.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mãe



Mãe

Mãe, por que você se foi?
Deixou um vazio tão grande!
Deus, oh, Deus! Por que permitiu?
Minha alma ainda sangra de dor.

Sinto saudades das suas mãos
acariciando meu rosto, dos seus
olhos negros, meigos, macios,
aveludados, caindo sobre mim.

Sua ternura para comigo mãe,
faz tanta falta! Seu sorriso para
mim, doce, terno, carrego
dentro das minhas lembranças.

Sinto frio mãe, você não está para
puxar o cobertor, enxugar minhas
lágrimas dizendo palavras de conforto,
que só mãe consegue amenizar a dor.

Mãe, seu amor sem limites, sem hora,
é chama quente para a alma. Recordo
suas palavras, vejo seu rosto, sinto seu
cheiro mãe, dentro do meu coração.

Marta Peres

Marcadores:

2 Comentários:

  • Este comentário foi removido pelo autor.

    Por Blogger poetasl, às 8 de maio de 2010 15:27  

  • É maravilhoso ler 'O Rebate' de Marta Peres... Em todos os momentos, sempre presente com a mais pura poesia, que encanta e fascina quem visita, lê, escreve...
    Obrigada, Marta Peres, por este espaço tão lindo! Obrigada por você ser esta mulher, mãe, que homenageia todas as mães, unindo vários autores.
    Deus a abençoe... Sempre!
    Beijos,
    Esther Gonçalves, a Poetisa.

    Por Blogger poetasl, às 8 de maio de 2010 15:30  

Postar um comentário

<< Home