.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

CARÊNCIA










CARÊNCIA

Estou sozinha, mergulhada na penumbra
deste meu quarto frio, ermo, indiferente.
Nada me toca, a não ser a muda sombra
que me fustiga o coração constantemente.

Estou sozinha... Mas não quero só presença,
não quero um corpo... um qualquer, porque senão,
para ocupar esse vazio, essa ausência,
bastava apenas mergulhar na multidão.

Quero um amor, um bem-querer... Eu quero Alguém!
E bastará pra mim, saber que tenho um bem
para que eu seja plena da sua presença.

E até sabendo-o muito longe... além-mar...
a condição de ser amada e de amar,
há de pôr fim, de uma vez, nessa carência.

(Soneto de Leide Borges)

Marcadores:

1 Comentários:

  • "bastava apenas mergulhar na multidão."

    Muitas vezes estamos em meio a multidão e nos sentimos sozinhos... incrível como a autora descreve esse sentimento de forma tão clara, consigo sentir o que a personagem sente... e acima de tudo me indentificar! Parabéns!

    Por Blogger Larissa Sá Assunção, às 20 de abril de 2012 20:18  

Postar um comentário

<< Home