.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

A menina que roubava vidas


A menina que roubava vidas

A menina que roubava vidas
Estava sem direção
Procurando no mundo virtual palavras
Encontrou um enigma sem tradução.

Falavam de assalto
Que susto!
Mãos para o alto!
Ouviu apenas um grito.

Socorro preciso de ajuda
A menina não tinha a chave para abrir
A obra estava escondida
Precisando apenas admitir.

Que menina não rouba estrofes
Extrai a essência de cada um
Os crimes são seus cofres
Invadi-los de modo algum.

Ela não faz barulho
Simplesmente chega e fica
Leva você de embrulho
Por isso é tão rica.

Rosana Machado Santana Rezende Araújo

1 Comentários:

  • Muito obrigada pelo carinho Marta.
    Estas rimas aconteceram para defender uma amiga.Então,nasceu a menina que roubava vidas.
    Saudações poéticas.
    Rosana Machado Santana Rezende Araújo

    Por Blogger ESTRELA, às 13 de janeiro de 2009 09:07  

Postar um comentário

<< Home