irei, também, graça
já não existe há cheiro de tristeza no ar!

O retrato sobre o toucador sorri para mim,
infantes benditos, lavo a alma dentro dos
olhos amados, ah, como queria tudo diferente.
Hoje o velho retrato me faz companhia!

Marta Peres




Cantiga suave

Suave lembrança orvalhada
do sereno da madrugada.
A subida da serra, pedras
no leito do caminho e águas
de nascentes, descendo
montanha abaixo, cristalina
e doce. Velha porteira
ainda emperrada, teimosa
e empedernida. Sorriso
brando nos olhos do coração
observa fumaça na chaminé,
subindo na manhã fria
do sábado, de um julho
tirado da pura recordação.
A roda d’água cantando para
espantar o frio da montanha,
florida roseira debruçada
no pequeno jardim, na revoada
dos pássaros chegam os sonhos,
lua cheia, branca e risonha
indo buscar seu leito,
na vida que amanhecia!
O jatobá frondozo dava boas
vindas, feliz e saudoso de mim.
Ai, que saudades!

Marta Peres



Fortaleça, Senhor!

O povo ainda clama pelo pão do céu
e espera que caía como cai a chuva,
Senhor, ouvi o clamor e lamentos,
tende compaixão dos filhos de Israel!

Exaustos, fome apertando o estômago,
cansados e sedentos caminham pela
poeira do deserto, viajores bradando
socorro a milhões de anos. Piedade Pai!

Quantos ainda precisam do pão prometido,
uns mais que outros. Conforme o sofrimento
vem na boca sabor agradável, da flor de farinha
com mel. E os filhos de Israel ainda clamam!

Quantos ainda peregrinam no deserto da vida?
Quantos vivem felizes no paraíso de rosas?
Espinhos sangram os pés dos muitos filhos, afaste
Senhor este exílio, ou fortaleça para suportar!

Marta Peres


Fado

Clamo aos deuses não poder ver-te,
choro tua falta e ter-te ao meu lado.
Meus ouvidos ouvem tua voz, calada
sinto tristeza, inquieta o coração!

Não posso seguir-te nem de longe,
sinto amargura e a vida não passa
tranquila, meu céu cheio de estrelas
que não cintilam perdeu a suavidade,

dentro de mim o sossego é incerto!
Sofro por amor, sofro quando ouço
dentro de mim sua voz, vem a dor.
Sofrer por amor é meu fadário!

Preciso de paz oh, meu amor, afastar
do pensamento esta luta intermita,
o fado triste que caminha ao meu lado.
Já não suporto melodia fatalista!

Marta Peres



Ventura

Nos céus onde azula a primavera
conto estrelas e sonho um sonho
bom, percorro meu lindo jardim
do éden, sonhando com meu amor!

Afastei sombras e a luz me segreda
baixinho, espera, há de ser feliz,
transbordará como vinho no cálice
da melhor uva dos belos vinhedos.

Caminha entre rosas e coloridas
flores, irá encontrar felicidade
e paz dentro do perfume exalado
por elas, beba o cálice cálido e divino.

E não tarda em ser feliz, sentir infinita
ventura apesar da demora, do silêncio.

Marta Peres




Rede do Amor

Falavam sobre bela deusa, anjo
ou bruxa? Pergunta queima
curiosos apaixonados!

Olhos verdes a devoram sob véo
de renda cobrindo corpo nu,
cabelos negros soltos sobre
ombros alvos, bate a lua

nas dobras de um lençol de prata!
Seio virginal que a mão oculta,
estendida em esteira sonha a deusa
ao relento, doce melodia em serenata!

Passos cuidadosos aproximam, deslizam
furtivos a escada do balcão, selam lábios,
afagam-se, suspiram o amor proibido.
Em segredo misturam os corpos, medo

já não existe, desejo grita nos corações
e o som da viola ultrapassa os gemidos.
Cai dois olhos verdes na rede do amor!

Marta Peres


Filha da Noite

Ouço ainda seu riso e imagino dor da alma
que se intensifica, chorando a tenebrosa
desdita caminhou em trevas malditas.
Penso na bela morena dos olhos felinos!

Cabelos longos, vestido vermelho colado
ao corpo deixava o colo nu, decote sensual
e vigoroso, lábios carnudos de carmim. Filha
da noite chorava dentro do peito amargor!

Mulher de muitos amores tinha olhar duro,
pesado e frio, soluçava sua desgraça na alcova
sem deixar o sangue gritar, nas orgias noturnas
fechava-se, contudo, jamais perdia o brilho da flor.

Volvia o olhar aos céus elevando uma prece,
rogava ao Pai findar o suplício, pobre pássaro
maldito, viveu horrores em noite de horror. Vento
forte levou sua vida, sangue em taça borrifou a flor!

Marta Peres

Marcadores:

1 Comentários:

  • Minha querida e adorável poeta,
    Que tanto admiro e considero.
    Pelo seu talento e sua sensibilidade incrível.
    E ainda arruma tempo, para prestigiar e abrir espaço a mim e a tantos outros, que como eu, certamente, se sente previlegiado, por estar ao lado de tantas celebridades.
    A você o meu amor, meu carinho e a minha sincera amizade.
    OBRIGADO!

    Por Blogger elciomoraes, às 11 de agosto de 2009 16:44  

Postar um comentário

<< Home