.

sábado, 22 de março de 2008

Belas Poesias e Amigos! Parte I


Tão belas poesias encontramos!
Amigos e poesias reunidos para um pequeno sarau poético.
Falando no amor, vamos caminhando lentamente, abrindo o peito, deixando entrar o ar nos pulmões, olhando os textos passo a passo.
A alma vai sentindo-se mais feliz, revigorada para a labuta do dia a dia.
Neste tópico você leitor amigo, irá encontrar lelas poesias e amigos poetas.

Tenha uma boa leitura, como se música soprasse em seus ouvidos.



Lembras de mim?

Olhe-me.
Tente me enxergar com o coração.
Tu ainda tens um coração?
Abra agora teus olhos.
Reconheça-me!

Lembra-se quem sou?
Foi para mim, seu primeiro
olhar de insegurança...
Eu te abracei com tanta paixão
Que te senti invadir m'alma!
E num abraço forte, te protegi...

Em meu peito encontraste calor.
Perdi-me em teus olhos de céu.
No azul que brilhava,
Sonhei a Paz existir!...
Tão tua me fiz,
que te sufoquei de amor.
E te libertaste enfim... Eu te perdi.

Voaste alto em busca da felicidade
Que nunca encontraste aqui.
Tu te foste, mas continuarás
Sempre dentro de mim:
Mesmo negando me ver,
Mesmo não ouvindo minha voz,
Nem sentindo meu abraço.

Mesmo não me amando mais,
- se é que um dia me amaste...
Continuarei aqui,
Vivendo por ti.

(Aut: Ginna Gaiotti)




VEM
Vem que te quero linda,
Hoje mais ainda,
Antes que seja amanhã,
Nasça como uma manhã.
Com toda suas manhas,
Me arranha
a alma inquieta.
Lady predileta,
Musa favorita,
Está escrita
Na minha pele,
Pelo beijo mais recente,
Sorriso mais contente.
Deixe cobri-la de rosas,
Poema liríco,
Cantos amenos,
Ao meno diga sim,
Cedo ainda é tarde,
Á vida, sem alarde,
Tarde de sol, estrela,
Gosto de vê-la,
Senti-la á flor da pele,
Pela mansidão do rócio.
Por ser meu ópio,
Por ser própriote amar.
Mar de desejos,
Meu enlêvo,
Meu relêvo,
Te quero linda,
Te quero ainda,
Vou sempre te querer!...
[gustavo Drummond







Mulheres-Poesia

Poética de pedras preciosas,
com rimas de rubis e diamantes.
Luares, Sóis e Pétalas de rosas
em todas as cantigas dos amantes.

Donas da dor, do amor e belas prosas,
gerando vidas, sonhos e esperanças
num mundo de cantigas tenebrosas,
desafiando os passos dessas danças.

Nem mesmo o sal, o tempo, a maresia,
a pedra falsa e o cinza das janelas
podem co’ a força e o brilho das Estrelas.

Mistérios de ouro e prata no planeta!
Ventos de águas marinhas na caneta:
Amantes, Mães, Mulheres... Poesia!

© Nathan de Castro








Café da Manhã

© Nathan de Castro

Bom dia, Solidão, chegou o outono,
lá fora o céu faz festa azul-nobreza.
Vem, senta-te comigo à minha mesa.
— vale lembrar-te, ainda sou o dono. —
Bebe o café e deixa essa tristeza
de lado e espanta as trevas do abandono.
Senhora Solidão, as desavenças
deixemos pra depois... Agora eu quero
sorver dessa poesia e sem ofensas
dizer-te em claro tom, sem lero-lero:
"à tonga da mironga", se ainda pensas
que casa de poeta é a morada
eterna, amiga e sempre preparada
para hospedar balofas de descrenças.







Poeta e poesia

A tarde fria
se adianta e cria a noite.
A sala se faz
em ausência de vozes
de palavras e de amigos ...
E sobre o papel
o nada...

Corta o silêncio
uma a peça de Bach
com seus violinos e cellos ...
Os enigmas agora se debatem
entre flores e folhas
entre nuvens, chuvas e sonhos...
entre o lírico e o moderno...
Enigmas impulsionados
pela roda
da fortuna de sentimentos...
entre o riso farto
e todas as perguntas
diante da cumplicidade
de um espelho...

E eis que as idéias saltam
como o perfume ardente
das eternas musas...
Como se a poesia já estivesse escondida
entre a tinta azulada da pena
que agora ligeira e firme
registra com muito lirismo...

E jorra luminosa
dos olhos, dos sonhos
de todos os sentimentos...
do seu coração em harmonia...
Ele por si só traz em si
um encanto, um enigma .
Ele é a própria Poesia.

de : megg.carioquíssima




Espalhada

Hoje não temos frases
Para dizer o quanto nos amamos.
Mudos, espalhamos palavras
Que outrora nos habitaram.

Hoje não temos imagens
Para mostrar o quanto nos desnudamos.
Cegos, espalhamos espelhos
Que outrora nos refletiram.

Hoje não temos espantos
Para provar o quanto nos surpreendemos.
Estáticos, espalhamos espantalhos
Que outrora nos esconderam.

Somos todos
estranhos, ridículos,
mal feitos e desajeitados,
mas imensamente belos,
espalhando palavras
espelhos e espantalhos.

Oswaldo Antônio Begiato




Tempo

O tempo é estático,
Somos nós que passamos.
Os amores não acabam
Somos nós que de amores mudamos.
As flores são eternas
Nós que a vemos murchando.
Todo dor é perene
Somos nós que nos acostumamos.
Toda hora é para sempre
Pena, que sempre abreviamos.
Toda chegada é partida, e é definitiva.
Somos nós que nos ausentamos.
Todas as lágrimas são repetidas
Somos nós que de novo derramamos.
Todas as respostas estão prontas
É nas perguntas que erramos
Todos os mortos estão vivos, e serenos
Fomos nós...que morremos.

Tonho França





Contrapontos

Em seus olhos vejo esperanças
Vejo também o medo
A esperança de começar de novo
O medo de não resistir e voltar
Ao fundo do poço.

Vejo em seu olhar, a alegria de recomeçar
Escuto atentamente seus planos
A auto estima que sai dos gestos.
Mas o medo também transparece
Pois, vêm as lembranças das tentativas.
Das vezes que não resistiu
E novamente recaiu

É tão bom ver-te com esperança
Consciente que precisa mudar
Com varias metas a conquistar
Porem, é triste sentir a angustia
Que de seu coração deixa transpassar
O medo de não superar.

Ataíde Lemos






Milagre da vida


Você me trouxe a felicidade e amor sem fim
Nossos dias passados faz me sonhar acordada
Em seus braços fortes eu sempre estava abrigada
Você me protegendo e eu vaidosa me sentia assim

Quando nos amamos o mundo fica colorido, é euforia
Sublime momento, mundo se transformando em poesia
Voamos para universo perfeito, onde só eu e você existia
E na força deste amor uma semente crescia, eu já sentia

Deste nosso amor perfeito, Deus nos abençoou
Em meu ventre, dois anjos,vieram fazer morada
As mãos deslizavam sobre meu ventre, eu chorava
Aos poucos o milagre da vida em mim se projetou

Uma mistura de suor, lágrimas e muita alegria
Dois anjos nasceram, imensa alegria, medo sentia
Aqueles dois pequenos seres, só de mim dependia.
Como duas estrelas a brilhar, minha vida veio mudar

De joelhos, ao presente eu fiquei agradecendo
Era o milagre da vida, era um sonho nascendo
Deus mandando amor e o amor permanecendo!

Eliza Gregio





Viagem

O homem morre
sempre que se afasta e mata
sua própria divindade.
O homem sofre
por querer ser mais do que pode,
mais do que deve.
O homem vence
quando entende que a vida
tem perdas e ganhos,
perder é ganhar muito
e o Ser todo é tudo,
do micro ao infinito.
Já não é mais o homem da matéria
é o corpo aportado, cósmico,
uma alma desejando a partida,
o momento tão esperado :

é hora da despedida !

Bia Marquez





Várzeas dos olhos


Seus olhos são azuis: Céu!
São várzeas de um verde intenso
Que adorna a cor do véu,
São duas luzes que tanto penso!


Dos teus olhos a poesia derrama
E da emoção o amor é água
Que na sua euforia me ama
E na paixão se deságua!


A beleza de seus olhos cala a Natureza,
É um espelho vindo da alma; ama-me!
Discreta, mostra sua íntima leveza!


São olhos eternos: acalma-me!
Quero nessas imensas várzeas me perder
E diante de teu olhar quero me ceder!


Carlos Máximo


Decisão



Razão obscura, voz do amor,
Poema relido, não tido, poema maldito,
Olhos fundos, situação de dor,
Perdê-la, até agora não acredito.

Razão sem resposta, sem texto,
Personagem da paixão, e do verso,
Noites infinitas sangra o contexto
No peito do poeta inverso.

Engolido pela noite fria,
Acorda-se com a voz da razão:
Terminar tudo, no eu, morre a poesia.

Numa ausência sem emoção,
Secam minhas termináveis veias
Ao canto do vento que sopra nas areias!



Carlos Maximo





Ato-me

Preparo o caminho de meu olhar,
Aprendo a linguagem certa.
Mando que minha voz venha,
Mas ela diz que não sai.

Aninho-me dentro da noite
Espero o respingar da lua
Cair em teu rosto súbito,
Mas ela diz que não cai.

Saiu só, desse vazio,
Buscando teu olhar que vem.
Ato-me aos teus pés de anjo
Que salta numa lonjura infinda,
Penetro num átrio de estrelas,
Balanço-me no espaço escuro,
Precipito-me dentro de tudo,
Arrebato-me dentro da noite
E persigo o que te contém.

Encontro na dobra do espaço
Um mapa indicando um rastro
Que me diz o que é certo:
Só contigo eu estou bem.


Rachel D.Moraes




contradição
(C.Vasques)


vais partir? mas parte em silêncio
tudo já foi dito , não me queres
e eu não posso te obrigar a me amar!
segue teu destino tu assim o
quiseste e nada posso fazer
a não ser me conformar...
não, não vou sofrer
esta lágrima ardente é tão somente
por causa do vento que sopra forte não
deves te preocupar...
eu até consigo te acenar.... sorrir..
quero apenas que sejas feliz...
mesmo com o coração em pedaços
vou procurar resistir...

se na tua caminhada soluços escutares
- meu pranto -
não te impressiona não é nada
estou apenas emocionada com
a beleza do mar!

ah! mais por favor não te voltes
posso correr ao teu encontro e
te pedir que não vá!
e se mais tarde, tua saudade
te fizer retornar...
eu vou estar aqui
neste mesmo lugar ...




MEU AMOR DE MIM"

Bebo a água
bebo a mágoa
meu sangue de raiva a fluir

morango
de sol e de lua
minha ponte pronta a ruir

meu infiel amor
meu ramo
de urze quebrado

meu coração
de algodão
minha dor, flor de jasmim

Meu cais
meu porto de mim

luiza caetano





Saudade


Sonho que não sonho mais,
realidade que já não me satisfaz,
alegria saturada pela dor.
Tudo culpa do amor!

Felicidades que tanto faz,
beijos que não conheço mais,
afagos e carinhos perdidos no cais...

Vazio que cresce em todos momentos,
noites de agonia e lamentos,
tristeza que invade, meus sentimentos,
lembranças de felicidades...
Tudo isso se chama , saudades!

(Valquíria Cordeiro)




ALMA CIGANA

Grita alma minha,
que não te gosto calada!
Trás sentido à minha vida.
Desafroxa essa gravata!

Que fiques da pá virada
e rode a sua baiana.
Agite esse corpo que dorme.
Leve vida de cigana!

Transpasse além da matéria,
que te quero em liberdade.
Que ecoe em minha pele
toda a sua eternidade.

Ranca a máscara da cara
que o corpo ousa usar.
Que me vire do avesso
se for prá te libertar!

Te quero ver transparente,
voando de encontro ao tempo.
Guiada pela emoção,
senhora do pensamento!

És dona do meu nariz!
Guia-me nas tuas vontades.
Dos seus desejos, sei todos.
De mim, sabes todas as verdades!

Então seremos uma só:
corpo e alma em fusão!
Dádiva da felicidade.
A mais bendita união!

(Mell Glitter)





Pensas tu

E pensas tu que fiz por amor
Há! Coração.

Fiz por um sentimento maior
Por uma paixão que me aquece
E até me fere o peito
É uma dessas paixões que não oscila
Fica firme, fixa! Mantendo-me prisioneiro
Ás vezes, me deixando sem jeito
Diante do teu olhar...

E pensas tu que fiz por amor
Há! Tens razão.

Que sentimento pode ser maior
Que este, de te sentir tão perto
De te querer, aqui... Bem próxima.
De adormecer ao teu lado
Sonhar junto de ti
Abraçar-te, beijar-te
E amar-te a todo instante.

...........” Catarino Salvador “.








Águas agonizantes

Água, agonia, atuação inadequada
Esgoto e poluição, terror da nação
Crescimento, desenvolvimento, situação adequada

Utilizando os inseticidas
Nas águas, são padecidas
Utilizadas como esgotos
Nunca vão sentir seus gostos

Nos últimos anos vem se agravando
Pelas fábricas, resíduos vão jorrando
Crescimento desenvolvimento, situação regrada

Águas do mundo, acabam num segundo
Águas agonizantes, situações hibernantes
Águas caudais, vidas terminais
Águas ribeirinhas, sem vida caminha

Fonte de alimento, água a irrigar, a morte vem devagar
Necessidades a serem adotadas, medidas antipoluidoras, à vagar

Nossa preocupação é que haja consciência
Porque a própria ciência, já prevê a extinção
Da água de toda nação, não terá sobrevivência

Carlo Magno





Fortuna

O que eu busco insistente
como se fora a felicidade
e trôpego o destino?
Quero crer e já não creio.
Verdejar, não verdejeio.
O que busco e lá não sei
entre restos inválidos
e vazios morais?
O que quero e não tenho
da luz do sol nos quintais?
O que sei e não revelo
aos parceiros de infortúnio?
Nada tenho, senão
um corpo mudo
e o desejo de paz
calando na alma, fundo
varrida a irreal textura.
Nem crenças, nem regojizo,
nada espero do homem
alem da melancolia
da triste paisagem interior.
Que fazer, senão repetir,
ad nauseun, esta vil condição
da consciência?

RicardoSReis


Salvo Engano

Quero sentir no ar suave que ao verão encerra
Tua fragrância de ambição sutil e sensual espera.
Ao buscar-te, descobrir o amor no limiar do outono
Benfazeja temporada onde não cabe engano.
Ah! Deixai-me estar, pois vou amar-te eternamente
Qual estação de vida em que a ventura se apresente.

Ricardo Sant´Anna Reis




Principiar

No principio, todo amor era franco
Todo desejo, jubiloso
Toda poesia, liberta
E os homens deveriam
Cuidar de apenas ser.
Por princípio, ainda hoje
Deveríamos laborar
Afrontando a qualquer poder;
O inefável domínio do dinheiro
A baldia vaidade
O senso arbitrário do esteta.
Em princípio, do inicio ao fim
Apenas uma solitária verdade
Se tudo se retira ao sentido
Que seja o amor o que nos resta!

RicardoSReis






E O AMOR NASCEU

E o amor nasceu...
firme e belo
lívido, sereno
trazendo com ele alegrias incontidas
E o amor nasceu...
e veio com ele todos os desejos reprimidos
os sonhos de menina
que hoje se tornou mulher
E o amor nasceu...
e com ele nasceu as incertezas
o medo do amanhã
e a ânsia de viver o hoje
E o amor nasceu...
e com ele um medo voraz
que não se sabe donde veio
nem sabe pra onde vai mas está lá.
E o amor morreu...
e com ele os sonhos de menina
os desejos que não eram tão mais reprimidos assim
deixando certezas nunca antes pensadas
e agora a ânsia de viver o amanhã
e o medo do hoje.
O medo?
esse passou a se chamar solidão.
E o amor morreu
e será que com ele eu ?


Rosane Silveira






Domínio




Coração dominado...
Deu-se, entregou-se.
Descuido eterno...
Preso em armadilha
Naturalmente preparada.
Um olhar anulando chances
De fuga...
Amor que vingou,
Floresceu, encheu de vida
Outra vida...
Sol que aquece, voz que
Acalma...
Rebento da alegria que renova
E acalenta.
Fruta saborosa que se prova
Todo dia com mesmo apetite...
Força enfraquecida em um
Beijo...
Convite da felicidade que
Não se recusa...
Promessa certa de um
Sorriso a cada amanhecer!...

(Cida Luz)





Bendito Amor!

Sentimento que acalenta a alma,
Visita coração em prece
Feito orvalho tocando a pétala
De uma rosa agradecida.

Horizonte vestido de alegrias
Saúda com fervor o prenuncio
Do amor que se aproxima...
Dádiva a ser acolhida com toda
Devoção...

Límpido prazer que engrandece
A vida no instante de
Felicidade em que olhos marejam
De ternura diante emoção
Por tanto amar...

Que eterno seja tanto querer...
Tanta doação de vida em outra
Que se tornam únicas na
Imensidão do universo!...

Cida Luz







Eu Poesia

Farol que ilumina minha cegueira
dentro da noite negra de tempestade,
ferro em brasa que arde em fogueira,
rosas que enfeitam meu jardim de saudades!

Pensei ser neste mundo uma vencida!
Ando de cabeça erguida, encaro o sol,
a lua, sou águia, perdi o medo da subida,
para muitos, hoje sou liberdade, sou farol!

Dentro de mim o poema raia sublime,
meu poeta quer a perfeição,
e a águia voa, livre, voa, com fé, redime,
e o amor entranha no peito, pura paixão!

Marta Peres

13 Comentários:

  • Eu adoro quando reúnem poemas dos mais variados estilos e gostos.Isso é a coletânea das obras do coração dos poetas.Cada um com seu estilo, sua maneira singela e terna de poetar, que canta nos ouvidos de quem as lê.
    E eu me embalo nesta canção...Parabéns, Martinha, por tais iniciativas!!!

    Bjnhus

    Por Blogger Mell Glitter, às 22 de março de 2008 19:48  

  • Amiga esta lindo leu poema e uma vencedora, com muita garra, que não tem medo de voar.Um beijo minha linda amiga Eliza Gregio

    Por Blogger Eliza Gregio, às 22 de março de 2008 19:48  

  • Amiga ficou lindo o meu poema,voce nunca me esquece e isto que te faz tão querida por mim. Um beijo no seu coração

    Por Blogger Eliza Gregio, às 22 de março de 2008 19:54  

  • Querida Marta....

    Parabéns pela tua iniciativa em abrir um espaço no teu blog para divulgar outros poetas.

    A poesia é universal...cabe no coração de todos....

    bjus e poesias.... sempre!!!!!

    Por Blogger BIA MARQUEZ, às 23 de março de 2008 14:17  

  • Querida amiga, linda iniciativa em postar poemas de autores diversos, quanta poesia, quanta candura nessas linhas
    me sinto honrada em participar de tal iniciativa onde poetas maravilhosos tem seus nomes citados
    Um beijo enorme poeta da alma de muitos poemas e poetas
    te admiro muito Marta

    Por Blogger VIDA EM POEMAS, às 24 de março de 2008 05:48  

  • O poema DUAL é belíssimo! Nele a água ganha uma conotação metafísica, como um lubrificante para a vida cotidiana, como uma seiva vital a alimentar a alma com emoção e fantasia. Da mesma forma que a água é uma fuga para a terra firme, a fantasia e a emoção sáo escapes para a secura do dia-a-dia.

    Não pude ler todos os poemas, mas aqueles que li são muito bons. Parabéns pelo belíssimo trabalho!

    Por Blogger Djalma, às 28 de março de 2008 05:06  

  • Marta...que bela coleção de poemas! Usastes de um critério qualificado nesta seleção, o que só favorece a afirmação deste momento de recuperação da poesia como veículo de cultura humana e ação civilizatória. Obrigado por me incluir. Fico honrado!..Beijos...RicardoSReis

    Por Blogger RicardoSReis, às 31 de março de 2008 12:38  

  • Grande espaço,poetas de versos marcantes!!!Parabéns à todos!!Eu adoro dizer sempre da força que esta poeta querida tem quando versa:"...lixo hospitalar...lixo orgânico...lixo sideral...Incinerar os pensamentos..."Dá-lhe poeta!!Dá-lhe Niterói!!Viva a poesia nos traços de Claúdia,no poema Velho Mundo!!Beijos poetas!!Nina Araújo.

    Por Blogger Nina Araujo, às 31 de março de 2008 16:20  

  • Esse é um blog que voa na unidade
    de Marta Peres!
    Parabéns a todos
    beijinhos
    Claudia Almeida

    Por Blogger claudia_all.post, às 31 de março de 2008 17:17  

  • OBRIGADA QUERIDA AMIGA E POETISA MARTA!

    NA VERDADE, MEUS POEMAS, MEUS RABISCOS COMO COSTUMO DIZER, SENTEM-SE HONRADOS EM TEREM SIDO ESCOLHIDOS PARA JUNTO COM OS TEUS POEMAS E DE TANTOS POETAS CONSAGRADOS SEREM PUBLICADOS EM TEU MARAVILHOSO JORNAL.

    MUITO OBRIGADA QUERIDA, E PARABENS POR SER ESSE TALENTO RECONHECIDO POR TODOS!
    BEIJOS
    31/03/2008

    CELINA VASQUES

    Por Blogger celina, às 31 de março de 2008 18:31  

  • Marta me fascina sobretudo pelo carinho que tem por nós poetas menores.

    Muito obrigado amiga e poeta pelo espaço precioso que sempre me concede aqui.

    Obrigado...

    bjos.w

    Por Blogger Wadão, às 1 de abril de 2008 05:37  

  • Marta,
    iluminado espaço,
    preciosa oportunidade que nos concede de poder, quiçá, tocar uma alma com nossas poesias
    coração enorme,
    só posso te agradecer
    sempre.
    Besos poéticos
    Ana Perissé

    Por Blogger Anna Ciber Red, às 3 de abril de 2008 04:35  

  • Obrigada querida Marta por esse afago em minha alma fico lisonjeada e honrada em estar em um espaço onde tantos poetas de grande quilate deixam seus poemas
    Obrigado meu anjo por todo esse carinho pra com meus fragmentos

    beijos em tua alma e na alma poetica de todos os fazedores de amor (poetas) que aqui estão

    beijos na alma
    paz e luz

    Por Blogger VIDA EM POEMAS, às 8 de maio de 2008 09:52  

Postar um comentário

<< Home