.

domingo, 24 de maio de 2009

Poeta, Verluci Almeida


Verluci Almeida, casada com seu amor primeiro, tem dois filhos.
Professora, trabalhou 23 anos no Banco do Brasil, onde aposentou-se, em 1995.
Sempre gostou de ler e escrever.



ODE À VIDA
Quando a solidão te oprimir
e estiveres com o coração angustiado,
saia de casa e vá caminhar.

Observe o maravilhoso azul do céu,
sinta o calorzinho do sol em tua pele,
ouça o gorjeio dos pássaros,
sinta o perfume das flores ao passar
por um jardim bem cuidado.

Alegre-se com o colorido pôr-do-sol.
Sinta a nostalgia do entardecer.
Se encante com as estrelas que
brilham na noite enluarada.

Sinto com prazer os pingos de chuva
que molham a terra e o teu rosto.
Abra um sorriso, cante uma canção,
procure lá no horizonte distante
um arco-íris para colorir teu dia!

E agradeça a Deus que te presenteou
com o dom de ver, ouvir, sentir e falar.
- Carpe Diem! Faça o teu dia feliz!
Só depende de você!


Verluci Almeida
02-11-2006

AUSÊNCIA

Sem ouvir o marulhar,
sem ver o luar!
Vivo uma tristeza...
há muitos e muitos dias!
Sem ver flor nem ler poesia.
Numa busca que parece
ser em vão... te procuro
mas não te encontro.
Te chamo... não me ouves!
- Onde estás? -
Sem Gal... sem Chico,
eu aqui fico a te esperar!
Sei que virás... mas não sei
se a tempo chegarás!

©Verluci Almeida
25-05-2006



SIMPLESMENTE

E no tarde de minha vida
surgistes... simplesmente!
- sem saber como e porquê, -
devagarinho chegastes.

sem explicações, sem motivo,
sem razões... aqui ficastes!
amei-te com loucura, amei-te
com paixão, com muito tesão

sem regras, sem falsos pudores
apenas o prazer como limite.
apenas uma mulher apaixonada!

e assim... misteriosamente
como chegastes... assim partistes!
- simplesmente! -

Verluci Almeida
05-03-2006



Ainda há Borboletas

ainda há poetas e borboletas
nos jardins de minha infância
quando vejo a bela rosa vermelha
a dançar ao som da brisa.

ao debruçar-me à janela
ainda há uma borboleta amarela,
procurando a mais singela
dentre as rosas a mais bela.

ainda há borboletas
quando na doce magia do
desabrochar de uma rosa
dela recebe seu beijo pela manhã

ainda há borboletas
apesar do bicho-homem
transformá-las em bandejas,
pires, pratos, medalhões de souvenirs.

ainda há borboletas
nos jardins de minha infância
borboletas que em ti fazem jardins
douradas, rosas, verdes e violetas.

- ainda há borboletas!
Verluci Almeida
16/11/2005

ESCOLHAS

Assisto à tarde que se vai, ouvindo
uma canção que parece um lamento!
Lembro-me que ele passou por mim,
na manhã tranquila, através das grades
prateadas, das altas grades do jardim.

Tão longe vai a doce manhã tranquila,
toda cheia de bolas coloridas pelo ar,
de primaveras cor-de-rosa e de lindas
borboletas azuis pelos céus a bailar.
Tive medo de seguí-lo... chamou-me!

Vontade imensa eu tive, e como tive!
Mas ao ouvir o chamado de meu filho
para ver o beija-flor com seu filhotinho...
parei... pensei e por aqui mesmo fiquei!

Talvez fosse melhor assim!

Verluci Almeida
23/04/2006


RETALHOS

Com os pedaços que sobraram
de meu despedaçado coração,
fiz uma linda e suave canção
que fala de um amor distante,
de um amor proibido, e alinhavei
com os fios verdes da esperança.

Ficou lindo o meu trabalho...
todos a elogiar, sem nem pensar
que a cada pedacinho costurado,
era uma lágrima sentida que de
meu olhar perdido no infinito,
a saudade de ti fazia brotar!

Verluci Almeida
17/04/2006



TUA AUSÊNCIA

Flores secas no livro de poesias
onde belos poemas me escrevias.
Meus braços que ficaram sós
sem abraços, sem sorrisos.

Meus olhos que se perdem no infinito
tentam resgatar tua imagem.
Choro pelo que não aconteceu...
em que momento a gente se perdeu?

Triste fico a me perguntar em que
esquina da vida nosso riso se perdera.
E ela queda silenciosa...
A lágrima contida... rola!

Verluci Almeida
17/04/2006


A DANÇA DAS HORAS

Horas que entristecem.
Que demoram a passar
No ritmo de uma dança.
Monótona...

Que cansa...
Tic- tac... tic-tac
E nunca avança.

A lentidão do ponteiro,
quando amantes longe estão.
Novamente o triste esperar.
E o ponteiro vencendo mais horas.

Passam-se os segundos
Passam-se os minutos...
Os dias... meses e estações.

Tic-tac... tic-tac...
E as horas vão passando
em monótono ritmo.

E ele vai rodando... rodando...
Tic-tac... tic-tac...
no insensível mostrador.

Horas que demoram a passar
Paradas no tempo...
No sofrer do Não Amar.

Horas que não se cansam de passar.
Eu aqui sozinha pensando,
olhando o ponteiro em sua dança.

Monótona... que cansa...
Tic-tac... tic-tac...
E nunca avança...

Verluci Almeida
07/08/2006



SEMPRE-LUAS

Porque em noites tristes como esta...
tenho vontade de roubar estrelas e
apanhar um ramo florido da macieira
que exala suave e inebriante perfume.

De meu jardim quero as açucenas,
cravos, lírios, violetas, rosas e jasmins.
Delas farei um ramalhete e te ofertarei
acompanhadas por nossa suave canção.

Juntarei às delicadas sempre-vivas...
para que haja sempre-sol em teus dias.
Tua musica preferida e brilhantes estrelas
sejam sempre-luas em tuas noites vazias!

Verluci Almeida
25/07/2006


DIFERENÇAS

Eu gosto do dia,
você adora a lua.
eu apanho estrelas,
você prefere pescaria.
eu planto margaridas,
você colhe melancias.
eu alimento os passarinhos,
você sai com o cachorrinhos.
eu adoro azul,
você todas as cores.
eu não vivo sem o mar,
você escala montanhas.
eu adoro te beijar,
você gosta de ficar;
eu amo você,
você me ama.
as diferenças,
tiramos de letra.

Verluci Almeida
08-11-2006

LUSCO-FUSCO
Triste entardecer...
o sol no horizonte desmaia!
Estrelas respingam no céu,
a lua surge e a noite se faz!

Te vejo ao longe, distante estás
além das ondas, além do mar
entre estrelas sorrindo e um
belo luar, assim eu te vejo!

Acordo feliz, a chorar logo mais!
A única certeza é que jamais te verei!
Em meus sonhos me amando, sempre estarás!
Em minha realidade... espaço não há!

Verluci Almeida
06/04/2006



SOLIDÃO

A noite se faz quieta.
Nenhum som se ouve
Nem a folha caiu da árvore.

Tudo é silêncio.
Não há estrelas
Apenas uma lua triste!

Eu sem o mar.
Sem música
Sem você!

Verluci Almeida
16-11-2006


BUSCA

te procuro nas lembranças
nas nuvens, nas canções,
nos livros, nas luas,
nas janelas e jardins,
nas ondas verdes do mar.

lembranças soltas
no sorriso que deixou,
nos poemas que escreveu,
no perfume que ficou,
na saudade que restou!

Verluci Almeida
02/04/2007



SIMPLESMENTE
E no tarde de minha vida
surgiste... simplesmente!
- sem saber como e porquê, -
devagarinho chegaste!

sem explicações, sem motivo,
sem razões... aqui ficaste!
amei-te com loucura, amei-te
com paixão, com muito tesão

sem regras, sem falsos pudores
- apenas o prazer como limite! -
apenas uma mulher apaixonada!

e assim... misteriosamente
como chegaste, assim partiste!
- simplesmente!

Verluci Almeida


JANELA

De minha janela
vejo a velha árvore
que chove folhas
amarelo-ouro
quando o vento
abraça seus galhos
enquanto desenho
nuvens azuis
ouvindo o triste
lamento da cigarra.
De minha janela...
te procuro nas luas
nas flores do jardim
nos livros, nas canções
nas ondas verdes do mar.
Lembranças soltas...
nos poemas que escreveu
no sorriso que deixou
no perfume que ficou
na saudade que restou!

Verluci Almeida
19/08/2007

Clique e ouça Jean Paul De La Tour-Bonjour - Tristesse
http://www.flogvip.net/verluci/1590662



De Carinho e Ternura
Deixa-me sentir o calor de tuas mãos
dentro da noite fria...
sem estrelas... sem lua.
Abraça-me
com ternura,
como se fosse para sempre.
Cuida de mim...
carinhosamente
como se eu fosse tua!
Verluci Almeida
02/10/2006





PASSADO
A dor cresce.
Sufoca o belo sorriso.
Cede espaço à tristeza.
A lágrima rola ao recordar
lembranças alegres e felizes.
Um tempo que não volta mais.
A distância é imensa.
A saudade é enorme.
O tempo do verbo é passado!
Verluci Almeida
09-11-2006



POETA

- ah! poeta...

que se encanta com as cores das flores
que diz que saudade tem cheiros...
que respinga estrelas nas poças d'água
que faz a lua brilhar numa escura noite.

que se enternece com o sorriso da criança,
lágrima que escorre ao ouvir suave canção,
nostalgia ao lembrar-se momentos da infância
que sente na alma a magia do lusco-fusco.

que faz amor com sua musa na lua que brilha
que sente a chuva cair bem devagarinho
que solta barquinhos de papel na enxurrada,
que traz para nós o arco-íris em festa.

- ah! poeta...

Verluci Almeida
28/04/2007

ANTES DA HORA

Chegastes devagarinho... viestes com
o vento cor-de-rosa. E no momento
mágico entre minha insanidade e minha
lucidez, em tua juventude me agarrei!

No silêncio da orquestra, entre
uma sinfonia e outra, ouvindo o
Bolero de Ravel, meus mais íntimos
segredos, sussurrando... eu te contei!

Nos amamos com ternura, com tesão,
entre laços, abraços e muita paixão!
O amor que há tempos eu guardara,
com Bethânia, em mil beijos te ofertei!

Entre uma estação e outra, só ficou tua lembrança!
Na primavera florida, tão antes da hora...
devagarinho como chegastes, devagarinho partistes!
- Não houve culpados... apenas feridos! -

Verluci Almeida
06-07-2006


DE TI FAREI REI

Me deite na cama, me leve à loucura
me beije em delírio, sonhos de amante!
Me queira safada, bem depravada,
me queira menina, me queira mulher.

Sinta meu cheiro, sabor agridoce.
Me queira de dia, de noite me tenha!
Sou quem te sacia, que mata tua sede,
acalmo tua fome, faminta de sexo.

Sòmente comigo, no Olimpo entrarás!
De ti farei Rei... Rainha que sou!
Osíris em Ísis, meu amor eu te dou.
Iguarias de Afrodite, Apolo terás!

Em tua memória, hei de ficar...
de todas amadas, a mais desejada!
A mais depravada, apenas mulher!
Mulher... ternamente, apaixonada!


Verluci Almeida
05/12/2006



SEMPRE-LUAS
Porque em noites tristes como esta...
tenho vontade de roubar estrelas e
apanhar um ramo florido da macieira
que exala suave e inebriante perfume.

De meu jardim quero as açucenas,
cravos, lírios, violetas, rosas e jasmins.
Delas farei um ramalhete e te ofertarei
acompanhadas por nossa suave canção.

Juntarei às delicadas sempre-vivas...
para que haja sempre-sol em teus dias.
Tua musica preferida e brilhantes estrelas
sejam sempre-luas em tuas noites vazias!

Verluci Almeida
25-07-2006



DESPEDIDA

Colocou a xícara no pires
Com a colherzinha mexeu
bebendo o café com leite.

Sem nada falar
acendeu um cigarro
fazendo círculos com a fumaça.

Deixou as cinzas no cinzeiro.
Sem nem olhar, seu chapéu
colocou e pela janela espiou.

Chovia! Levantou-se.
Vestiu a capa de chuva
porque a chuva caia.

E saiu.
Sem uma palavra
Sem nem um olhar.

Verluci Almeida
02/05/2006

SIMPLESMENTE

E no tarde de minha vida
surgistes... simplesmente!
- sem saber como e porquê, -
devagarinho chegastes.

sem explicações, sem motivo,
sem razões... aqui ficastes!
amei-te com loucura, amei-te
com paixão, com muito tesão

sem regras, sem falsos pudores
apenas o prazer como limite.
apenas uma mulher apaixonada!

e assim... misteriosamente
como chegastes... assim partistes!
- simplesmente! -

Verluci Almeida
05/03/2006




ABANDONO

Já houve vida...
muito amor houvera!
Entre brincadeiras
era só alegria!
Muito riso se ouvira!

Sonhavam para os filhos
aquilo que não tiveram!
Os filhos cresceram
eles lhes deram o principal:
- Raízes e Asas -

Voaram... para bem longe.
Para além do oceano...
Ficaram apenas os dois.
Agora... apenas um!

No triste abandono,
como companheira fiel
ele tem apenas ela:
a Saudade!

Verluci Almeida
18-04-2006

ouça que musica linda: Sicilian Romance - Ernesto Cortazar
http://www.flogao.com/verluci/foto/126/118529848


MINHA CASA
Existem casas maiores
Existem casas melhores.
Mas... a minha casa...
É de todas a mais bela.

Minha casa é o local onde me sinto bem
Onde guardo todas minhas coleções
Onde tudo que eu quero tem.
Musica ouvindo... lindas recordações.

Minha casa é minha concha.
Onde me recolho quando triste estou,
Onde recebo a amiga querida
Que bem sabe como sou.

Onde guardo minhas bijouterias
Onde junto minhas quinquilharias
Onde teço minhas fantasias.

Onde cuido de minhas plantas
Com carinho sempre regando
Minhas flores que são tantas
Ouvindo pássaros cantando.

Viajar é muito bom.
Mas voltar para casa...
É bom demais!!! Enfim...
- Minha casa é tudibom! -

Verluci Almeida



DIA CHUVOSO

Olhando a chuva, minh'alma é pura tristeza!
Uma cantilena que lembra antiga canção,
invade suave e devagarinho o meu coração!
A chuva tece na vidraça linda renda de Veneza!

Tua imagem se faz presente em mim, lentamente,
vejo além da janela teu sorriso lindo e tão amado.
As minhas mãos tristes tocam o vidro gelado,
nele buscando talvez o calor de tua mão ausente!

Mãos que tão suavemente me acariciavam!
Pernas que se entrelaçavam, me aprisionaram!
Olhos onde eu naufragava e me perdia em mim!

Relembro teus beijos que do chão me tiravam!
Teus braços que com sofreguidão me apertaram!
Saudade! Nunca houvera amor tão grande assim!


Verluci Almeida
28/02/2006



TANGO
Na penumbra me tomas nos braços
Meus olhos hipnotizados pelos teus
tuas mãos em minha cintura.
- calor -

minhas pernas enlaçadas,
encostadas às tuas...
sinto o calor de tua pele.
- doce arrepio -

O bandoneon e o violino
testemunham este momento só nosso
dispara meu coração.
- emoção -

Num crescendo o ritmo acelera
Sinto fugir o chão...
Minhas mãos umedecem...
- embaça minha visão -

Quando murmuras em meus ouvidos
... Nada mais importa!
Eu em você... você em mim!
- tesão -

O palco enfumaçado a meia luz,
reclinas meu corpo... e me beijas!
cheiro de alfazema no ar.
desfaleço e... acordo...
- Foi um sonho... um doce sonho!

Verluci Almeida
20/05/2007



A DAMA DA NOITE

A luz de neon incide
sobre o sensual vestido
vermelho de cetim.
Os longos cabelos
presos numa flor,
brilham à luz do luar.

De longe sente-se
o forte cheiro
de seu perfume barato.
Saltos altos,
pernas sinuosas e brancas.
Decote generoso.

Entra na salão quase vazio.
O palco enfumaçado,
o bandoneon e o violino.
Atenta aos acordes de um tango
sente mãos em sua cintura.
É mais um a enlaçá-la.

Pernas encostadas às suas
e o cheiro do álcool
no hálito quente em seu rosto,
faz com que a lágrima role.
Ele partira pela manhã
(e não mais voltaria)

E todas as noites
ela sempre, ali estaria.
Era o que sabia fazer
para poder sobreviver
(seduzir, dançar, amar)
E à noite, sozinha
em seu quarto... chorar!

Verluci Almeida
27/01/2009

Clique para ouvir Julio Iglesias _ Tango
http://www.flogvip.net/verluci/6654486


QUANDO O AMOR CHEGAR

Ponha teu vestido mais bonito
e olhando para as cores do arco-íris,
saia a cantar alegre canção.

Enfeite-se com as rosas mais
perfumadas e pincele tua alma
com as cores de uma linda aquarela.

Acorde com gosto de doces de infância
e derrame violetas em quem passar
debaixo de tua janela.

Delicie-se ouvindo músicas
românticas e coloque mil estrelas
a brilhar em teus olhos.

Ande como se o chão estivesse repleto
de nuvens azuis e ao som de violinos,
do céu descesse uma névoa de borboletas.

A música virá de longe, ouvirás sininhos
a repicar e o teu coração se encantará
- quando o amor chegar! -

Verluci Almeida
12-06-2006

EU TINHA 20 ANOS

Ontem então,
eu tinha 20 anos
via o mundo colorido!
- Sem as lentes
de meus óculos.

Eu tinha 20 anos
e minhas mãos
eram lindas!
Mãos de pianista
como dizia um grande
admirador meu.

- Pintas e manchas
Não havia...
Ontem então
eu tinha 20 anos!

Eu tinha
tantos projetos...
tantos sonhos...
que se perderam
em algum lugar.

Amores morreram
antes de existir...
- Que pena!
Eu não te conhecia!

Verluci Almeida
16-11-2008



LINDA MULHER

desnudo-me diante de teus olhos
te mostro minhas humanas rugas
sem medo de rejeições!
sem medo de comparações!
aprendi que não preciso ser uma
top model pois sendo como sou,
por ti sou muito desejada e amada!
o brilho de teu olhar me reflete
uma mulher alegre e realizada!

me desnudo diante de ti, e não sinto
mais medo de não ser tão linda quanto
as estrelas, porque sou apenas uma
mulher que para ser bela precisa
apenas dos olhos do homem amado.

hoje inteiramente nua, sou toda tua,
e me sinto verdadeiramente amada!
me sinto profundamente realizada!
sei que para ti sou uma linda Mulher!


Verluci Almeida
31/01/2006



NAMORADO

que tenha mil encantos
cheiro bom,
doce acalanto...
beijo incomum!

um olhar envolvente.
que saiba ser bom amante,
que me faça muito carinho,
dum jeito inigualável...

que muito me ame...
que me faça feliz,
que me aceite como sou
e que nunca me engane!

que muito me queira
que sempre me chame
pra fazer amor
a noite inteira.

Verluci Almeida
15/01/2009


ADORO


adoro o cheiro de erva-doce, maçã
e canela, nós dois ao pé-do-fogão.

adoro as rosas que me trazes
e nossas risadas na hora do amor.

os bombons?... que sejam de licor
e que a musica seja de Bethânia.

adoro o sabor de teu vinho predileto
em doces beijos passeando em mim.

adoro o brilho de teu olhar que reflete
uma mulher, completamente apaixonada.

que este desejo, seja eterno.
que este tesão, nunca tenha fim!

- adoro!

Verluci Almeida
10/07/2008


INSÔNIA

Rua vazia.
Silêncio!
Madrugada se faz.

Uma lua branca
sozinha...
sem estrelas!

Tento escrever um poema.

Mas... meus versos,
(tu bem sabes)
que a inspiração
sem ti...
se faz calada!

Verluci Almeida
29/01/2009


EU QUERO UM AMOR ASSIM

Eu quero um amor...
que tenha os olhos brilhantes,
e que borde estrelas em meu olhar.
Que me sufoque com beijos ardentes
e que me faça juras de amor eterno!

Eu quero um amor...
que corra juntinho na praia
e assista comigo ao por-do-sol.
Que adore contar estrelas e
me abrace sob a luz do luar!

Eu quero um amor...
que saiba nadar e que me faça ouvir
sininhos ao me beijar, que me leve
pra comer pipoca na praça, e que
escreva meu nome na areia da praia.

Eu quero um amor...
que me desperte com serenata
que me pinte como La Maja Desnuda.
Eu quero um amor divertido que
saiba brincar e que goste de cantar!

Eu quero um amor...
que ande comigo de mãos dadas
que me declame poemas,
que me sussurre poesias,
que realize minhas fantasias!

Eu quero um amor...
que dance comigo na chuva
que me beije com loucura.
Que dormindo me afague,
que me ame todos os dias!

- Eu quero um amor assim!

Verluci Almeida
10/06/2006


PASSOU...

Passou feito suave canção...
só o som da melodia ficou.

Passou deixando sua poesia pelo ar
e um coração aos pedaços restou.

Passou e ficou seu suave perfume
de açucenas, rosas, cravos e jasmins.

Passou como uma pluma que o vento carrega
deixando para trás um rastro de luz
como o de uma estrela cadente.

Passou como um murmúrio de riacho,
como a brisa que acaricia, deixando no corpo
um delicioso arrepio.

Passou como o vento, fazendo dançar
meus cabelos, embaçando meus olhos tristes
com a lágrima que rola.

- Passou como tudo passa!

Verluci Almeida
26/08/2006





VENTO COR-DE-ROSA

Foi um vento
cor-de-rosa
que passou.

Suave canção
que em minha
memória ficou.

Breve estória de amor.
Não houve culpados.
Apenas feridos.

Verluci Almeida
27/06/2006







DE DISTÂNCIAS

sem prólogo
sem epílogo

te saber distante
te querer todas as horas

nunca te ver
não te sentir

dor que machuca
e me aniquila

dor tão doída
cala meu riso

me arrebento
todos os dias

nesta louca
paixão por ti!

Verluci Almeida
03/10/2006



MULHERES

advogada brilhante
médica competente
alegre balconista
exímia pianista,
eficiente empresária
modelo afamada
elegante aeromoça
culta professora
notável escritora,
sorridente bancária.
entre todas elas fico
com a triste operária,
que mata um leão por dia
pra sustentar a família,
dois onibus para o trabalho
almoço pronto às 5 da manhã,
roupas para lavar e passar
casa para limpar e encerar,
o aluguel atrasado, a lista
escolar, água e luz vencidas,
telefone cortado, e o marido?

- Cachaça no bar! -

Ela... cansada de batalhar.

- E da vida o que lhe resta?

À noite com o ator da novela
sonhar... e ela dorme feliz.
No sonho é a mais bela atriz!

Verluci Almeida
07/03/2006




EU GOSTO DE SER ASSIM

Adoro flores nos vasos,
ver meu jardim florido
e ouvir pássaros cantando.
Gosto de cuidar de minhas plantas
Adoro beijar... e abraço apertado.

Adoro telas, vasos, cerâmicas
que transbordam em cores alegres,
me deliciando com aquarelas
que me lembram flores e amores.
Não vivo sem coca-cola e chocolate.

Gosto de amizades duradouras
e com elas jogar conversa fora,
sentada no chão ou na grama do jardim,
relembrando fatos passados, rindo muito
de mim mesma e das loucuras que fiz.

Gosto de meus dois lindos filhos,
de minha querida mãe, de minha irmã.
De minhas primas, sobrinhas, tias e tios.
Amo meu amor de adolescente, meu marido
até hoje, que me tolera e não vive sem mim!

- Eu gosto de ser assim!

Verluci Almeida
03/09/2006


AFINIDADES
Para a poetisa Flor(bela) Espanca

Eras a flor... de todas a mais bela!
A poetisa sem sorte e em tua dor,
Vivestes toda uma vida sem amor.
Triste e bela, teu nome era Florbela!

Mostrastes ao mundo a tua solidão.
Tua mágoa, em lágrimas naufragava.
Teus sonetos, com lirismo encantava.
Só tu sabias como sofria teu coração.

Em tua alma de pássaro encantado,
Vejo muito do que sinto, me espanta
Coisas minhas escritas em tuas linhas.

O amor por ti almejado e sonhado
Em versos declamado me encanta.
- Que afinidades comigo tu tinhas!
Verluci Almeida
08-04-2007


NOSTALGIA

A claridade da lua
reflete na taça de cristal
doses de minha saudade.
Na sala vazia...
o blues a tocar
acorda lembranças!

Teus lábios nos meus.
Tuas mãos descobrindo
os meus caminhos.
Na mesinha de canto
em nuances azuis,
o cúmplice abajour.

De prata, é o porta-retratos
que guardou na memória
teu terno e doce sorriso.
Além da janela,
no lindo jardim,
lírios, açucenas e jasmins.

Na noite escura,
as badaladas do carrilhão
espantam fantasmas.
Na lareira acesa,
a madeira queimando,
solta belas faíscas.

Nas chamas que sobem
procuro teu rosto.
Teu rosto amado.
Teu rosto querido,
tatuado em minh'alma!
- A lágrima rola! –

Verluci Almeida
26/06/2007



PARADIGMAS

um nó no peito
como se fôra um apêrto,
nesta doce loucura
que me consome a alma.

sensação de vazio
em tua ausência,
de plenitude
na tua chegada.

queimamos etapas.
não seguimos as regras!
fizemos do epílogo o nosso prólogo
e valores... nós invertemos!

a angústia afastamos,
com a alegria contagiante,
do 'quando enfim
nos encontramos'

limites ultrapassamos.
nem certo e nem errado.
nossos paradigmas?
- quebramos!

Verluci Almeida
08/11/2008


INTERLÚDIO

Não haverá futuro?
- Não importa!
Vivamos estes breves instantes
Que a vida nos concedeu.

Instantes mágicos,
Sublimes, ternos...
Românticos e sensuais
Vividos ao sabor do vento.

É tudo demasiado.
Tudo rápido demais.
Neste nosso novo mundo
Estrelas brilham ao sol do meio-dia.

Já disse algum poeta que
Em um momento se vive uma vida.
Feliz, acordo cantando com Bethânia:
- Pra que amendoeiras?

Verluci Almeida
06/11/2008

AOS POUCOS
Meu rosto era tão lindo
tão claro, lisinho.
Foi enrugando-se
aos poucos.
Sonhei primavera florida
Vivi intenso verão.
Folha eu fui no outono.
Desintegrei-me aos poucos
No gélido inverno
Me desfiz em flores e cores.
De mim, restou apenas
A lágrima que rola
Nos olhos de meus amores!
Verluci Almeida
02/09/2006



ESTRADAS

As estradas que não percorri
foram tantas...
as estradas...

o que deixei de fazer
o que eu não vi
o que eu perdi...

agora na encruzilhada
de minha vida
penso na estrada que escolhi!

e as outras?
as estradas...
que não percorri?

sonhos que sonhei
beijos que não ousei
não sei...

a madrugada me surpreende...
enquanto escrevo versos,
a lua me sorri!

na poça dágua respingam estrelas
nelas me olho mas não me vejo
- onde foi que me perdi? -


Verluci Almeida
14-06-2006

ENCRUZILHADA

Da vida estou na encruzilhada.
Fico a me perguntar: quem sou?
- e vendo que o que sou é nada -
queria saber onde meu sonho ficou.

Como encontrá-lo?... onde errei?
Será que escolhi a estrada errada?
De onde vim, o que sonhei, já nem sei!
- De não o saber, fico sozinha e calada -

Se pudesse ao menos atingir este lugar
onde a gente sonha ser muito feliz enfim
na Pasárgada de Bandeira tentar chegar!

E dos meus sonhos fico triste a relembrar
vendo que a almejada felicidade, existe sim,
- apenas não a colocamos onde podemos estar! -


Verluci Almeida
16-06-2006


SOU TUA
sou tua na cama
sou tua na lama
sou tua mucama
meu lindo Senhor!
sou tua na lua
todinha nua
só quero ser tua
meu lindo amor!
sou tua hoje
amanhã tua serei
sou tua à noite
de dia também!
sou tua agora
a qualquer hora
sou tua no inverno
no outono também!
na primavera sou tua
no verão tua serei
em todas as estações
e pelos séculos Amém!
Verluci Almeida
03/01/2006


AFRODITE

Venha amado meu...
Quero despertos os deuses de tu'alma
E então provarás iguarias de Afrodite!

Desafio-te ... Zeus a me conquistar!
Com o charme de Hermes, devotando-me
de Hades, seu amor fiel!

Deus viril... Apolo eterno...
Seduza-me agora! Em jogos de amor
me envolva ardente Hefesto!

Quero as mais loucas emoções
de Poseidon... e então...
possua-me... incontrolável Ares!


Verluci Almeida

Marcadores:

11 Comentários:

  • Marta querida!

    Este dom que tens de
    simplesmente "encantar"
    as pessoas, é que faz de ti
    uma pessoa tão amada por todos.

    - O que posso dizer?

    Apenas direi que fiquei muito emocionada!
    E que fizestes uma velhinha feliz!

    Que a alegria que proporcionas a todos que
    estão engatinhando na poesia como eu,
    retorne como uma chuva de bençãos!

    Que Deus te dê muita saúde, para que por
    muitossssss anos, possamos usufruir desta
    tua maravilhosa companhia e amizade.

    Muito agradecida!

    :) TE VOGLIO BENE!

    Verluci Almeida

    Por Blogger Verluci Almeida, às 24 de maio de 2009 21:54  

  • Que coisa boa ler os poemas da Verluci em sua coluna, Marta. Parabéns pela escolha. Verluci, além de ser uma mulher talentosa na arte da poesia e gráfica, é também uma pessoa muito querida. Seu carisma, sua meiguice e generosidade são impressionantes. Ela dissemina cultura e amizade.
    Grande beijo às duas.
    Com carinho,
    Chris

    Por Blogger Chris Herrmann, às 24 de maio de 2009 22:43  

  • Em suas mãos, a destreza da caneta.
    Nos seus rabiscos, surge, bela e terna, a linda poesia...
    Vera Lúcia consegue escrever com alma, e isso, torna os seus versos, a mais pura expressão do sentimento... e por isso que vale a pena lê-los...

    Por Blogger Oswaldo, às 25 de maio de 2009 10:58  

  • Olá Marta!
    Prazer imenso em te conhecer e estar aqui no seu "cantinho" que é grandioso e muito belo.
    Assim como você, adoro ler e escrever, especialmente poemas que tocam o coração, como os da minha "mana" Verluci, que foram postados aqui.
    Adorei lê-los e posso dizer sem receios que apesar da correria em que vivo ultimamente, sem quase tempo algum pra navegar, sinto que GANHEI muitas horas de prazer, alegria e satisfação, ao ficar aqui alguns minutos lendo tanta coisa linda.
    PARABÉNS A VERLUCI pelo dom grandioso [que já conheço há anos] e parabéns a você Marta que fez [com esse post] do seu maravilhoso espaço virtual um jardim encantado.
    Um local que se já era lindo, ficou mais ainda!
    E repito: foi grande o prazer em te conhecer!
    Besitos, muita saúde, muita paz e eternas alegrias no seu viver.
    FIQUE COM DEUS.

    Por Blogger Eugênia Bittencourt, às 26 de maio de 2009 12:05  

  • bOA NOITE NOBRE POETISA VERLUCE. VIM AQUI PARA LER SEUS POEMAS E POSSO DIZER QUE SÃO DA MELHOR QUALIDADE. fAZ-NOS ANDAR PELAS NUVENS, EM SONHOS IRREAIS E QUANDO FALAS DO QUOTIDIANO, DO AMOR E TUDO MAIS, CONSEGUES ÓTIMO DESEMPENHO. CARINHOSAMENTE MARCO ORSI

    Por Blogger MUSICAS E POESIAS, às 26 de maio de 2009 19:23  

  • Parabéns Marta, pela escolha...Verlucci é uma poeta talentosa, alegre, sempre de bem com a vida, encanta com sua bela poesia, e nos enche de boas energias! Ver Lucy é pura alegria!Beijos poetamiga! Sucesso!Bemtevi

    Por Blogger Benvinda Palma, às 27 de maio de 2009 15:35  

  • A escolha de Verluci Almeida, floriu O Rebate.
    Sua poesia traz força, emoção e lirismo a flor da pele.

    Parabéns Marta Peres, e aplausos à poetamiga "Verinha"!

    Por Blogger ruthmperrella, às 27 de maio de 2009 19:12  

  • Eu a chamo por Verlinda... Sabe essas pesoas que chegam e de imediato fazem brilhar a tudo e todos?
    É assim que eu percebo essa nova amiga; essa poeta incrivel, enfim, alguém que escreveu "Poeta", tem de fato e de direito ser muito especial para todos, não é verdade?
    POETA
    - ah! poeta...
    que se encanta com as cores das flores
    que diz que saudade tem cheiros...
    que respinga estrelas nas poças d'água
    que faz a lua brilhar numa escura noite.

    que se enternece com o sorriso da criança,
    lágrima que escorre ao ouvir suave canção,
    nostalgia ao lembrar-se momentos da infância
    que sente na alma a magia do lusco-fusco.

    que faz amor com sua musa na lua que brilha
    que sente a chuva cair bem devagarinho
    que solta barquinhos de papel na enxurrada,
    que traz para nós o arco-íris em festa.

    - ah! poeta...

    Verluci Almeida
    28/04/2007

    Moça, amiga e competentíssima Poeta, vc merece por inteiro essa homenagem em tela, alíás, vc é merecedora de todas as homengens e mimos possíveis, pois vc é um doce de pessoa e um diamante como escritora!
    Te adoro maninha-menininha Verlinda!
    Antônio José

    Por Blogger Antônio Poeta, às 27 de maio de 2009 23:37  

  • Mamys...ainda nao li todos os poemas que tem na pagina...mas achei de muitissimo bom gosto...Aquele primeiro da pagina entao...parece que me vejo...que sou eu qm estou caminhando por todas as paisagens descritas nela...sou sua fa Vera Lucia...minha Verluci.
    Te amo bem muito

    Por Blogger Pritcila, às 28 de maio de 2009 17:25  

  • Mestra qui coisa mais lindaaaaaaaaaa!
    Adorei este bog!

    A primeira poesia me emocionou dimais, vou levar ela e quando tiver um tempinho te devolvo formatada!

    Carinhos Munhozianos pra você!

    Por Blogger Munhoz, às 9 de fevereiro de 2011 14:06  

  • Fico feliz, Verluci, por encontrá-la aqui, em "O Rebate", com nossa estimada Marta Peres, poetisa mineira de projeção.
    Uma vitrine de talentos no cenário nacional.
    Parabéns!

    Por Blogger rosangelaSgoldoni, às 1 de julho de 2012 19:07  

Postar um comentário

<< Home