.

domingo, 14 de março de 2010

O Dia da Poesia!


Vai, Poesia...

Vai, poesia...
Vai para o ar, a natureza clama por você!
Vai e enche praças e avenidas de cor,
de beleza, de olor, encanta, dança nos lábios
de cada habitante da terra, seja ele qual for.

Vai, poesia...
Leva seu verso ao fundo do mar, ensina os peixes
amarem sua beleza, reverenciarem sua grandeza,
recitando, cantando versos que são sua natureza.

Vai, poesia...
Entra dentro das florestas, faz sua festa longe
das queimadas, das árvores derrubadas,
chama a passarada, as borboletas, combina
com bem-ti-vi, rolinha e sabiá, cantar e encantar.

Vai, poesia...
Vai falar do amor, mostra o sabor do beijo
pois a lua anda cheia de desejos, namorado
ela quer encontrar. Vai, desnuda o sonho
assim como amantes se desnudam na cama.
Vai e ensina o homem sonhar!

Marta Peres



POETIZAR OU ESCREVER

Poetizar é para os amantes
Solitários de traços errantes
Escrever também é angustiante
Para que leiam o que é agravante

Poetizar é deixar corações felizes
Em letras enferrujadas mostrar deslizes
Escrever é mostrar letra enfeitada
Para que a pessoa se sinta enjaulada

Poetizar é ver a alma elevada
É abrir a janela para sua amada
Escrever é sofrer de porta fechada
É sentir a crítica de boca calada

Poetizar é mostrar o coração seguro
Aos amantes sentir-se em porto seguro
Escrever é desembarcar em um cais
Nos desequilíbrios dos inseguros ais

Poetizar é como boêmios pirilampos
Que acende os lampiões para namorar
Escrever é como subir no cume da colina
É sentir o cansaço da luz da lamparina

Carlo Magno

Pura Poesia

Meus dias se enchem de alegria
Vejo minha vida num poema
Sem drama ou dilema
Me visto de pura poesia!

Quando estás por perto
Tudo fica mais lindo e prazeroso
O mundo mais terno, gostoso
És fonte cristalina em pleno deserto.

Mas quando estás longe de mim
Fico triste, por ti á suspirar
Como uma rosa sem jardim...

Te rogo enternecida
Para de mim nunca se afastar
Oh! Poesia da minha vida!

* Nilzinha, Nil *



POESIA E AMOR

A poesia do tanto querer e gostar
Pode mudar as rimas e versos
Mas não deixa de confirmar
O amor e seus reflexos

Não se pode perder a poesia do amor
Porque o próprio amor é a poesia
Não se pode explicar o sentimento da dor
Porque a dor tem sua própria magia

A poesia é plena a cada manhã
Nasce com luzes douradas de carinhos
Aprimora sentimentos que acompanha
Os toques das estrelas em seus caminhos

A poesia se enfeita de maneira diferente
Sorri aos olhos e arredia as palavras
Entendida e incompreendida num instante
Sentidas nas expressões mesmo caladas

O tempo da poesia é o tempo do amor
Neste bailar de um poema escrito
Pode ser de um grito a um clamor
De um simples sonhador ou um sânscrito

Carlo Magno


Vista-se de Poesia

Procuro a poesia certa,
como uma roupa na medida exata,
para vestir a minha alma nua.

Byafra







Quando a Alma Grita... Poesia!

Quando se escreve
Com a alma, com o coração
E a inspiração não vem
O que faz o poeta?

Quando não se derrama,
Sentimentos no papel
Ficam as palavras engasgadas,
Presas na garganta!

O que fazer,
Com tanto pra dizer
Tanto pra externar
Quando os sentimentos gritam,
Mas as palavras e as escritas calam!

Tantas perguntas e nenhuma resposta!
Nessa madrugada fria,
Fria está minha alma!
Cheia de um vazio, cheia de mim
Querendo explodir
Poesia...

E, no entanto não sei como fazer.


* Nilzinha, Maria Nilza *

Marcadores:

1 Comentários:

  • Parabéns a Poetisa Marta Peres que com sua sensibilidade Poética consegue reunir tantos talentos que iluminam este espaço e parabéns a todos poetas pelo DIA DA POESIA.
    Carlo Magno

    Por Blogger Imaginação, às 14 de março de 2010 21:09  

Postar um comentário

<< Home