.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Vício da Alma


Vício da Alma

Eu sou a flor
Embebida de orvalho
A inquietude
Que alimenta a serenidade
Aquele que parti
E deixa saudade
E aquele que fica
Depois da partida

Eu sou a palavra que falta
Daquilo que não têm palavras
O caminho mais curto
De uma estrada sem fim
O que há de mais doce
No sorrir de uma lágrima

Eu sou a dor
Mais nobre do querer
O silêncio absoluto
Que todos querem ouvir
A fronteira imaginária
Entre o ser e o sentir

E eu sou a doença
Disfarçada de cura
O impulso
Necessário do salto
O espaço
Preenchido entre os olhares
E o vício
Mais íntimo da Alma

Eu sou o amor ...

Marcelo Roque

Marcadores:

1 Comentários:

  • Minha querida amiga e poeta, fiquei muito feliz em ver meu poema publicado em seu blog ...
    Saiba que admiro muito o seu trabalho poético, e também em prol das artes e cultura ! Parabéns por tudo Marta !

    Um grande beijo do amigo, Marcelo Roque

    Por Blogger Marcelo Roque, às 9 de julho de 2009 14:46  

Postar um comentário

<< Home