.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Sem permissão!


Sem permissão!

O tempo vai passando e algum dia
Serei apenas lembranças, recordação,
Algum retrato meu estará no álbum de família,
Guardado com o carinho, dos filhos do coração.

As páginas viram, o pó toma conta do que restou,
traças começam a corroer e o papel fica marcado
E tudo o que existiu, passa a ser descartado
Jogado no esquecimento, embrulhado no passado

Mas eu estarei no ar, provocando a inspiração
Amando quem eu deixei, quem ficou a me esperar
Aqueles que abandonei e nem pedi permissão
Simplesmente me afastei, eles ficaram a chorar


Sem adeus eu embarquei, Sem tempo pra despedida
Tento conter as lágrimas, e o passado não lembrar
E numa ida sem volta, sou apenas o pó da vida
Pairando sobre o mar, sou eu a evaporar!


Jane Rossi e Marta Peres

1 Comentários:

  • Marta...
    senti uma vontade tamanha de vir ler teus poemas...
    teus escritos cheios de encantos...
    e te contar de minha admiração...
    por te ver assim tão talentosa...
    e tão generosa com todos que demonstram gostar assim como tu desse mundo encantador das palavras...
    Ha tanto pra falar de ti Martinha...e conheço-te tão pouco...
    Ha uma riqueza em ti ...um tesouro...
    e ele brilha minha querida...e te engrandece.
    receba meu abraço grande cheio de carinho.
    Leninha.

    Por Blogger Leninha, às 25 de fevereiro de 2008 10:31  

Postar um comentário

<< Home