.

terça-feira, 18 de março de 2008

14 de Março! Dedicado a Poesia!



Poesia

Na beleza de um sorriso,
A força de uma paixão
O beijo
Adocicado feito favo de mel
Uma cor,
Um feixe de luz,
Visão maravilhosa,
O soprar do vento,
Um sabor,
Uma fragrância,
Uma onda que embala
Energia que Rege o Universo,
Matéria de Forma Indefinida
Essência Única,
Deus embalando a poeta
Entregando a sabedoria das palavras
Em uma concha
Que derrama estrelas
E orvalhos ao sol amanhecidos.
Meu poeta transforma em poesia
E agradece.

Marta Peres





Poesia

Poesia, gosto de ti apaixonadamente,
para o mundo és a salvação,
carrego-te sempre em minha mão
e em meu coração tu brilhas ardente!

Poesia, tua voz ouço na água corrente
e canto o que me ensinas cantar,
tens ritmo de pura paixão ardente
que acalma e me faz amar...

Marta Peres



Poetas fazem homenagem no dia da poesia!






Poesia

Lágrimas caindo gota a gota
Coração num ritmo acelerado
Visão turva, olhos nublados
No peito um sentimento calado
Vai gotejando sobre o papel
Se transformando em palavras
Entoando um leve som musical
Palavras com dor, com amor
E o texto escrito, inundado
Pelas lágrimas que caem.
Em meio ao sofrimento
Juntando dor e lamento
Num misto de agonia
Nasce a mais pura poesia

Jane Rossi

Poesia

Peguei caneta e papel
Comecei a escrever
As dores da minha vida
O amor e o prazer
Das subidas e decidas
Relatei com euforia
Fui falando com a alma
Deu uma bela poesia

Jane Rossi


Bendita maçã!

Flores, frutos, encantamento!
Estado de graça, sobrenatural
Faltou o direito ao conhecimento
E a diferença entre o bem e o mal

De todas as árvores, tu comerás
Existe uma que não podes tocar
Se comer deste fruto, tu morrerás
A beleza e a vida reina nesse lugar

Anjos, arcanjos, não era ilusão!
Mas não se conteve, perdeu a razão
E na flor da pele sente a sensação
Que comendo o fruto teria perdão

Comeu a maçã, perdeu a perfeição!
E sente vergonha por não obedecer
Nasce outro homem, com outra visão
E o homem de hoje vive à padecer

Jane Rossi



Menino passarinho!

Queria estar com as estrelas
E Junto com meu amorzinho
Pois a dor que sinto agora
Foi vendaval, no meu ninho

Nosso pássaro preferido
Bateu asas e voou
Nosso coração sofrido
Hoje se estilhaçou

Nosso bebê passarinho
Que vivíamos a adorar
Cansou do nosso colinho
Bateu asas, foi voar!

Nem com gaiola de ouro
Cravejada de brilhante
Ele não quis nosso abrigo
Vimos, seu vôo rasante!

Jane Rossi


Radiografia

Olhei pra dentro de mim, quase não acreditei
Um rio de lágrimas assim, nunca vi, nunca fitei
Pensei ser um ribeirão, mas foi o mar que encontrei
Só tinha água de dor e lamento! Que não chorei!

E o coração banhado pelas águas da agonia
Estava dilacerado em total melancolia
Olhando com atenção, visualizei a magia
Coração estava intacto, não havia arritmia

Fixei minha visão na paisagem esculpida
Analisei os confrontos desta alma tão dorida
Relatei toda lamúria e toda mágoa sofrida
Relembrei do meu início, água, placenta e vida


Logo depois da análise, foi grande a euforia
Coração sobreviveu, como disse a profecia
Lamentou e sofreu nas águas da rebeldia
Lutou e sobreviveu, vejo na radiografia!

Jane Rossi


Tempo

O tempo ecoa-se gota a gota
E um silêncio, emudece o ar
No chão, apenas folhas soltas
E o céu, sem estrelas a brilhar

No peito, uma dor sofrida
Na alma, um frio congelado
No corpo, o desgaste da vida
Na pele, arrepio indesejado

E o tempo, está passando
De malas prontas na mão
A vida clama, chorando
Pedindo uma concessão

O tempo escuta e para
Por um minuto ele espera
E a vida ficou mais clara
Trouxe nova atmosfera

Jane Rossi

Chuva!

Dia escuro, céu nublado
E o mundo desabava
A Água caia do céu
Num cantinho eu chorava

Parecia que o céu chorava
Chorava junto comigo
Comigo ele reclamava
Reclamava do Castigo

Castigo era esta dor
Dor retalhando a alma
Alma que vive em temor
Temor que tira a calma

Calma, preciso agora
Agora tenho Deus comigo
Comigo o céu chorou!
Chorou comigo, amigo!

Jane Rossi


Pregado na Cruz!

Sobre a Páscoa, refleti
É o dia da ressurreição
Jesus pregado na cruz, eu vi
Sofreu injustiça e traição

Judas beijou-lhe a face
E se tornou um dos seus
Diante deste enlace
Julgou, traiu e Cristo sofreu

Na cruz estava pregado
Coroa de espinhos lhe deram
Pra salvar nossos pecados
Tomou vinagre que trouxeram

Mas veio a ressurreição,reviveu pra nos salvar
Ganhamos libertação, temos que saber usar
E assim como Cristo, Judas, vamos Perdoar!

Jane Rossi



O tempo passou!

Foi passando o tempo, nem percebi
Procurei pela menina, não encontrei
Os risos e alegria, nunca mais eu vi
Sonhos, projetos, planos, eu deletei

Me deparei com uma mulher sofrida
Com alma triste e coração deflagrado
Colhendo pedras no caminho da vida
Vegetando num presente aprisionado

Diante do espelho, juro, não acreditei
Não reconheço esta imagem, extasiei
Perambulei pela vida, apenas passei
Não vivi minha história, só aceitei

E agora o que faço pra recuperar
Se o tempo perdido não volta mais
A lágrima cai, nas rugas a deslizar!

Jane Rossi


TRIÂNGULO
A caneta dá um toque
E a folha fica marcada
Desenhando levemente
Palavras emocionadas

Na folha à deslizar
Transmite o pensamento
E o peito vai se livrar
Da angústia, do tormento

Essa dor que dói no peito
Ao papel foi transferida
Sofrimento, não tem jeito
Faz parte da nossa vida

Poeta, papel, e caneta
Entendimento milagroso
Na dor, no sonho, na festa
Forma um triângulo amoroso

Jane Rossi


A poesia para mim...
...é como o sorriso
de uma criança
o amanhecer de
um novo dia
é como sentir saudade
sem ter no coração
a maldade
ter a mente pura
e sentir o perfume
na mais singela flor.

Autora: Lúcia Biazetto


O Poeta
A mágica do cérebro,
“D’ alma e da ligação maior, Menor”.
Do mistério da mulher,

Dos desejos infinitos do homem,
Dos grandes mestres, a filosofar.

Pelas lagrimas da saudade,
De amadas deusas,
Musas, e Apolos,

Sonhos, primordialmente superior a vontade.
Espírito de ouvinte, respeito e obediência a
Exaltação mais intima do ser.

Heróis, sonhos,
Sábios, poderes mágicos,
Flores, luzes, encanto,
Tudo conspirando e criando o Poeta.

Hoje no seu dia
Meus amigos,
Quero dedicar este poema

A cada um de vocês.
Beijos no coração de todos.

Dora Dimolitsas




DEUS É O POETA!
Eu não faço poesia.
Foi Deus quem a fez em mim.
Palavras trazidas ao vento
entoadas por um querubim.

Ela nasce do acaso,
quase um intromissão.
Invade meu pensamento
e dele faz um refrão.

E guiada por instintos
e profunda inspiração,
vão surgindo belas rimas
escritas por minhas mãos.

Mas eu não teria este dom
se não houvesse beleza
em tudo que cerca o mundo,
da emoção à natureza!

Eu não faço poesia.
DEUS é o Poeta!
Eu só me inspiro nas coisas
que todo dia ELE me oferta!

(Mell Glitter)




ETERNA POESIA

Quando eu partir me verás por certo
nas notas suaves de uma canção,
na quadrinha simples de um belo verso
trazendo saudades a teu coração.

Me verás ainda numa brisa leve
a brincar nos ares a bailar no vento,
rosa vermelha na branquinha neve
imaculando teu pensamento.

No sorriso doce da criança linda
na meiguice triste de um sofredor
e nas páginas de alguns jornais...

Não serei mais eu, mas serei poesia
me eternizarei na palavra verbo,
que por ser divina não morre jamais!


Doroni Hilgenberg






dia nacional da poesia
Falando de Poesia...

Que bom seria
Se a vida fosse só uma poesia!
Tudo mudaria em apenas um verso,
Qualquer problema ficaria no inverso.
.
Desenhar o sonho e dar-lhe vida,
Esculpir o amor,
Beijá-lo dando-lhe calor,
Fazendo-o mover-se em ação.
.
Escrever uma história
E adentrá-la em plena alegria,
Construir um poema e vivê-lo plenamente,
Na imaginação, sonhando e vibrando eternamente!
.
Que bom seria
Se a vida fosse só uma poesia,
Com certeza, o mundo todo mudaria.
.
Mas sou uma humilde poetisa,
Que mal sabe rimar
Amor com vida...
.
Mas trago em mim a essência da Poesia...
.
Maria Flor!
Sarau da Miucha - 16/11/2007



Falta Humildade!


Temos algo em comum,
O mundo e lugar nenhum!
Somos semelhantes, não iguais,
Não passamos de meros animais!
Temos as mesmas necessidades,
Mas nem sempre a mesma capacidade!
Estamos no topo da cadeia alimentar,
Justamente por isso não podemos falhar!
É ai que mora o perigo de ser humano,
Alguns se acham superiores, ledo engano!
Quando cair a ficha será muito tarde,
Não adiantara mais nada qualquer alarde!
A terra já nos esta expulsando,
Só não vê quem continua se enganando!
Mais uma fração de tempo, um quarto de hora,
Tudo não valera nada e não importa quem chora!
Temos algo em comum,
Nada e lugar algum!



Santaroza





Será!
Quanto tempo faz,
Já nem me lembro mais,
Mas continuo te sentindo,
Não, não estou mentindo!
Tenho a sensação de que algo parou,
O tempo se foi e nos abandonou,
Tu ficastes em nosso ninho,
Eu fiquei pelo caminho!
Amor? Este voou pra outro lugar,
Talvez se encontre nesse luar,
O qual olho e me ponho a pensar,
Como era bom te amar!
Dizem que o tempo volta atrás,
Seria isso possível, capaz,
Há! Se assim for,
Eu grudarei em teu amor!


Santaroza



Cadê!
Por onde andas coração!
Apartastes de mim na multidão,
Fazes falta em meu peito,
Não tinhas esse direito!
A solidão me toma nos braços,
Essa dor fere-me qual aço,
E se não voltas sou partida,
Estagnado e em ferida!



Santaroza


RIO DA POESIA
.
É tão frio teu coração quanto esse fogo
E o fogo para mim é só saudade
Teu calor me abandonou... ontem à noitinha
Com a fogueira que terminou um pouco tarde

Somos rios que não se encontram na descida
Eu sou poeta e você é poetisa
Somos partes de uma história mal vivida
Entre as curvas do caminho dessa vida

E entre as curvas do caminho não há fogo
Entre nós somos só meras metades
O amor que nos queimou agora jaz
E pelas curvas desse rio há só saudade

Até o dia em que desaguarmos em pleno mar
Como poeta e poetisa... a nos amar!

.
Adriano Hungaro



Poetisa

Poetisa em teus olhos
Vejo graça como brisa
Orvalhando sobre os meus
Lindos olhos poetisa

Pensas tu só no amor
Quando escreve, poetiza
Palavras que me encanta
Deixando-me alegria

Feito versos na canção
Eu te ouço rosa linda
Meu jardim se faz em flores
Palavras de poetisa

Já me basta tua letra
Tua voz não quero ouvir
Tenho medo da paixão
Minha bela poetisa

Poetiza meu amor
Doce és tu na poesia
Vou relendo teus rabiscos
De mistérios e de magia

Poetisa anjo meu
Penetraste em minha alma
Guardiã dos sentimentos
No meu eu imaginário

...........” Catarino Salvador “.




Só pense

Quando a musica tocar e a lembrança me trazer até você
Não chore e não sorria e nem comente!
Apenas ouça e pense o que fui para ti
Faça dessa melodia uma oração e reflita
Estarei contigo no presente passado
Revivido num estalo, segundos de uma vida

Se os seus olhos lagrimar, não os culpe
Nem se sua boca sorrir...

Lembre-se de duas existência
Do calor e da carência, eu e você
Lembrar em uma musica, não nos compete a culpa
A culpa que nos compete é a de ter deixado acabar

Mas pense e não comente, guarde para ti
E se um dia nos reencontrar, conte para mim.

............” Catarino Salvador “.



Apaixonado pela índia


Minha palavra sai de tua boca
e há entre nossos corpos
ânsias loucas...
loucas para nos desencantar...

Espera-me à meia-noite,
quando o céu for da cor dos teus olhos
e a lua confundir-se com a face tua.

Hei de aí estar...
louco para te amar
e fazer-te fortemente amada.
Espera-me depois da noite
quando levar-me a ti meus açoites
de homem livre e apaixonado.

Paulino Vergetti Neto
Publicado no Recanto das Letras em 04/03/2008
Código do texto: T886356





TRÊS GOTAS DE MAR ATLÂNTICO
NAS ÁGUAS DOCES DO PACÍFICO...
(HAIKAIS – 11)
_______________________

Virtudes humanas
são como os frutos mais altos...
Colhem-se a pedradas!


Ah, esse deserto!
Mar de areia sem gaivotas...
Como navegar?


Partiste ontem mesmo.
E já faz anos, amor,
que não te revejo...
_______________________

A. Estebanez
(Do livro Tori – no prelo)





Irrupção

Tu não és uma coincidência
Bem sei que trazes raízes
Em ti, tua consciência
Agarradas a tua ciência

Tu és para mim um mistério
Que ninguém vai entender
Não importa o que quero
Mas infindável é entender teu querer

Em volta de nós, ouvinte
Ninguém percebe, o requinte
A mistura do silêncio
Com o resto do prenúncio

Sobre tua revelação
Em tempo de plenitude
Deixo findar uma ação
Nessa minha atitude

Essa faceirice de tua meninice
Só tu e eu podemos compreender
Nessa inventice para não ficar chatice
Esqueça a lógica e vamos reviver
Carlo Magno



Um pé de salsa..

Quando era criança, em meu quintal havia
Um pé de salsa, de um talo bem grosso.
Que teimosamente espalhava, crescia
Pelo caminho que ia da sala ao fosso.

Dele algumas vezes eu me servia,
Quando achava meio insípido, insosso
O prato simples que mamãe fazia
E entregava para o meu almoço.

As suas folhinhas eu esmiuçava
E um tom de verde meu prato ondeava
Com mamãe me olhando em seu jeito terno.

Pelas mesas hoje há requinte, esmero,
Aromas exóticos, raros temperos
...Mas nada tem o gosto do olhar materno!

(Jenário de Fátima)



Fantasia


Jenario de Fátima


Um Poeta, quando fala as estrelas
Elas atenciosamente escutam.
Não questionam e jamais refutam
O que o poeta tem para dizê-las.

Conta, que o poeta pra entrete-las
Usa seu mais forte argumento,
Aqueles versos cujo encantamento
As lágrimas não há como contê-las.

Por isso, quando a noite envolve o mundo
E vemos numa fração de segundo
Luzes vindas do céu em linha reta.

Se crê que estas luzes simplesmente,
São lágrimas de uma estrêla inocente
Que vive namorando algum poeta....






Córrego

Trago-te nas mãos em concha
esses versos de água corrente.
Ofereço-os! Bebe e refresca-te!

Queria trazer-te suntuosos poemas:
estrofes jorrando em cachoeiras,
lagos espelhados de metáforas!

Mas ofereço essa poesia córrego,
fluindo humilde entre as rochas!
Mas vês, é cristalina!
E prova-a, tem o gosto
secreto e mineral
da terra em suas entranhas!

Lenise Marques



"DO OUTRO LADO DE MIM"

Do outro lado do muro
mora um Pássaro emplumado
cantando de madrugada.

Do outro lado de mim
as plumas do pássaro ausente
entre o ninho e o nada.


Seguro o laço e a ponte
entre o pássaro e o ninho,

entre o espaço e o horizonte
seguro a esperança e o linho.

Minha mão cheia de nada.

luizacaetano



Alma

Nos porões
Da alma
Se esconde
A eternidade
Na superfície
Apenas
Os artifícios
Do tempo
Que no seu ofício
De passar
Nos asfixia
Tentando tirar a poesia
Embaçando o olhar
Mas a alma
Que olha por trás da vidraça
É cristalina
E limpa a retina
Insiste em iluminar
Vem de muito longe
De outras vidas
Atravessando pontes
No bonde chamado destino
Buscando saídas
Não envelhece nunca
Sempre se refaz
E como uma mandala
Não termina jamais...

Raiblue



Um bonde chamado desejo


Na trilha do tempo
Caminho por atalhos que invento
Não entendo a lógica cartesiana
Prefiro aproveitar o momento

Sou multidão e solidão
Meu deserto é cheio de mistério
Império vermelho , desejo latente
Que me cega e me prende...

Não há nada além da vontade
Que molha, queima e arde...
Madrugadas cheias de intenções
Luas enchendo as marés da carne...

Sempre viajo nesse bonde
Onde o desejo me consome
Cenário de caminhos perfeitos
O precipício e o pulo
Meu leito...

Em seus vagões me deleito
Sem pressa de chegar
Não há margens
Não há muros
Apenas sussurros
E o cheiro de amor no ar...

Sem destino, sigo
Desvendando os segredos
Do viajar...

(Raiblue)



MAIS UM DIA...
Sônia Maria Grillo
(Baby®)

Gotas serenas de orvalho
Desvirginando a manhã
Bordando as flores
Em pequenos retalhos
De luzentes cores
Cheiro de hortelã
Pairando no ar
Café quentinho da manhã
Na mesa a esperar
O canto das aves a despertar
As árvores sonolentas
Que se negam a acordar
A bruma aos poucos
Se dissipando
Aos raios loucos
Do sol, que vão iluminando
O despertar da terra
De mais um dia nascendo
Sem pressa, sem medida,
Sem promessa
Apenas obedecendo
O ciclo natural da vida...

17.06.2007
Rio de Janeiro-RJ



Sônia Maria Grillo
(Baby®)

Ora vejamos,
O que mais dizer dos poetas e suas poesias?
Tudo já foi dito, pelo menos é o que acreditamos,
Pois se fala de poetas e poemas, todos os dias

Já até disseram que,
De poeta e de louco
Todos nós, simples mortais como eu e você,
Possuímos lá no âmago, um pouco...

O poeta é poeta em todos os momentos,
Desde que adormece até a hora que desperta
E consegue ter inspiração
Até mesmo contemplando uma simples pedra

Ele respira poesia
E não sobrevive sem poetar
E escrevendo o que sente, dia após dia,
É a maneira que encontrou, para com Deus, conversar...


25.03.2006
Vitória-ES




TE PROCURO, MEU POEMA!

Te procuro, meu poema!
pássaro inquieto na tarde
em cada centelha de vôo
em cada lágrima, mancha dágua
no anseio fugaz das letras
no instante, cabelos ao vento

te encontro nas ondas do mar
acalmando a tempestade
afagando meu pensamento

te encontro na realidade
na doçura de um momento
e na carícia dos amigos

e essa alegria, esse abrigo
guardado dentro do peito
levarei sempre comigo.

Ana Wagner







MEDINDO AS PALAVRAS
Oswaldo Antônio Begiato

Busco a palavra exata
A que ata... a que desata.
Busco a palavra torta
A que vive... a que é morta.

Busco a palavra nova
Que assusta mas se prova
Busco a palavra esquecida
Que se ausenta mas é lida.

Busco a palavra pobre
Que se mostra e se encobre.
Busco a palavra de Deus
Que agrada a gregos e a ateus.

Busco a palavra irreal
Que faz sonhar e faz mal.
Busco a palavra sincera
Que desiste e espera.

Busco a palavra quente
Que enaltece e que mente.
Busco a palavra fria
Que brota e fenece todo dia.

Busco a palavra cega
Que se afirma e se nega.
Busco a palavra vidente
Que acerta e que desmente.

Busco a palavra certa
Que adormece e desperta.
Busco a palavra errada
Acima de tudo e acima de nada.

Busco a palavra muda
Que veste... que desnuda...
Busco a palavra indiscreta
Que separa e completa.

Busco a palavra triste
Que desanima e insiste.
Busco a palavra feliz
Sacrossanta e meretriz.

Busco a palavra cheia
Que embeleza e enfeia.
Busco a palavra vazia
Que sobra e é carestia.

Busco a palavra fraca
Que se defende e ataca.
Busco a palavra forte
Que se perde e dá sorte.

Busco a palavra imensa
Que divaga e que pensa.
Busco a palavra pequena
Que cicatriza e envenena

Busco a palavra pura
Ardilosa e segura.
Busco a palavra falaz
Que valida e é incapaz.

Busco a palavra aguda
Que abandona e que ajuda.
Busco a palavra suave
Que faz simples e faz grave.

Busco a palavra inicial
Dispensável e principal.
Busco a palavra final:
- Que seja oclusa e sinal!





VAGA-LUME
Às vezes penso ser um vaga-lume
Tentando iluminar a noite inteira;
Um alumiado.
Mas sou apenas uma vaga luz;
Tímido luzir que desaparece
Atrás da lua nova.

Oswaldo Antônio Begiato



PERDÃO
Oswaldo Antônio Begiato

Que dos céus caia,
Em teu colo esfacelado,
As flores mais despetaladas
E mais teimosas
Que o universo,
Encantado de estrelas,
Pode conceber
Dentro de um espaço incomensurável.

Que da terra brote,
Diante de teus olhos úmidos,
As jóias mais dilapidadas
E mais vaidosas
Que o ventre dela,
Fecundo de alegria,
Pode transformar
Durante um tempo infindável.

Só para dizer que te perdôo
Por toda minha eternidade.

Jundiaí, em 2 de setembro de 2.007.



Abrigo

Volta à primavera
ao ver seu incandescente olhar.
Sopro de magia
traz , ao meu porto solitário,
novamente a alegria.
Meu coração,agora, navega.
Pelo seu sorriso, se entrega.
Há um sopro de brisa, no meu peito,
quando, ao vê-lo,sem reservas
um livro de sonhos e quimeras, leio.
E, nesse instante infinito,
é da sua emoção que me abrigo.



Fajardo




O poeta e as palavras


Somos visionários.
Temos a Utopia no sangue
e na alma.

O perigo nos ronda...

Uma resposta.
Uma certeza no coração.
Bate à porta todos os sentimentos.
Não há como escondê-los...

São nossos,
expostos.
Cada dia, reinventados,
transformados.

Entre pedras e deserto,
As palavras florescem,
Dançam na correnteza do amor
e da dor.

Incontroláveis,livres, rebeldes,
brincam de iluminar
esse mundo sem esperança...

Sueli Fajardo!



Saudades...

Que saudades...
De quando eu era criança
Que em nada eu pensava
Onde apenas eu brincava
Corria e não cansava
De ilusões eu vivia.

Na beira do rio eu ficava
Minha imagem eu contemplava
Nas águas cristalinas
E minha imagem de criança
Dentro do rio bailava...

Por entre as árvores eu caminhava...
E na neblina eu me perdia
E quando o sol esquentava
Na sombra de alguma árvore
Na verde relva da mata
Era ali que eu me deitava.

E quando a tarde caia
E o sol se escondia
Era pra casa que eu ia.
E quando a manhã raiava
E o sol ao longe surgia
Lá ia eu novamente
esbanjando energia
Me banhar naquele rio.

Agora, entrei no meu jardim;
O jardim da minha infância
Onde flores eu colhia
E os espinhos eu não via,
Com o meu Deus eu falava
E para casa partia.

AUTORA:TEREZINHA C WERSON
SANTOS/NOV/2007



O dia virou noite

Tempestades
Trovoes, e relâmpagos
Riscam os céus.
E o vento furioso
Tudo vai levando,
O tempo me da medo.
Fechei portas
Fechei janelas,
Mais pelas frestas
O vento entra
Assobiando,
Relâmpagos
Entram riscando
O chão, como
Raios de fogo.
E eu com medo
Me encolho
La no canto,
Então oro,
E com Deus falo.
E calmaria eu peço,
Que passe este medo
Que amanha
Ao despertar
Eu abra minha janela,
Quero a imensidão
Contemplar,
Que a aurora
Linda! resplandeça,
Então eu falarei:
Muito obrigado
Senhor,
Pela aurora
E pela tempestade
Que passou pela minha vida
E pela calmaria
Que chegou
E o meu medo já passou.

AUTORA: TEREZINHA C WERSON
SANTOS OUT:2007


AMOR PROIBIDO.

Não me ame, não mereço ser amado,
Nada tenho – só tristeza e solidão,
Com essa dor – já estou acostumado,
Não se iluda, minha vida é a escuridão.

Meu calvário está prestes a findar,
Eu pressinto – essa dor já tem um fim,
A angustia nos meus olhos podem ver,
Minha vida já não mais pertence a mim.

Eu te amo, mas não posso te amar,
Eu te quero, mas não posso te querer,
O que faço que nem vida, já não tenho,
Meu amor, eu não quero ver sofrer.

Você sabe o quanto te desejo,
No meu sonho teu sorriso é uma prece,
Me envolvo com caricias e teus beijos,
Quando acordo o coração é que padece.

Autor: Poeta Mineiro.



COMO TE AMO!!!

Como te amo; que da prece fiz o pranto,
Na lamúria do clamor, a voz se cala,
Recolhido no refugio do meu canto,
Em canto e pranto, a solidão me embala.

Em descompasso, ouço a voz do silêncio,
Como versos soltos que vagam pelo ar,
Sou embarcação perdida que o vento levou,
Tragada pelas águas, me afoguei por esse amor.

Tento-me salvar das águas da paixão,
Com sua força e fúria para o fundo me levou,
Hoje perdido no abismo do meu mundo,
Vivo a procura da mulher que me amou.

Sempre a amei com todo o meu fervor,
Os teus lábios de encanto e paixão,
Ao beijá-los, é o desabrochar de uma flor,
O teu sabor de mel enche meu coração.

Autor: Poeta Mineiro...


Tango - Dança e poema a 2-

O poema que fizemos
é como essa dança que me fascina
Você me guiou em seus versos
E me deixei levar
Como um Maestro,
regeu meus versos e entrelinhas
Dançamos e rimamos
E rimamos e dançamos
Numa cadência perfeita
A cada palavra um novo tom
A cada toque um novo passo
E assim noite adentro
Num compasso ritmado
Um só coração dançou e rimou e rimou...

Karla Julia

Consagração

Eu te consagro meu escudeiro
meu doce amigo e meu guerreiro

Eu te consagro meu fiel companheiro
de mitos, lendas e sonhos (pres)sentidos.

Meu lindo cavaleiro de armadura brilhante
reluzindo em cada verso
sempre a postos
a cada chamado meu.

Eu te consagro o que quiseres
até o dia em que não quiseres

Porque acreditas no até o dia...
Quando minha palavra predileta
foi-me dada por você,
e ela se chama Eternidade

Talvez para rimar com a outra,
aquela, que de tão doída, nunca tem tradução,
você também me ensinou, é conhecida por Saudade.

Karla Julia


Silêncio

Mesmo quando me calo
ressoa em mim o som de uma melodia inacabada ,
o ruído dos passos da sua chegada,
a minha voz entrecortada.


Mesmo quando me calo,
instrumentos continuam tocando,
ainda um certo perfume de flores,
um leve toque em meu corpo,
as mil e uma noites,
o doce e eterno cio,
o ruído das páginas de um livro
teu nome cismando da tinta escapar
para na folha branca se revelar.

Karla Julia



Exílio

Amanhã não seremos mais aquilo que fomos,
nem ao menos conhecidos,
Mais estranhos do que estrangeiros.

Tão longe desse ombro acolhedor que acreditei um dia ser meu.
Mais distantes um do outro do que dois exilados.
Pois mesmo no encontro encontrávamos a separação.

Karla Julia




Dançar a Vida

Ontem vi a minha vida dançar.
De repente o palco todo se ilumina e ela aparece, irradiando luz, quase me cegando de tanta beleza. Ela se dinamita em arte. Ao som da música, minha vida vira um raio de lua cortando o espaço capicioso do palco.
Para definir sua dança, minha filha, só mesmo um texto de Jean Genet que todos os bailarinos deveriam conhecer: “ Teu pulo de aço, incuba-o da mais bela expressão... não tua, mas dele... Teus pulos, teus saltos..., reverências, rodeios e giros, tu o farás, não para que brilhes, mas para que um fio de aço que estava morto e sem voz enfim cante. Ele te será grato se fores perfeito em tua dança, não pela tua glória, mas pela dele. Que o público maravilhado, aplauda.”

Karla Julia




Love's Theme

Amava o encanto da tua voz
O calor do teu abraço
Nosso amor no começo
Amava quando chegava
Bem pertinho
E sentia teu carinho
E pedia pra respirar
o mesmo ar
Que você expirava
E quando ouço essa canção
Te chamo, vem me amar
Porque te quero cada vez mais
Quem não acredita em par perfeito
È Porque não sabe amar direito
É preciso amar os defeitos
Sem defeito não tem graça
Adoro sua pirraça
Teus defeitos são perfeitos

Por isso você é minha metade
Nosso amor não tem idade
Me deixa te olhar
E vem abraçar
Ao som do nosso Love´s Theme
Da mesma forma que outrora
Me levanta nos ares
Me faz ver estrelas
Que te levo até a Lua
Eu, que sempre fui só tua
E nesse abraço, me perco em teus braços
Segurando teus cabelos
Ah, você sabe...
Que ficaria assim
O dia inteiro
E num murmúrio confesso:
Nosso começo não tem fim
Te quero sempe assim; perfeito
E todinho pra mim!

Karla Julia

Love´s Theme



A lua que eu deixei

Dessa vez não quero a lua
Quero o som de buzinas da rua
E o chorar de uma criança cá perto
Não quero poema nem verso
Quero meu homem me amando
Quero senti-lo vibrando.


É assim que quero a vida
Vida vivida
Vida real
E no meu leito, ver o universo
Em suas mãos
Que não digitam
Sábias,
Me possibilitam
Todos os astros
Experientes,
Não imaginam
Sentem.
Karla Julia

SUAVE É A NOITE

A lua toda esparramada
prateada, exalando perfumes
aromas sedutores de todas as flores
Vem!


A noite é suave
e mais suave ainda
o seu toque
acariciando meu corpo febril
Vem!

Suave é a noite
Nesse silêncio inebriante
o som de sua voz me desperta
de loucos devaneios.

A noite está linda
e se o que quero é loucura
assumo minha insanidade
e deliberadamente te chamo
com toda suavidade
Vem!

Karla Julia




Estou Contigo e Sempre Estarei

Estou contigo e sempre estarei
Nas nossas músicas que ficaram
E que ouço como um cântico divino.
Da manhã ao pôr–do–sol
E nessas noites em que não durmo.

Estou contigo e sempre estarei
Em toda lenda, conto ou história de amor.
Em todo canto, canto a história que ficou .
Lindo poema, o mais lindo que já li.
E esse, querido, posso jurar que vivi.

Estou contigo e sempre estarei.
No choro atravessado, calado e guardado.
Na palavra não dita, sofrida e contida.
Nas noites de sol ou num dia chuvoso
Na lua que brilha, no riso compartilhado.

Estou contigo e sempre estarei.
Na realidade e no sonho.
Nas borboletas que voam,
no canto dos passarinhos,
Na casa da árvore
Nas formiguinhas e joaninhas.
No vaga-lume que insiste em entrar à noite
Como que trazendo a esperança perdida.

Estou contigo e sempre estarei.
Nos campos devastados e em outros cultivados
Nos mosteiros silenciosos e nos cânticos dos padres.
No fundo, bem fundo do mares
E no vôo de um pássaro livre pelo ares.

Estou contigo e sempre estarei.
Nos castelos encantados
E nos moinhos de vento
Nas noites mágicas do Oriente
Ou bebendo um doce capuccino,
à espera de alguém, paciente.

Estou contigo e sempre estarei,
Em Verona, ou em algum lugar do passado.
No presente e creia em mim, no futuro
Para sempre
Te amarei.

Karla Julia



ESPERA...
Ficas em silêncio...
aguardas...
queres...espera a fala...
quer ouvir...
eu vou...
não sei se pra consolar...
ser consolada...
minha tristeza é igual a tua...
minha alma dói assim...
já chorei...como tu...
já berrei...
quis que o mundo acabasse...
quis as lagrimas esgotassem...
foram tantas a cair..tantas...
queria tanto aquelas mãos...
aquele abraço...aquela voz...
esperei como tu...
esperei...
mas tudo foi silencio mortal...
só a mim...ouvia...
se não acreditas em ti...
deixa... eu acredito...
se não consegue te ver ...
deixa...que eu te veja...e te conte...
não quero ver nos teus olhos a mesma dor que senti...
não quero ver-te levar a mão ao peito...
nessa dor que corta ...apunhala...
Deixa ....eu te conto...
não queira saber no sentir...
não espera...
o tempo vem rápido...
ou lento...mas vem...
o amor fica...
guardado ...para os dias de sol...
sim...
para o brilho do sol...
ele volta....
depois da chuva...ele sempre volta...
por mais definitivo a ultima palavra....
o fim não se definiu......
ah sempre um anjo ...
de luz ...irresistível...
que nos banha...
consola...abraça forte...
ouve...nos sorri...
eu sei do que falo....
ser lindo...
confia em mim....
Ha sempre um anjo de guarda....
que joga fora nossa dor...
e nos dá uma vida nova.
eu falo de uma luz...

Carinhos-
LENINHA



NÃO A LÁGRIMA.


MEU CORAÇÃO AO VER TUA IMAGEM...
SE ENCHEU DE AMOR...
FOI UMA CARGA DE TERNURA...
VONTADE DE TE ACONCHEGAR...
TE BUSCAR...BEIJAR...AFAGAR...
PEDIR PERDÃO PELO OUTRO...
POR ESSA LAGRIMA
ALGUÉM A FEZ CAIR...
EU A QUIS SEGURAR...
NÃO QUERO OUVIR O RUÍDO DELA...
NÃO QUERO SENTIR O SAL ...
NÃO ...
TEUS OLHOS NÃO A QUEREM...
DESEJAM BRILHAR...
COM OUTRA LÁGRIMA...
BRILHAR COM UM CRISTAL DE AMOR...
DERRAMANDO ...DERRAMANDO....
ATÉ MOLHAR TEU SORRISO...
EU DESEJEI VIR...
TE APERTAR FORTE...
PARA QUE ACORDES...
NÃO...A LÁGRIMA...
OLHA PRA MIM....
TE DOU ESSA ENERGIA....
TE CUBRO COM ELA....
TE ENCHO DELA....
TE AMO COM ELA....

Leninha013/12/07-10:03hs


Viajor

Como viajor sedento
Pelo deserto caminhei
Com um sol causticante
Me deparei.

Passo a passo senti
Meu corpo desfalecendo
Quando ao longe avistei
Um oásis à minha frente.

Pensei ser uma miragem
E quando mais perto cheguei
Encontrei água jorrando
E minha sede matei.

Foi aí que descobri
Que no deserto da Vida
Iremos sempre encontrar
Um oásis a nos esperar.


Neneca



Voar
O ser liberto voa
Livre como um pássaro
Sem amarras
Sem prisões
Sem preconceitos
Sem apegos
Tem o céu como limite
Na vasta imensidão
Consegue desvendar
Os mistérios do coração.

Neneca



Mar
Olhando a grandeza do mar
Suas ondas a balançar
Ao longe consigo enxergar
Um veleiro a tremular.

Na proa seu timoneiro
Firme, forte, confiante
Sentindo a força do vento
Bater em sua fronte.

Seguindo sua direção
Ele consegue chegar
Ao seu destino vitorioso
Feliz podendo atracar.

Neneca


ETERNA MAGIA (Marcelo Mourão)

Versos vulcânicos
Necessidade sagrada
De ver minhas vontades
Todas realizadas
Luzir chama ardente
Evocar força primal
Agarrar tudo com unhas e dentes
ver a tristeza virar carnaval
Versos oceânicos
Lua que pula
Sem sossego
em meu céu
quase cadente
sem mácula, sem véu
criança silente
dormindo ao léu
Versos titânicos
santuário demente
espalho-os grão a grão
na cabeça de muita gente
versos, versos, versos
numa velocidade estridente
bombardeio aéreo de sonhos
destroçando a rotina inclemente.



BOA NOITE,
linda Amizade
diferente,
que me vem de um mundo
que existe - e não existe!
BOA NOITE,
incógnita deslumbrante,
nunca desvendada.
BOA NOITE!
Leio suas palavras,
mas, não escuto sua voz,
vejo imagens enviadas,
mas, não seu rosto
e suas expressões.
QUEM É VOCÊ?
BOA NOITE, Mistério,
que se confunde com o mistério da Vida,
com o Mistério da Noite...
E a noite é uma Mulher Misteriosa...
E a Vida é um DOCE MISTÉRIO ...

Judit (NEFERTARI)



RIMAS SEM ARTE
(Sob o céu de Garanhuns)

Aqui, do Alto da serra,
perto de árvore antiga
que tanta Beleza traz,
eu penso neste viver
(e tudo em volta, é Paz...)
Vou pensando: o que é a Terra?
O que aqui é permanecer?
Que é emoção amiga -
se há por aí, desamor,
tão pouca flor, tanto espinho?!
Tão pouca Felicidade,
tão pouca Sabedoria,
oceano de vaidade,
mares de hipocrisia,
afogando o Amor!
Sob o céu de Garanhuns
- um oásis silente,
de eucaliptos e rosas...
Vejo que existem alguns
de coração inocente,vibrações harmoniosas.
Há, porém, quem só enseja
mesquinharia e dor - sem caridade, carinho.
Deixa o fel da inveja
corroer tudo o que for
diferente, em seu caminho.
Que coisa inglória e vã
essa falta de leveza!
Penso num novo AMANHÃ:
e quero-o com a pureza
de um pássaro que volta ao ninho.

NEFERTARI (Judit)


Brigar ou amar?

Por quer essa cara amuado
Responda-me amado
Não fique calado zangado
Pois o meu coração
Só fala de amor e paixão
Você quer brigar ou amar?
Por que me olhas assim
Fingindo que não me ver
O que pretende fazer
Vai ficar sem falar
Vai me abandonar?
Estou quase chorando
Meu amor é regado á canção
Serenata de amor e calor
Seu lugar e cativo presente
Mora bem pertinho
Do meu coração
Vamos parar de bobagem
Já estou com saudades
Faça-me um favor meu amor
Á cama está te esperando
Só falta você ao meu lado.
Mrina Nunes



FELICIDADE – De Arethuza Viana

Felicidade
é lhe dar um bom dia
na mesma cama.

Felicidade
é saber que você
já não se perde na insônia,
olhando vagamente
para um lugar qualquer,
saudoso e triste...

Felicidade
é ser a companheira
para as suas aflições,
e carências...

Felicidade
é tirar lentamente
das suas mãos
o livro que você tenta ler,
quase dormindo.

Felicidade é olhar você,
adormecido
e em paz...

Felicidade
é não precisar
me esconder nos poemas
para lhe fazer confidências.

Felicidade
é finalmente acabar
com esse “querer”
e “não poder”...


Amo_tes

Velejar
num imenso mar.

Rumo ao paraíso
loucuras ...

Assanhar
falsos amores.

Navegar com furor.
tudo como antes.

Agasalhar ternuras,
ensaiar com figuras.

Sons afinados!

Afogar gritos,
desatinos aflitos.

Amor alinhado!

Sandra Almeida




FORÇA DO MEU AMOR

Que o amor que sinto
Seja forte como absinto.
Amplo como oceano,
Se renove a cada ano.
Elevado como o Everest,
Que eu preste
atenção e cuide.
Vele por ele.
Que desconheça medos,
Desafie obstáculos.
O traga no peito.
Por causa e efeito,
A ferro e fogo,
De qualquer jeito.
Que ele seja imenso como o Saara,
Tenha a temperatura do Etna
em erupção.
Prevaleça como oração.
Leve como a neve,
E dure por um breve
INFINITO!
[Gustavo Drummond]

15 Comentários:

  • Oi Marta!!

    Que delícia encontrar aqui meu poeminha na companhia de gente tão boa!
    Muito obrigada pela divulgação meu anjo!
    Deus te guarde em sua mão!
    Beijos!

    Por Blogger Lenise, às 18 de março de 2008 17:58  

  • Marta, querida amiga!
    Obrigada mais uma vez pelo incentivo, pela divulgação. Fico feliz em poder encontrar nesta págima meus singelos poemas.
    Muita paz amiga!
    Um grande abraço!

    Por Blogger Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução!, às 18 de março de 2008 19:28  

  • Parabéns poetas que estão também nesta página.
    Um abraço!

    Por Blogger Neneca Barbosa - Um ser humano em evolução!, às 18 de março de 2008 19:56  

  • Marta...
    minha linda poetisa ...
    que linda és ser querido...
    e o que vejo é uma aura brilhante em torno de ti...
    reténs uma força linda...generosa e doas com naturalidade...
    Dou-te um grande abraço e te retribuo com muito carinho amiga poeta de tantos versos...tantos... contando o amor.
    Alem de me ver representada por
    Espera...
    Não a lágrima...
    reconheço ainda alem de ti Marta Peres..
    outros seres maravilhosos
    que com a alma voam...na busca dessa melodiosa poesia...
    Neneca,NEFERTARI,LuizaCaetano,
    que honra ocupar o espaço junto desses grandes nomes entre outros ...
    meu carinho e emoção.

    Leninha.

    Por Blogger Leninha, às 19 de março de 2008 03:29  

  • Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, porque tudo passa a acontecer dentro de nós.
    vir aqui é como caminhar por uma estrada florida... palavras transformadas em flor!!
    Quero Parabenizar todos poetas amigos q fazem parte do jornal ,sao amigos maravilhosos e excelentes poetas...todos estao dentro do meu coraçao...bjus a todos
    Nolivia

    Por Blogger nolivia, às 19 de março de 2008 04:09  

  • triQuerida Marta, que espaço lindo! Fico feliz por estar nele, juntamente com outros que fizeram por merecer. Parabéns a todos nós que temos o dom da palavra e sabemos expressar sentimentos através da poesia. Parabéns principalmente a você que nos concedeu este espaço encantado e mágico. Obrigada amiga!!!!

    Por Blogger doronihilgenberg, às 19 de março de 2008 06:54  

  • Querida Marta, que espaço lindo! Fico feliz por estar nele, juntamente com outros que fizeram por merecer. Parabéns a todos nós que temos o dom da palavra e sabemos expressar sentimentos através da poesia. Parabéns principalmente a você que nos concedeu este espaço encantado e mágico. Obrigada amiga!!!!

    Por Blogger doronihilgenberg, às 19 de março de 2008 06:59  

  • Martinha

    É muito compensador ser querida e lembrada por vc.É de tal delicadeza, que me deixa muito emocionada.Além de grande poetisa, vc é uma grande amiga.Com sólida certeza!Amo-te!!!!

    Bjnhus

    Por Blogger Mell, às 19 de março de 2008 07:29  

  • Sinto-me feliz e honrada de estar neste espaço, em companhia de pessoas talentosíssimas. Obrigada, amiga Marta! Beijos.

    Por Blogger Sueli Fajardo, às 19 de março de 2008 08:02  

  • Obrigado Marta..Postado um poema meu, me encantou, pois lendo o jornal é que percebi a importância desta publicação junto a tantos poemas lindíssimos. Que Deus Ilumine a todos e muitos outros venham ter este privilégio..
    Com muito carinho e emoção deixo meu abraços à todos.

    Por Blogger Imaginação, às 20 de março de 2008 18:34  

  • Ola Marta!

    Parabéns pelo trabalho
    Obrigado pelo espaço cedido a mim e outros poetas, pelo o amor a poesia...

    Deus a abencoe, querida amiga.

    Por Blogger catarino, às 21 de março de 2008 12:25  

  • Marta querida

    é uma grande alegria
    fazer parte da fileira de seu
    trabalho neste Jornal,
    que tantos apoios oferce ao poeta e artistas em geral.Obrigada querida
    parabéns pelo seu excelente trabalho. Abraços da Dora

    Por Blogger Dora Dimolitsas, às 23 de março de 2008 07:18  

  • Martita, parabéns!!!
    Seu espaço está poeticamente lindo!!!
    Sucessos!
    Beijos
    FlordeLótusAzul
    Gota Azul
    Débora Malucelli

    Por Blogger Lavanda Azul, às 23 de março de 2008 17:15  

  • Martinha meu anjo lindo, eu lhe agradeço imensamente por se lembrar de mim.
    Esse seu gesto só incentiva a cada dia mais...Eu amo poesia estar aqui ao lado dessas pessoas que admiro é um presente.
    Deus q abençoe você sempre.

    besos!

    Por Blogger Valquíria Cordeiro, às 23 de março de 2008 21:02  

  • Martinha meu anjo lindo, eu lhe agradeço imensamente por se lembrar de mim.
    Esse seu gesto só incentiva a cada dia mais...Eu amo poesia estar aqui ao lado dessas pessoas que admiro é um presente.
    Deus q abençoe você sempre.

    besos!

    Por Blogger Valquíria Cordeiro, às 23 de março de 2008 21:05  

Postar um comentário

<< Home