.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

A Poesia Canta no Coração!

















Não Me Deixes



De pé paro no vento
Com as mãos apoiando meu rosto,
Nessa posição entro em transe.
E na memória mergulho no tempo
Que passou e nada me deixou.

Princesa dos meus sonhos dourados,
Como num passe,
Numa valsa vienense.
Num redemoinho desesperado.

Abraça-me, aperta-te contra mim,
Volta uma vez mais,
Deixa eu te amar,
Sem desperdícios, e com tantos beijos
Te acordo neste paraíso.

Não me deixes partir
O tempo é ladrão, mau
Não deixe a neve,
Embranquiçar os meus cabelos.
Quero viver para sempre
Nesse sonho que me prendeu na mocidade,
Lembrando-me de ti.
Não me deixes, amor...




Roberto de Castro Del’Secchi





















Angústia


Ainda que o amanhã não aconteça
Após a tempestade devastadora e que
transformou o mar em ondas largas...
Se tudo quanto existe é este silencio
Que me tortura e que há muito
me machuca na negação
do querer...
Ainda que o mundo que eu sempre acreditei
Desabe sobre minha cabeça
e dilacere meu coração
Tão sofrido... Tão coitado!
Ainda que na minha agonia a vida se acabe
O meu caminho já faz parte de um passado
levo apenas meus versos encantados...
Ainda assim levarei muitas
saudades de tudo que
Acreditei de verdade!

Celina vasques


























Riqueza do Amor

Das riquezas de ser um poeta está
O amor por um mundo de paz
Ler suas poesias é perfumar á alma...Vida &
Amor é o livro que se faz semente num jardim da esperança
Nos versos um pouco de cada um de nós
Do seu olhar o sentido da vida
Mais que um amigo compartilha
A dor, a alegria e os sonhos
Yluminada é tua vida que carrega a beleza do teu coração.

Débora Neves


























TRANSPARENTE CORAÇÃO ( Télio Diniz )

Coração descuidado,
tadinho, nem percebeu,
que estava aprisionado
a um sorriso só seu
e agora sofre calado,
com a falta do que não viveu.

Coração a espera
daquela a quem se entregou,
sonha em ter, quem dera,
os olhos que tanto amou.
Busca, na primavera,
a rosa que dela brotou.

Coração transparente
sangra de tanta dor.
Não esconde que sente
a falta do seu calor.
Vive em mim doente.
Não bate sem seu amor.

























Isto é amar

Amar primeiro,
Perguntar depois
Primeiro agir,
Depois falar,
É assim o amor
Primeiro acolhe
Depois conversa
Sem se importar
Para quem o bem
Está a fazer
Apenas sentir
A alegria de ver
O olho brilhar
Daquele que o bem
Pelo seu ato recebeu.


Ataíde Lemos

























Cultivando...


Jamais nego as verdades,
Nem fujo das discrepâncias,
Apenas transcrevo meus ais
Em rimas, verdades e poesias.
Procuro a coerência dos fatos,
Sem pudor.
Sobrevivo à dor,
Sem esquecer o passado,
Vivo meu presente
Com o pensamento no futuro,
Granjeando as verdades,
Plena e desvairada de amor!

Paty Padilha

















A DESPEDIDA...

Com a dor da despedida,
Assim se fez o dia,
A lua banha a terra,
As lagrimas – a agonia.

Meu sol se fez turvo,
No nebuloso amanhecer,
Sigo a estrada desconhecida,
Desse dilema – sofrer.

Mulher!!! Que me fez sonhar,
Um sonho de amor perfeito,
Hoje... só e abandonado,
Trago desse amor – a dor no peito.

Autor: Alvimar – O Poeta Mineiro...

Marcadores:

3 Comentários:

  • Passear por aqui me deslumbrar com tanta delicadeza é bom demais. Me deparar com um poema meu publicado affff que privilégio!!! Bjss

    Por Blogger Paty Padilha,, às 23 de junho de 2011 10:42  

  • Passear por aqui me deslumbrar com tanta delicadeza é bom demais. Me deparar com um poema meu publicado affff que privilégio!!! Bjss

    Por Blogger Paty Padilha,, às 23 de junho de 2011 10:43  

  • Amiga querida mais uma vez te agrdeço por seres tão generosa comigo!
    Obrigada por postares mais um poeminha meu!
    Beijos muitos e é uma honra querida!

    Por Anonymous Anônimo, às 27 de junho de 2011 17:14  

Postar um comentário

<< Home