.

domingo, 16 de março de 2008

Novos Talentos!


Hoje apesentamos o poeta Auber Fioravante Júnior, grande poeta, filho do nosso Rio Grande. Mais e mais notamos o número de pensadores localizados no sul do país.
Auber é poeta maravilhoso e se esconde dentro de sua humildade. Sensível, delicado, humano, quieto. Como todos poderão ler, os poemas deste poeta são de um bom gosto a toda prova.
Parabéns Poeta!




Auber Fioravante Júnior nasceu em Porto Alegre - RS., no dia 14 de abril de 1962, filho caçula de Auber Fioravante e Silva e de D. Norma Silva.


Sendo uma pessoa de sensibilidade aguçada, seu interesse pela poesia surgiu por volta dos anos 80, período que considera-se um mero principiante.

A partir do ano de 2.004, Auber começa a produzir suas poesias num rítimo acelerado, tendo feito desde então,

mais de 500 poemas.

Considera o seu poetar algo simples, transmitindo um romantismo bucólico e de muita profundidade.

Sua poesia transmite, também espiritualidade.


Destaques

. Auber Junior lembra com carinho de seu grande mestre e incentivador, o escritor gaúcho Laury Gonzaga Maciel, que entre outras obras, escreveu "Noites no Sobrado".

. A música tem grande peso em sua vida.

Muito ligado ao rock... diz-se que é um roqueiro precoce, pois curte este estilo de música desde os 12 anos, ouvindo Led Zeppelin, Pink Floyd, The Who dentre outras bandas, mas também não esquece Caetano Veloso,

Gal Costa, Toquinho e Vinícius que o levaram ao aprendizado do violão, que toca em roda de amigos, como um simples divertimento.



.Dentre os poetas brasileiros aprecia:

Augusto dos Anjos, Chico Buarque, Cazuza, Vinícius de Morais, etc.


Participações:


. Antologia Mensageiros do Amor - E-book

.Ciranda "Solidão", "puxada" por Paulo Nunes Júnior

.Ciranda "Te Amo", puxada por Paulo Nunes Júnior

."Guerreiros do Idílio" - ciranda iniciada por Auber com a participação de 58 poetas.

.E-book da Ciranda "Guerreiros do Idílio"

."Antologia Os Seis Poemas de Rita", de sua autoria , selecionada no "Café Filosófico das Quatro".

.E-book "Novelo de Palavras" em parceria com a poetisa Marilda Almeida, lançado em outubro de 2.006

E-Book Ecos do Sentimento lançando em 04/12/2006


por:

Rita de Cássia Gonçalves Barbosa




Catedral do Amor


Deitada em seda dourada,

livre em sua magia,

solta em encantos,

estudo sua leve geografia

deslizo em seu mapa.


Em suas nascentes

bebo seu elemento “Água”.


Descubro seus veios

dando letra a seu elemento “Ar” .


Vasculhos suavemente suas coxilhas

alimento seu elemento “Terra”

com ósculo e caricias

brandas, inquietas, sedutoras.


Abraço seu oceano

em uma grande onda caucasiana,

alucinada em seu amor

cobre minha face

em beijos tropicais

com sabor de vida,

com sabor de paixão.


Explorando seus lagos e lagoas

desvendo seu elemento fogo

acendo sua chama

enfeitiçada em desejo

navegando amenamente

em sua

catedral do amor!


Auber Fioravante Junior

10/Janeiro/2006

Porto Alegre - RS




Flor de Lótus


Ontem,

era apenas letra,

no agora,

és melodia incandescente

desembarcando em

velhos e bons papiros,

o porto seguro daquele

que lê com alma

e escreve com o coração,

por vezes dilacerado,

dolorido, sofrido, querendo

um sol nascente,

uma chuva de verão!


São palavras de um

Highlander devaneando em

chamas, luz, alçando velas,

quando eu desço da solidão

e espalho coisas sobre um

chão de brancas pétalas,

liras de um mesmo vento!


há lágrimas colorindo

minha face intuindo-me

a descrever em cada

parábola, o perfume e a cor

da sempre bela flor de lótus!


A única palavra que

não sei escrever, é aquela

que meu coração não diz!


Auber Fioravante Junior

10/03/2008

Porto Alegre - RS





Teus Encantos


Navegar...


Ah! navegar,

por entre teus sedosos umbrais,

fulgor dos aromas, melodias

em êxtases apaixonados,

é ter sob o céu a

nau dos encantos,

fluindo por romanescas

ondas que fazem no

vem a vem

um poema escrito nas

brumas do amor!


Cavalgar...


Ah! Cavalgar,

por entre teus majestosos trigais,

colo das termais,

valsa dos bandolins

em um frenesi, convexo

sendo metade paixão e a

outra águas em ebulição,

é ter sobre o marfim a

amazona dos encantos,

eclodindo por murmúrios

onde as sombras desenham

nas paredes um Van Gogh,

pintado nas velas do amor!


Auber Fioravante Junior

30/10/2007

Porto Alegre - RS





Seugundo Sol


As vezes não sei como descrever

estes amor sem distância

que me é oferecido

por raios de calor intenso

emitidos em tênuas palavras

como aves no acordar do dia...


Sem perceber

pego-me na lágrima solitária

quase não acreditando

na luz do segundo sol

que desprende-se em

sua canção perolada

emanada em sinfônicas flores

como o cheiro da próxima estação...


Ao erguer meus olhos

não para procurar o porque

mas para saber se sou

merecedor de tão linda melodia

vinda desta laguna fadada

em ufanias e virtudes

transmitidas em naves bucólicas

como almas a caminho do alpha!


Cevando pensamentos

Não sei dizer se

sou fogo ou paixão, se

sou água ou amor!

Não sei dizer

Se sou palavra ou sentimento

Se sou sentimento ou palavra


Só sei dizer que seus Moinhos de Vento

Levam-me a dizer

EU TE AMO...!!!


Auber Fioravante Junior

- 11/Fevereiro/2006 23:30 -








Minha Pérola


Sempre imaginei ter em minha mãos

Safiras, Rubis ou Diamantes

Hoje tenho em minha alma A Pérola!


Pérola?

Sim A Perola!


Pérola

dos meus dias,

das minhas noites,

da pele clara aveluda

que contracena com

vegetação colorida

entre bosques e arvoredos

que durante o vento

inventam o seu balet!


Pérola

Do testamento simples, mas fidalgo

que completa minhas reticências.

Deixando meus olhos doidos

por sua voz, por sua nobre sensibilidade

que lamenta em refrões incisivos

que durante vai e vem das marés

inventa um renascer

sem culpas, apenas alquimia!


Pérola?

Sim, A Pérola!


Quem precisa de

Safiras, Rubis ou Diamantes

tenho a Pérola do Verdadeiro AMOR!


Auber Fioravante Junior




Introspecção Bucólica


Quem é você?

Que me leva a introspecção

do meu saber

que leva-me a escrever

não me deixa em silêncio

parece que você devaneia por mim...


Que estranha bucolidade é esta?

Que me faz deixar

nas esquinas da minha fantasia

meu olhar perdido

atrás de falsas entrelinhas

marcadas pelo um tempo

mudo, sem intuição...


Não tenho dúvidas

É uma luz divina!


Não sei, se você

É um anjo amigo das letras

ou se és letra em forma de anjo.


Não tenho dúvidas

és uma benção intuitiva!


Auber Fioravante Junior



Inconfesso Sentimento


Céu em azul-marinho,
um suave teclar enluarado
traga-me em seus raios,

sem perceber; pego-me

em um pranto acalantado
na saudade,
na paixão,
no amor,
que levo
nas letras,
no peito,
na alma,
aconchegado em teu colo,
onde cada lágrima tem
um visionário sorriso
abrindo-se ao mundo
como criança,
como menina,
como mulher,
como amante, sedosa
sob as enluaradas notas
ecoadas em tua pele, ao dedilhar
destas mãos que te desenham
em literatura no verdadeiro
caminho das flores que
compõem a canção do
inconfesso sentimento!


Auber Fioravante Junior

19/07/2007

Porto Alegre - RS




Falando de Amor


Para ser sincero,

gostaria também de ser o mar

dobrar-me em ondas,

marejando tuas colinas, e

na areia deixar

um "eu te amo"

bordado, sendo enfim

o arqueiro menino dos ventos

acariciando teus cabelos,

sublimando teu desejo!


Para dizer a verdade,

gostaria também de ser o céu,

voar em nuvens

cobrindo-te em afagos e

no firmamento riscar

um "eu te amo" vigiado

por órbitas, sendo enfim

o Apolo menino dos argumentos,

murmurar em teus ouvidos,

musicando teu suspiro!


Sem sombra de dúvida,

gostaria também de ser a acrópole,

envolvendo-te

todos os dias,

todas as noites,

em balsâmicas misturas e

na terra plantar um

"eu te amo" colorido

por borboletas, sendo enfim

um homem simples que traz no

coração venturas e ternura

para sempre te amar e amar!


Auber Fioravante Junior

06/11/2007

Porto Alegre - RS




Tarô de Sentimentos


Mais uma vez,

ao som do aço dourado

embarco nesta via de

sentido duplo, divagando

como um visionário, resgatando

em versos a voz desse ancião

amigo do vento,

irmão das grafias,

pai em dias de chuva,

pai em noites de breu!


Mais uma vez,

estou em seus braços,

navegando em seus lamentos,

matizando esse poema, entregue

neste papel cor giz, colar

perolado no peito luz desse

velho guardião do tempo,

tarô aberto aos olhos do céu!


Mais uma vez,

ao som do aço dourado

abrem-se as nuvens,

e sua voz torna-se

estrela brilhante, o

beijo de todo sentimento!


Auber Fioravante Junior

19/01/2008

Porto Alegre - RS



Rita


Com toda sua harmonia

Empresta seu leito para

Cisnes e Flamingos

Flutuarem em seus cânticos serenos

Canções que falam de luz

Canções que falam de alma.


Seu lago cor de céu

Da morada a

Olhares tenros,

palavras macias,

e vibrações solares

que eu defino como

viver!


Seu paraíso

Abriga as mais lindas melodias

A elite astral do saber

A magia do entender

Além de cultivar em seu peito luz

A poesia da Rosa Amarela!


Sua Magnitude zil metal

Acalanta rimas do mês do abril

Declama em maestria

Sua eterna vontade de sonhar

E leva-me a lágrima encantada!


Sua presença cósmica sutil

Enobrece o brilho da chama

Desabrocha em desejos

E sem mistérios ou sigilos

Canta sua sinfonia de amor!


Auber Fioravante Junior

2 Comentários:

  • Boa Noite!!!

    nossa, estou digamos em prantos,
    é mais que de mais ver meu trabalho reconhecido com tanto carinho e sensibilidade, realmente
    sou simples humilde, escrevo o que diz minha alma, meu coração por fezes em lágrimas,m eem outra escutando o silêncio e o cantar dos astros em harminia com o coração;

    Muito, mas muito obrigado mesmo
    Beijos minha Marta Peres.
    Auber Junior

    Por Blogger Junior, às 16 de março de 2008 20:36  

  • Mais uma vez venho parabenizar este conceituado jornal pela divulgações dos trabalhos poéticos.
    Da minha parte, renovo, com muita emoção de ter sido escolhido, entre tantos, o poema "Águas Agonizantes". Meus parabéns, Marta Peres, pelo excelente trabalho jornalístico.

    Muito, muito obrigadoe meus abraços
    poéticos à todos...
    Carlo Magno

    Por Blogger Imaginação, às 22 de março de 2008 17:50  

Postar um comentário

<< Home