.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Poesia é Arte!



Sem abrigo


Na solidão procuro um abrigo vital.
E sinto o pulsar da minha louca solidão
Sinto tudo tão carente um perigo infernal.

Assim jazer a luz,”alma em descanso eterno
Que sem amor agoniza sem vida.
Amortalhada em plena noite de inverno.

Mata solidão, perdida sem amor morro.
O amor transgrediu o último suspiro gélido.
O amor ausente desfaleceu clamou socorro.

Neguem ouviu, nem ajudou com a minha dor.
Morrendo aos pouco sou um semivivo.
Tudo acabou a solidão sucumbiu o amor.
Autora Marina Nunes



O VAZIO DO SILÊNCIO

Solidão companheira dos meus dias...
tristeza que muda a serenidade do meu ser,
dor aguda que só quem sente, sabe
do amor que esperei tanto ter.

Vou mudando a direção da estrada,
vou deixando para trás a dor que fere,
vou caminhar fugindo da saudade,
renascer com o frescor da primavera.

Minha boca que espera a tua
vai perdendo aos poucos a esperança,
nos destinos traçados não se toca
feito flor que perde a cor e amanhece morta.

A sede do amor é verdadeira,
o vazio da existência também,
o silêncio é leal companheiro,
minha vida é refúgio de ninguém.

MÁRCIA ROCHA


COLETÂNEA DE PENSAMENTOS


Paz e graça!

Por amar a sua pessoa, envo esse soneto:

026 PENSAMENTOS SÁBIOS

Bem junto ao meu portão,
Repousava em uma bicicleta,
Com seu belo corpo de atleta;
Minha musa e paixão!

Que instante comovente!
Quando pude vislumbrar
A bela ave e admirar
Seu olhar envolvente!

Seus úmidos lábios,
Adornados pelos sorrisos lindos,
Levaram-me a êxtases fulgurantes!

Oh, com amores infindos,
Agindo com pensamentos sábios.
Amando muito mais do que antes!

José Bonifácio



FELIZ PÁSCOA A TODOS
Mais uma vez
o amor nos traz Jesus.
Mais uma vez
o mundo se enche de luz.
A páscoa chegou,
a vida se renova nessa esperança
e as crianças estão felizes.
Aquele que sempre nos amou,
continua vivo.
Continua sendo nosso irmão
e nosso amigo.
Obrigado Deus,
nosso pai bondoso.
Pela paz, pela proteção,
pela tua mão sempre estendida
a nos proteger de todo o mal.
Que essa páscoa
seja de muita felicidade,
repleta de carinho e bondade
e que o pensamento de todas as pessoas
seja de confraternização.
Feliz páscoa a todos,
é o que lhes desejo meus amigos
do fundo do meu coração . . .
Homenino Poeta


TATOS DA AFEIÇÃO

Com o verão vieram calores
Dos mais intensos e as belas
Atitudes; que extirparam as sequelas
Das lágrimas, tristezas e dores!

Os raios de sol fortes e delicados,
Envolventes e charmosos,
Amáveis e portentosos;
Restauraram momentos fracassados!

Já no calor dos carinhos e abraços.
Nos tatos da afeição.
Afloraram os mais intensos amores!

Que alegria! Que fortíssima emoção!
Tocar nos seus belos traços,
Com ósculos de diversos sabores!

José Bonifácio


A beleza artística

A arte é uma bendita missão
O mundo belo pela artística emoção.
Suavidade de linhas e contorno.
Aplaude o artista meigo e terno!
Destaca a beleza e difunde
Sensação edificante.
Cria raízes longas.
E seiva mágica!
Diviniza o dom no serviço do amor.
Com encanto multicor.
Na rede de balanço e ternura.
A arte especifica se insinua.
A arte no sentimento
Exalta o amor no peito.
No complexo contexto divino.
É um dom cristalino!
Entrelaça a harmonia que se acentua.
No azul do céu entre as nuvens continua.
No verde da água do mar;
E no coração que sabe amar.
Hortência Lopes

A ACÁCIA IMPERIAL

A acácia imperial
Acolheu-me com amor,
De forma vetorial;
Num frescor sem igual!

Sua sombra vetusta
A lágrima abrigou,
De maneira astuta.
Mas, como me consolou!

Que triste despedida
Daquelas pequeninas,
Belas e cheias de vida,
Purezas raras e finas!

A melodia florífera
Das folhas pelo vento,
A causa odorífera,
Marcaram o momento!

Nobre e velha esquina.
Não posso te esquecer.
No alto da colina,
Testemunhou o meu sofrer!

O magnífico encontro:
O cenário bucólico,
Regado pelo pranto,
Ficou no histórico!

Que difícil renúncia!
As folhas agitavam,
Mudas sem ter pronúncia,
E os meus olhos choravam!

Mas, o anjo me confortava,
Acolhendo a minha dor.
Como eu os amava
E ainda tenho amor!

José Bonifácio


Acordar para a felicidade

As poesias voaram com as aves.
Fizeram no coração seus ninhos.
Para tirar a dor com palavras suaves.
Com mensagens de fé e carinho.

As poesias criaram asas
E saíram pelo mundo afora.
A literatura estava nos jardins e nas ruas.
Em adulto e criança brotou meiga postura.

Foram envolvidas nessa mágica aventura.
Na escola da vida foi aplaudida a literatura.
A arte brilhou no coração.
Era ali o ninho da emoção!

O coração quente e sorridente.
Dava resultado surpreende!
Muito mais animados.
Os versos eram declamados!

Dava lição de harmonia
Aulas de cidadania.
A leitura o intelecto ilumina.
É da visão a retina.

Suave meio melodioso
Encanta o coração amoroso.
Circula no interior com suavidade.
É o acordar da felicidade!

Hortência Lopes

2 Comentários:

  • Querida Poetisa Marta Peres!
    Este jornal está belo como sempre!
    É realmente um lugar maravilhoso
    cheio de encanto.
    Você sabe muito bem realçar e adornar com poemas lindos e gravuras harmônicas.Obrigada por postar meus poemas junto com tão belos poemas.Fico muito feliz por
    divulgá-los.
    Deus te guarde e te guia sempre
    querida e amada poetisa Marta Peres. Beijos

    Por Blogger hortencialopes, às 6 de abril de 2009 18:59  

  • Martinha querida mais uma vez obrigada!
    Como sempre me presenteando, com seu carinho de amiga!
    Amiga...uma páscoa cheia de saúde pra vc e familia!
    Obrigada pelo carinho, nesse espaço, tão encantador!
    Beijos poetisa!

    Por Blogger Eterno Amor, às 7 de abril de 2009 16:24  

Postar um comentário

<< Home