.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Antônio Poeta! Do Portal Antônio Poeta!

POEMÍNIMOS OU POEMEUS OU VERSOS SOLTOS OU PRA
NÃO DIZEREM QUE NÃO FALEI DE FLORES OU LHUFAS...
o homem come
seu irmão animal
mas isso faz mal






infligir o silêncio
aos intelectuais
lhes impondo
o vil recuso
enfim o pouso
no espaço público
não silencia seus
pensamentos
apenas os induzem
a pensarem mais
na quietude
e no repouso
do espaço recluso



pois é
mas não
se arrepie
tanto assim
afinal gostar
de mim é algo
mais que normal
pois eu sou de fato
uma pessoinha muito
lindinha uma gracinha
um narciso quase sem igual



a mosca moscou
a aranha a papou
e se sustentou



a índia tomou
a erva macerada
ficou curada



o desânimo
faz perder
a vontade
de ter vontade
até de viver
louco conta-me
minha insanidade
o enlouqueceu
louco é você ou eu



poeta é o
que canta o sentir
filósofo é o que
pondera o sentir
eu sou um bufão
que sem sentir
entre esses dois
vivo a me diluir
(a me sentir?)



que linda visão
o véu da cachoeira
banhar o leão



caçador é burro
e monta no burro
pra ir escalpar
isso tem de acabar



pesca esportiva
que horror
que vontade
de matar
só por matar
que falta de amor



tu era todo
meu tudo
contudo
eu surdo
a teus apelos
e sinais
não progredi
e te perdi



o bom gatozinho
ferido e com medo
mordeu meu dedo



todos os poetas
são zangados
é essa
auto-zanga
que os fazem
distinguir-se
dos demais
comuns
e alienados



o gato pegou
a gata e a comeu
matou ou fudeu



sabiá selvagem
seu canto livre é uma
lírica viagem



queria tanto ter você
entre meus braços
entre minhas pernas
beijar toda sua pele
e todas suas cavernas



não me zango
com ninguém
minha zanga
é só comigo
por ser um
vira lata zhen



a paca fugiu
do canastrão caçador
mas não de seu cão



o maior poder
é o poder abrir mão
do próprio poder
e assim não apodrecer
e assim não feder










escrevendo
eu posso ser tudo
aquilo que eu quero
ser e talvez não seja
eu posso ser tudo aquilo
que meu espírito almeja



te quero
tu me queres
mas e as
outras mulheres



se todo poeta
é um fingidor
tu ô fernando pessoa
também o é com o agravo
de ser um sacana delator (rsss)



transar por transar
só para o corpo orgasmar
sem a alma co-participar
preferível se masturbar



a perspectiva do
sucesso me seduziu
e a realidade do
fracasso me abduziu



minha razão
quase me
enlouquece
minha
fantasia
me restabelece



eu dou valor ao
que não tem
aí logo fico sem
burro é pouco
eu sou é louco



saia do meu
sonho e
torne-se
realidade
não me torne
mais bisonho
não tenho
mais sobras
de tempo
e nem idade



a poesia me
transformou
em nada
a filosofia
em nada
me transformou



as vezes
me dá
um dó
de mim
aí vem
uma dor
sem fim



hoje fiz
amor gostoso
fui chamado
de ninfo-guloso
fiquei todo garboso



não ter grana
não me entristece
não poder ajudar
minhas filhas
quase me fenece



ser
um
metro
eremita
sucumbe
minha
razão
coração
nobre
mas
ocioso
resignado
e
pobre
pobre
coitado
preguiçoso
e
desgraçado
mas
queixar-se
do
que
se
foi
essa
minha
opção



soltar balão e fogos
não é meninice
é sandice



fértil é a mente
que pensa e sonha
ditoso é o coração
que sente e não mente



o que os animais
domésticos comem
findaria com a
fome do homem



por vezes fico
sem jeito
por tanto
assim te amar
mas é tanto amor
em meu peito
que não consigo
me aquietar



o oceano noturno
prateado pela lua
e você na areia
me cavalgando nua



o poeta conta
seus contos
rimados
faz de contas
ser um ser
cabalmente
experimentado



não
posso
abortar
minha
história
mesmo
que
inglória
em
prol
de
seus
ideais
te
amo
sim
e
muito
mas
me
amo
bem
mais
fique
com
seu
dinheiro
com
seu
poder
a
cobiçar
que
eu
sigo
com
a
mesmice
meninice
de
meu
cativo
poetar



foi tão breve a
nossa alegria
você foi para o frio
de londres estudar
e eu fiquei aqui
com o candente mar
minha prancha
minha parafina
e o sol a me
aquecer e bronzear



chameguinho
chega mais
corre a me acarinhar
te amo tanto meu
doce denguinho
que chego a delirar



que gire a roda da vida
que cessem as
diferenças na terra
que não mais ecoe
a vil corneta das
indiferenças da guerra



já é bastante
eu viver a
me julgar
não me aceitar
portanto dispenso
a sua opinião
vai te cagar
seu vacilão



nós já tivemos nossa história
e não a aproveitamos
nós só transpiramos
não inspiramos



você me mentiu
com teu sorriso
com teu olhar
hoje te redescubro
outra e não mais
te sinto como par



por eu não ter nenhum vintém
ninguém me deve nada
e eu nada de nada
devo a ninguém



certa vez eu escrevi
que o choro lava a alma
mas que alma tão imunda
é essa minha que nunca consigo
dar cabo de chorar e me desesperançar



são 14:00hs diariamente
escrevendo e revisando
meus textos sem folgas
isso não é trabalhar
não me alcunhem
por vagabundo
pois isso pode
até me matar



contar histórias
em espaços tão
reduzidos e ainda
com lirismo e graça
fazem dos poetas seres
induzidos (seduzidos?)



amo te ninar
amo te mimar
amo te amar



se não tivesse sonhado
não vislumbraria tal ardor
falo de um sonho bem acordado
um sarau-luau nas rochas do arpoador



minha geração foi
campeã de emoção
de muito engajamento
de bossa e alegria
de rebeldia plena
da cabeça e do coração



hoje de cabeça
fria e coração sereno
vejo que foste meu remédio
e que eu fui o teu veneno



isso não é vida
é sobrevida
isso não é amor
é puro terror



se todo excluído
virasse um bandido
o brasil estava fodido



não me vença
me convença
não brigue
me abrigue



quero partir
sem nos partir
compreenda e
favoreça o meu ir



rouxinol
embala
com
sua
graça
e
canto
o
desencanto
de
meu
intenso
poetar
queria
tanto
saber
voar



acasalar é bom
mas eu quero é casar
meu Deus onde andará
essa super xoxotalma
que surgirá e me encantará



o desejo sem censura
desnatura a criatura
conduzindo-a a aventura
da vilania e da loucura



óbvio que não
nos amamos
o que nutrimos
um pelo outro
é tácita paixão
sentimento com
habitat nas mucosas
e não no coração



quem dá mais
alguém com
um lance maior
que um tostão
pela obra desse
poeta canastrão



todo o meu
sofrer é produto
do meu mau viver
as privações materiais
e as pirações conscienciais
pelas quais já passei e passo
irão me edificar ou me dementar



rebelde sim
e vou sê-lo
até meu fim
hoje na madureza
ainda mais rebelde
com toda a certeza
pois dou-me o direito
de rebelar-me até contra mim



as diferenças sociais
são produzidas pelas
indiferenças sociais
é esse canibalismo
aceitável pelo poder
como princípio eletivo
que gera o banido bandido
e o revolto subversivo



sem quietude
te procuro sempre
em outros rostos
em outros corpos
mas só encontro
todas em todas
em suma você
em nenhuma



imputar o silêncio
aos intelectuais
impondo o recuso
ao espaço público
não silencia seus
pensamentos
apenas os induzem
a pensarem mais
na quietude do
espaço do recluso



o choro lava a alma
e o riso a lubrifica
o bom sentir e agir
a mecâniquifisica



o que eu mais desejo
é ser em verdade
o que eu penso ser
como individualidade



claro que tenho o
perdão no coração
o que eu não tenho
é talento para ser bobão



falar sem sentir
ou sentir e
não falar
são covardias
pois ambos
produzem avarias



escrevendo
eu posso tudo
nada e nem
ninguém
me detêm
Escrevendo
eu volito
pelo céu
falo do amor
da dor
do mel
e do fel



filhas e
netinhos
perdoem eu
ter falido
me vencido



a incerteza de
meus acertos
me acertam
em cheio
a certeza de
meus erros
me acertam
com um futuro
muito feio



há um tempo
para que um
sonhador espere
a realização de
seu sonho sonhado
para eu ta demorando
me sinto afadigado



velhos e velhas
que gostam de
ficar com jovens
não gostam é de si
melhor não têm
consciências de si



não é falta de amor
é falta de um amor
não é falta de bem querer
é falta de um bem para querer



por eu gritar calado
meu desatino
não é ouvido
isso faz meu fardo
ainda mais pesado
e bem mais sofrido
esse meu destino



que pena você ter ido
que pena que Deus te levou
que pena eu ter ficado só
que pena que só ainda estou



o que
sua boca
tem de
quentinha
tem de
inquietinha
você faz isso
ficar muito bom
para não para não



senhores milicos
aquilo lá atrás
não foi revolução
foi involução



convicção
não se dita
se assimila
isso posto
viva a liberdade
de sentimento
e principalmente
a de expressão



que coisa boa
é o beijo na boca
é a boca naquilo
e aquilo na boca
quanto deleite
que coisa louca



delícia esses sons
que você faz
sempre que
a gente faz



se algo de bom
ou de ruim
tens a me dizer
que o faça já
pois depois
de eu morrer
não vou querer
mais te ouvir
Se insistir
só para te
assombrar
vou te responder



vida
doida
doída
vida
desprevenida
sem vida



a abastança
generalizada
de sua vida
retrata seu
sucesso e poder
a escassez
generalizada
na vida de outros
também retrata
seu sucesso e poder



fizeram
filme
para
o
bandido
da
luz
vermelha

para
o
nosso
hamilton
tratorista
não
dona
mídia
seria
esse
mesmo
o
seu
modelo
deformação
de
opinião



o ser humano
não muda
o que muda
são os seus
pensadores
gente com
mania de Deus
que insistem
em fazer
a cabeça
da gente



senadoras heloisa e marina
adoráveis meninas
esse poeta aqui
vos ama e com
vossas almas se afina



quem dera
se o lula tivesse um
pouco mais de meiguice
outrossim um pouco mais
da cândice das heloisice e marinice



rotular outrem por
preconceituoso
virou chavão
para aqueles
que não têm
argumentos
para arrazoarem
suas próprias opiniões



bill gattes
não é mais
a maior
fortuna
do mundo
ele doou
uma fortuna
de sua
grande fortuna
para a caridade
parabéns moço
por essa sua
nova fortuna
onde a bestialidade
cedeu seu espaço
a espiritualidade



créuuu
cruzes



tudo bem
que a mídia
televisiva informa
todavia é ela também
entre todas
a que mais deforma



bêbado por bêbado
prefiro o hieltsen
pois ao menos
ele era engraçado
já que o bush
é só atormentado
e o lula é só teleguiado



o brasil é o único
país do mundo
que tem dois
presidentes em ação
falo da dilma e do amorim
já que o lula é só decoração



insídia teu nome é
genoíno e zé dirceu
socialismo brasileiro
deita pois você morreu



os adeptos tupiniquins
do basquete de rua
hip rock e hallowen
logo vão começar
a festejar o 04 de julho
acorda minha gente
esse americanismo
já está indecente



o melhor sexo
é aquele que
acabado o ato
não cessa o carinho
não deixando espaço
para se perguntar
foi bom pra você
meu amorzinho



que droga
acabei de fazer
amor por fazer
minha parceira
nessa doideira
se foi e eu
estou a chorar
que monumental
desperdício
esse ato falho
de amar



quando jovem
tive uma
namorada
prostituta
naquela fase ida
repleta de ardor
eu sem saber
já tinha poesia
eu já divisava
o que era amor



bacanal
é coisa
de animal
solto no pasto
e irracional



ser gay pode
ser opção
consciencial
ou até
cármico
não sei
já os
entendidos
é coisa de
insatisfeitos
e preteridos
isto é dos
reprovados
em todos
os sentidos



pedofília
teu nome
é mofaria
é anomalia



há muito
para me
arrepender
Por muito
que fiz
por muito
que deixei
de fazer



entender
é solicitude
compreender
é virtude
perdoar
é magnitude



excêntrismo
é estrelismo
é birutismo



Senhor Pai
pelo amor
ao seu Filho
proteja sempre
o meu quatriho
(para minhas filhas alê e chris e meus netos Gugu e Sosô)



olhinhos de céu
e olhinhos de mel
oh Cristo de Deus
abençoe esses meus
(para meus netinhos gugu e sosô)



nosso gozo
é tão
prazeroso
que chega
a raiar
o tortuoso



a saudade
aninhou-se
em mim
enfim fez-me
sua pousada
sem fim



saiba que sou feliz
sou quase um sábia
a voar e cantar
essa é a vida que
eu sempre quis



zangado com
minha intuição
por não
até então
ter chegado
ao seu coração

Antônio Poeta

Marcadores:

9 Comentários:

  • Marta. vc só me emociona... Ser promovido por vc é tudo de bom... É garantia total de sucesso, viu!
    Obrigado sempre e pra sempre minha irmãzinha!
    Antônio José

    Por Blogger Antônio Poeta, às 17 de setembro de 2009 06:15  

  • MEU LINDO GRANDE POETA ANTÔNIO POETA!Como é maravilhoso viajar...foi o que fiz agora,quase não voltei,rrsr.Que delícia te ler recheado de variedades de sentimentos que me levam sempre as lágrimas e faz bem ao coração.Espetáculo dançante de arte!Menino arteiro!Garoto maroto!GRANDE HOMEM E POETA!TE ADORO!PARABÉNS!OBRIGADA POR VC EXISTIR!
    Beijos no teu lindo coração!

    Por Blogger Marisa, às 17 de setembro de 2009 10:29  

  • MINHA LINDA GRANDE MARTA PERES!
    QUE DESFILE VOCÊ PROMOVEU!
    PERFEITO MARTA PERES...ANTÔNIO POETA!NÃO PRECISO DIZER MAIS NADA...DOIS GRANDES TALENTOS!OBRIGADA!PARABÉNS!BEIJOS NA ALMA!

    Por Blogger Marisa, às 17 de setembro de 2009 10:34  

  • Olá amado Antôniooo
    amei ver seus poemas aqui
    bjsssss muitos

    Por Blogger Isabel Cristina, às 18 de setembro de 2009 14:29  

  • Oi Marta Peres
    seu blog é lindo e pretendo voltar mais vezes, parabéns

    Por Blogger Isabel Cristina, às 18 de setembro de 2009 14:34  

  • Oi Marta querida.

    Adorando ler Antonio José
    em poemas curtinhos.

    Sou fanzoca deste grande
    e mui querido Poeta.

    Por Blogger Verluci Almeida, às 18 de setembro de 2009 17:22  

  • Antonio José...
    adorei este que não conhecia

    a saudade
    aninhou-se
    em mim
    enfim fez-me
    sua pousada
    sem fim

    .

    Por Blogger Verluci Almeida, às 18 de setembro de 2009 17:27  

  • e este tbém

    ===========
    entender
    é solicitude
    compreender
    é virtude
    perdoar
    é magnitude
    ===========

    Sucesso sempre para voce
    meu querido amigo-poeta!

    Sempre sua fã

    Verluci Almeida

    Por Blogger Verluci Almeida, às 18 de setembro de 2009 17:29  

  • Falar do Antonio Poeta, é falar da emoção, da inteligencia, sensibilidade, é viajar no tempo do amor, da liberdade, do lirismo. Seria preciso paginas pra descever esse poeta que toma pra si, a responsabilidade de divulgar o que ha de melhor nesse país em termos de poesia
    Marta Peres, eternamente sábia em suas escolhas, nao poderia ser diferente agora em homenagear esse poeta que a todos encanta
    Parabens Marta, parabens Antonio Poeta, a voces, meu carinho maior

    bjos

    Ceição Bentes

    Por Blogger Conceição, às 19 de setembro de 2009 10:49  

Postar um comentário

<< Home