.

segunda-feira, 10 de março de 2008

Poeta Afonso Estebanez Stael

Poeta,
sou-lhe imensamente grata pela oportunidadeque me deu de conhecer a sua maravilhosa poesia e poder posta-la mostrando ao mundo.
As poesias do poeta Afonso Estebanez formam um dos mais belos conjuntos poéticos e sua leitura nos leva a inebriar a alma, de beleza em beleza. Poesia que vibra e vibrará através dos tempos, na perenidade do seu encanto e na harmonia da sua musicalidade. É poesia destinada a desafiar a posteridade e perpetuar-se na calma memória das gerações. Poesia autêntica metrificada e rimada com perfeição, romântica e de inspiração espontânea.
Dou-lhe os meus parabéns poeta, a literatura nacional grandemente é enriquecida e valorizada, muito lhe ficará devendo pelos belos versos.



PEQUENA BIOGRAFIA




AFONSO ESTEBANEZ STAEL (A. Estebanez), advogado, poeta, jornalista e escritor fluminense, é verbete na “Enciclopédia de Literatura Brasileira” (vol. 1, pág. 562, 1990), composta pela Oficina Literária Afrânio Coutinho (OLAC), organizada por Francisco Igrejas e editada pelo Ministério da Educação e Cultura e Fundação de Assistência ao Estudante do Rio de Janeiro, e apontado também como verbete da literatura brasileira no “Dicionário de Poetas Contemporâneos”, organizado por Francisco Igrejas e editado por Oficina Letras & Artes, 2ª Edição, 1991 (págs. 25/26).


Nasceu em 30 de outubro de 1943 no ambiente agreste do município de Cantagalo, Estado do Rio de Janeiro, filho de Manoel Stael e de Francisca Estebanez Stael, descendentes de ancestrais ciganos emigrados para a Espanha e de alemães de origem judaica radicados nas regiões agrícolas da Bélgica, que posteriormente imigraram para o Brasil, entre 1860 e 1930. Ensino secundário no Seminário Arquidiocesano do Rio de Janeiro (56/62) e superior nas Faculdades de Direito e de Filosofia, Ciências e Letras da UFF em Niterói (65/70). Finalista nos 1º, 2º e 3º Torneios Nacionais da Poesia Falada patrocinado pela Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Rio de Janeiro (68/69/70). Vencedor do Primeiro Concurso Estadual de Poesia do Advogado Fluminense (87). Exerceu a advocacia desde 68 e ocupou o cargo de Oficial de Justiça Avaliador do TRT da 1ª Região (93), aposentando-se quando lotado na Vara do Trabalho de Cordeiro (99), por cuja instalação lutou como Secretário Geral de Administração daquele município (92), onde se destacou como um dos fundadores da 45ª Subseção da OAB/RJ.


Tem obras publicadas em livros, jornais e revistas. Recentemente, concorrendo com o poema “O Último Dia de Trabalho do Pôr-do-sol no Mar” e com a crônica “Trabalho como Escrevente de Pequenos Príncipes”, o biografado venceu, em julho de 2007, o Primeiro Concurso Interno de Literatura do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT- Rio), nas duas categorias (prosa e verso), com premiação em obras literárias famosas oferecidas pela Academia Brasileira de Letras (ABL).

1 Comentários:

  • Encantada! Simplesmente encantada estou, com as poesias deste grande Poeta que somente há alguns dias tive o prazer de conhecer
    neste vasto mundo virtual.

    Maravilhosa poesia rimada e metrificada com perfeição. Seus sonetos são belíssimos.

    Parabéns Afonso Estebanez por sua sensibilidade e romantismo.

    Por Blogger Verluci Almeida, às 20 de janeiro de 2009 16:18  

Postar um comentário

<< Home