.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Pequeno Sarau!



POR QUE NÃO NÓS??

O sol seca a chuva.
Que refresca o sol.
A lua clareia a noite
E o sol o dia.
O verão e o inverno
Primavera e outono
O rio e o mar.
Tudo se completa.
Por que não nós?

Clau Assi


POEMA NÃO LIDO

O tempo me olha de longe
e me deixa tão calma...
me fazendo parceira
da minha própria caminhada.

Sento-me ouvindo o murmurio do vento.

Me sinto um poema ainda não lido
com melodia nova letra e rima
escorrendo no espaço feito água cristalina
qual um rio desaguando...
levando embora todos os amores perdidos.

Deságua a última gota
de amargura retida
sob o cortejo fúnebre da correnteza afora.

Vestígios de amores mascarados
sem início nem fim...

com a certeza que águas novas
de novas correntezas apontam suas ruas...
abrem caminhos e segredos
pingando gota à gota seus encantos virgens.

Rosy Moreira

Fantasma

Sou aquele fantasma que sussurra em teu ouvido

Que está dentro de ti e que te perturba a mente

E se quiser me reconhecer, por favor, nem tente.

Pois teus olhos não podem me ver neste momento
Nem mesmo a chuva agora pode me molhar

Não sou feito de carne e nem de sangue também

Mas minha alma com certeza pode te alcançar

Estou em todas as lembranças como a te seguir

Eu como um fantasma eu estou apenas a te observar

E mesmo assim ainda posso sentir a tua essência

O teu gosto e o teu perfume a minha alma tocar

E como eu gostaria de agora poder acariciá-la

Mas isto são apenas desejos de um fantasma

Que sempre teve a certeza de um dia encontra-la

E que mesmo distante de ti e do teu lindo olhar

Soube que nossas almas iriam para sempre se amar

André A. A.



Tarde triste

Tarde triste e silenciosa

De olhar perdido a beira-mar

Uma tarde calma e manhosa

Que vai morrendo ao luar

Uma tarde com cheiro de saudade

Dos momentos felizes que vivi

Tarde onde o sol já pela metade

Traz-me muitas lembranças de ti

Tarde de infinita tristeza

Com o olhar perdido no mar

Uma tarde onde a natureza

Silencia... Faz-se calar

Fim de tarde quase noite

Um vento frio toca meu corpo

Sinto seu toque como açoite

Junto com essa saudade constante

Neste fim de tarde de solidão

Estou perdido em pensamentos

Que me levam aos momentos

Onde tudo era lindo... Só perdição

André A. A.

Longe de você

Quando o dia desponta majestoso
Todo cheio de luz, não sei por quê.
Meu coração bate nervoso
Com profundas saudades de você.

E à medida que o sol vai subindo
Minha alma por você vai chamando
Em cada flor, em cada criatura.
A uma grande saudade que perdura

À noite quando a lua brilhante
O livro do nosso passado me faz reler
Me sinto feliz por um instante
Como se ainda estivesse junto de você

A luta pela vida tão bela e dura
A tudo que minha alma assiste e vê
Ela seu nome repete com doçura
Chorando com saudades de você.

André A. A.


Você é meu presente!

Como é maravilhoso
Soltar os laços
de uma linda caixa colorida
Enfeitada com selinhos
Como se ela tivesse vida.

É mágico o que se sente
Ao abrir uma caixa de presente
Como é maravilhoso
Desenrolar com cuidado
Aquele lindo papel
Como se ele fosse
Um pedacinho do céu
E com o desejo
Que ele dure para sempre
Pois é parte
de um valioso presente!

Mas, o maior presente
É um amor verdadeiro
Grandioso, angelical.

Um amor cúmplice
Um amor especial
Um magnífico presente
É uma amizade sincera
Repleta de carinhos
Iluminada por Deus
Que nunca nos deixa sozinhos.

Ah! É maravilhoso!

Abrir minha caixa de mensagens
Ver que tenho um lindo presente
Seu recado e sua doce imagem
Sua amizade nunca ausente
Seus carinhos tão somente!

És o meu mais lindo presente!

*J@ndeR*

Marcadores:

1 Comentários:

  • Marta, querida, é sempre motivo de muito orgulho estar entre os tantos poetas que você prestigia e divulga.
    Meu eterno agradecimento.

    Beijos ternurentos

    Clau Assi

    Por Blogger Clau Assi, às 24 de fevereiro de 2009 16:57  

Postar um comentário

<< Home